sexta-feira, 21 de setembro de 2018

Sem imaginação

Podemos primar por muita imaginação em muitas vertentes da nossa vida, quer pessoal quer profissional, mas este ano para a escolha do sítio das férias acabámos por ir para um dos mesmo sítios do ano passado. Andaremos a perder qualidades?
Então nestas férias de 2018, para além de 1001 sítios e atividades que fizemos, foi família toda a acampar em Avis!












quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Vícios

Não sei em que parte da minha vida é mais difícil controlar o vício, se livros no tempo de trabalho se livros no tempo de férias.

À esquerda 17 livros novos na biblioteca, à direita 2 lidos. Só em 15 dias.

Raios partam!


quarta-feira, 19 de setembro de 2018

16/2018




Título: Psicopaita
Autor: Luís Coelho
Pontuação: 5*

"Este é um relato cru e honesto sobre como é ser-se pai de duas crianças. 

Sem figuras de estilo para dourar a pílula, sem maquilhagem para esconder as imperfeições e sem papas na língua. 
Há crianças que nasceram para dar cabo da vida como a conhecemos. 

O bebé Judas, o bebé Hitler e os meus dois filhos. 
O primeiro veio ao mundo para destruir o messias. 
O segundo para destruir a humanidade. 
Os meus filhos vieram para destruir a minha paciência e os seios da minha mulher." retirado de Wook



Para mim...
Sem palavras.
Aconselhado a quem tem filhos, a quem não tem filhos, a quem pensa em vir a ter filhos, a quem nem lhe passa pela cabeça vir a ter filhos, a quem (felizmente) já se viu livre dos seus. LEIAM!
Promete gargalhadas do início ao fim com uma narrativa nua e crua sobre como é ter filhos, sem floreados e sem tabus. 
Haviam tantas partes que pareceu que fui eu que as tinha escrito porque juro que tudo aquilo já me passou pela cabeça nestes 4 anos e meio.
Comprei este livro e ofereci a um colega de trabalho por partilharmos uma estreita relação assente em desabafos sobre como gostaríamos de nos ver livres dos nossos filhos. 
Ele achou que agora era eu que estava a precisar e emprestou-me para ler.

terça-feira, 18 de setembro de 2018

Respect

A parte boa de só se conhecer de vistas os outros pais das turmas das minhas filhas é que o nosso nome nunca aparece nas votações para representantes de turma.
Isso e levar um pai tatuado, careca e vestido de preto...

segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Menu da semana


Eu juro que ao fim de 15 dias morria de saudades de cozinhar.
De fazer o menu da semana na parte detrás dos talões do supermercado (reciclagem), comprar os ingredientes em falta, planear o que cozinhar repartido pelo fim-semana e comer!!
Comer é a melhor parte!

Menu vegetariano:
  • Sopa de brócolos passada
  • Sopa de ervilhas secas
  • Tarte de tomate e tofú
  • Bolonhesa de soja com esparguete
  • Caril de lentilhas e vegetais
  • Salada de massa penne


Menu macrobiótico:
  • Mingau de arroz
  • Sopa miso: lentilhas e tofú
  • Sopa legumes com cevada
  • Salada de feijão-frade com legumes e cevada
  • Esparguete integral com brócolos e cogumelos salteados
Extra vegetariano
  • 6 pães (para repor o stock no congelador)
  • Bolo mármore (veganização de receitas tradicionais)

sábado, 1 de setembro de 2018

15,1/2018


Título: Mínimos
Autor: ... desconhecido
Pontuação: 5,5*




"Desde o seu aparecimento que os Mínimos andam pelo planeta à procura do vilão certo para seguirem como mestre. Em busca do chefe perfeito, eles serviram dinossauros, reis e até monstros. Agora, querem um novo mestre… e só precisam de o encontrar! Junta-te ao Kevin, ao Stuart e ao Bob que correm mundo e entram no Congresso dos Vilões, sempre de olho no bandido (ou bandida!) mais abominável e capaz de os liderar." retirado de Fnac




Para mim...
Brincadeirinha!
Andei a estupidificar a ler livros mínimos que andavam cá por casa, foi desde os Mínimos aos 3 Pastorinhos (leitura muito diversificada).
Mas sinceramente os Mínimos conseguem sempre arrancar-me umas boas gargalhadas... principalmente quando eles abrem as cortinas no dia de aniversário do Drácula.

sexta-feira, 31 de agosto de 2018

Tenho uma histórias para vos contar

Neste meu último dia de trabalho antes das merecidas férias conto-vos a lenda do gabinete amaldiçoado.
Há muito, muito tempo (graças a todos os Santinhos) existiu um chefe que era muito estranho, ele fazia coisas estranhas e deslocadas de situação, passava o dia a berrar pelo nomes dos subordinados, tinha a mania que era o rei da macacada e não era bem aceite pelos demais.
Havia uma linda menina, de olhos verdes e tez branca como a neve (e mau feitio como o Belzebu) que não suportava o chefe e não perdia uma única oportunidade para o enervar ou simplesmente dizer-lhe que não ou que o trabalho estava mal feito.
Os dias passaram a semanas, as semanas a meses e meses a um ano e a linda menina passava o seu tempo em devaneios sobre as 1001 maneiras de matar o chefe e ela punha tanto a sua alma e vontade no que queria que virou o seu desejo mais profundo.

Heis que um dia as suas preces foram ouvidas e depois de um acidente automóvel em circunstâncias suspeitas e um problema de coração quando retornou ao serviço ela viu-se livre do chefe e retomou à sua rotina.

Mas desde esse dia que ninguém quer ocupar o gabinete maldito, dizem que os bonecos de voduu ainda se encontram colados debaixo da mesa e o cheiro a incenso e galinhas mortas ainda abundam naquele ínfimo espaço.
Assim a linda menina ganhou uma sala de almoço particular que até a empregada de limpeza pensa que lhe pertence... 




quinta-feira, 30 de agosto de 2018

Mais um estranho momento

Pós-almoço de cogumelos em que tudo nos passa a saber a cogumelos: fruta, café, bolachas...
Será problema dos cogumelos?
Serão alucinações?
Será da noite mal dormida que me afetou o paladar?


Isso ou cemitérios...