sexta-feira, 7 de abril de 2017

5/2017



Título: Gabriela, Cravo e Canela
Autor: Jorge Amado
Pontuação: 5*

"Gabriela, a mulata com a cor da canela e o cheiro do cravo, ficará na literatura como uma formosa figura de mulher, simples e espontânea, acima do Bem e do Mal. Com o seu inigualável lirismo e inspiração poética, Jorge Amado cria personagens inesquecíveis, e o comovente romance de amor do árabe Nacib e da mulata Gabriela coloca-os, sem dúvida, na galeria dos amantes da História da Literatura. Mas Gabriela, Cravo e Canela é mais do que a história de amor do árabe Nacib e da sertaneja Gabriela. É a crónica de uma pequena cidade baiana, Ilhéus, quando passava por bruscas transformações, por volta do ano de 1925. A riqueza trazida pelo cacau possibilitara o desenvolvimento urbanístico e o progresso económico, transformando profundamente a fisionomia da cidade. Pouco evoluíam, no entanto, os costumes dos habitantes, imperando, naquele cenário de violência, a lei dos mais fortes - os fazendeiros - que tendo a seu trabalho os jagunços, impunham o domínio do ódio e do terror. Sensual e inocente, sábia e pueril, a cozinheira Gabriela conquista não apenas o coração de Nacib e de uma porção de ilheenses, mas também o de leitores de vários países e gerações. Levada para a televisão, a sua história transformou-se numa das telenovelas brasileiras de maior sucesso pelo mundo fora. No cinema, o papel de Nacib é vivido por Marcello Mastroianni, e o de Gabriela por Sônia Braga, como já acontecera na novela." retirado de wook.pt


Para mim...

Desafio de Leitura 2017 - "Livro que tenha uma personagem com o teu nome"

36 anos à data que sou perseguida por esta personagem tão libertina de Gabriela.
Muitos questionam se o meu nome foi dado devido à novela, muitos afirmam que apresento muitos traços da mulata com cheiro a canela.
Nunca vi a novela original mas fiz questão de ver o "remake" de 2012 com Juliana Paes como "Gabriela", Humberto Martins no papel de "Nacib" e outros famosos do plano atual brasileiro como Ivete Sangalo, Mateus Solano,Chico Díaz, António Fagundes e a tão amada Dona Sinhazinha interpretada por Maitê Proença, entre outros.
Este livro permanecia adormecido nas minhas estantes há imensos anos, nunca tinha sentido o chamamento que me levasse a lê-lo.
A Gabriela sempre foi a minha sombra que nunca tinha tido curiosidade para o livro, este foi o ano e em nada me arrependo.
Maravilhoso!

Sem comentários: