quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Continuo com ar de perdida aos 36?

Quando era jovem e inconsciente era frequentemente abordada, nas ruas de Leiria, por aquelas velhotas queridas que espalham a palavra da religião que professam (vulgo "testemunhas de Jeová").
Num grupo enorme de jovens elas vinham só ter comigo, até que conclui que deveria ter um ar de quem andava perdida espiritualmente e necessitava de ajuda urgente para encontrar o caminho.
Passaram quase 18 anos desde esses tempos e uma noite, entre afazeres domésticos, entro no quarto de uma das minhas filhas e estão as duas sentadas na cama de terço nas mãos.
Devo ter feito tal expressão de espanto que nem foi preciso perguntar:

- "Mãe, estamos a rezar por ti e pelo pai."

Disse-lhe para continuarem que estavam a fazer um excelente trabalho, fechei a porta e pedi ajuda aos Deuses todos que me lembrei.

Sem comentários: