domingo, 19 de junho de 2016

Afinal não é depois dos 40

Esta semana em mais uma consulta de Hematologia o meu médico, no meio de duas gargalhadas enquanto falávamos de livros de fição e doentes inexplicavelmente curados, disse-me:
"- Gabriela, já não tens 18 anos. E depois dos quarenta se não doer qualquer coisa é porque se está morto!"
E lá vim eu feliz da vida, com a promessa de umas férias hospitalares, despedi-me das enfermeiras e menina da secretaria com um sorriso nos lábios e o desejo negro de esventrar todos os que me fazem a vida negra diariamente pela minha dieta de verduras.

Dois meses depois de iniciar os tratamentos, que em tudo correram mal, e quando a única opção era iniciar as transfusões de sangue heis que o médico decide dar-me um descanso.
Último estudo feito e aqui a menina passou de uma ferritina de 4 para 62, valor mais alto dos últimos meses. A dieta continua, o controlo obrigatório também mas o fantasma da transfusão de sangue vai ficar no armário mais uns meses "because life's a bitch, baby"! 

Se não fosse a talassemia eu até que passava por uma pessoa normal em qualquer lado!




Sem comentários: