segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Momento musical do fim-semana

Porque a educação começa em casa e acho que mais vale aprender comigo do que com os putos, por isso ensinei esta letra à adolescente cá de casa.
Isto no intervalo enquanto falávamos do período, bebes e o processo do nascimento.



P.S. Há uns fins-semana atrás já tinha ensinado esta.




domingo, 28 de fevereiro de 2016

Carta aos técnicos comerciais


Aos que trabalham comigo, aos que me tentam vender cartões no shopping, aos me que ligam a impingir empréstimos, seguros e coisas inacreditáveis.

Caros amigos,
Eu não sou a vossa mãe. (ponto final)
Por isso não contem com a minha simpatia, amizade ou compreensão.
Eu não tenho pachorra para ouvir a vossa conversa fiada e experimentem não me irritar ou pisar os calos.
Apesar dos meus 50kg mal pesados existem descargas de adrenalina (podem "google it") e eu sou detentora de um taco de baseball à medida da minha estatura física.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Odeio mulheres

É uma realidade, um facto que não escondo e um cromossoma indeciso no momento da minha conceção.
Eu deveria ter nascido rapaz, tenho todos os requisitos!
Odeio mulheres, odeio as mariquices das mulheres, odeio a falsidade das mulheres, odeio os dilemas existenciais das mulheres.
Tenho dias que mal me aturo a mim própria quanto mais aturar outra com problemas porque foi ao cabeleireiro, só queria cortar as pontas e saiu de lá sem um palmo de cabelo.
É cabelo! Ele cresce...
Há ainda aquelas conversas fantásticas que infelizmente assisto, quando uma está grávida e no seu estado normal odiavam-se... mas porque está grávida desejam-lhe muitas felicidades e que tenha uma hora pequenina.
O tanas!
Que demore 3 dias a parir e que a dita criança fiquei durante uns tempos entalada (vocês sabem bem onde) para que ela nos próximos 20 anos não consiga esquecer a dor.
Sim, odeio mulheres, ainda mais as falsas.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Planos para o futuro (coisa de gajas)

Eu e a Joana, um domingo à tarde e uma vontade terrível de planear uma maluqueira.
E não é que os filhos adotados começam a ficar iguaizinhos aos pais?
Como temos umas cerimónias importantes e a grande possibilidade de a avó morrer de desgosto, aqui fica o nosso plano para inícios de Agosto, cortar o cabelo.



domingo, 21 de fevereiro de 2016

Gabriela?

Gabriela, mas o que é que tens na testa?
Fácil, dei 2 cabeçadas em um chefe, fui passar a noite à prisão, estou à espera do julgamento e com processo disciplinar no trabalho.
A testa é a prova.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Extra! Extra!

É oficial, notícia de primeira mão, estamos finalmente a preparar um batizado.
Ou melhor 2.

E vai haver esta sexta-feira festa rija, porque sim, nós temos algo que festejar em grande.

domingo, 14 de fevereiro de 2016

Batem leve, levemente...





Batem leve, levemente, 
como quem chama por mim. 
Será chuva? Será gente? 
Gente não é, certamente 
e a chuva não bate assim.

É talvez a ventania: 
mas há pouco, há poucochinho, 
nem uma agulha bulia 
na quieta melancolia 
dos pinheiros do caminho...

Quem bate, assim, levemente, 
com tão estranha leveza, 
que mal se ouve, mal se sente? 
Não é chuva, nem é gente, 
nem é vento com certeza.

Fui ver. A neve caía 
do azul cinzento do céu, 
branca e leve, branca e fria... 
- Há quanto tempo a não via! 
E que saudades, Deus meu!

Olho-a através da vidraça. 
Pôs tudo da cor do linho. 
Passa gente e, quando passa, 
os passos imprime e traça 
na brancura do caminho...

Fico olhando esses sinais 
da pobre gente que avança, 
e noto, por entre os mais, 
os traços miniaturais 
duns pezitos de criança...

E descalcinhos, doridos... 
a neve deixa inda vê-los, 
primeiro, bem definidos, 
depois, em sulcos compridos, 
porque não podia erguê-los!...

Que quem já é pecador 
sofra tormentos, enfim! 
Mas as crianças, Senhor, 
porque lhes dais tanta dor?!... 
Porque padecem assim?!...

E uma infinita tristeza, 
uma funda turbação 
entra em mim, fica em mim presa. 
Cai neve na Natureza 
- e cai no meu coração.

Augusto Gil, Luar de Janeiro 


E assim foi mais um Dia dos Namorados com frio e chuva lá fora.

sábado, 13 de fevereiro de 2016

st valentine's questions

Prefiro não aprofundar muitos os meus pensamentos sobre o que terá levado a mais velha a ficar tão triste quando percebeu que o Dia dos Namorados não calhava num dia de escola...

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

02/2016



Nome: Danças e Contradanças
Autora: Joanne Harris
Pontuação: 3*

"As sarcásticas histórias de Danças & Contradanças podem ser resumidas em duas palavras: malévolas e maliciosas. Como em muitos dos seus romances, Joanne Harris consegue combinar de uma forma única situações e personagens comuns - e até banais - com o extraordinário e o inesperado. Mais do que nunca, a autora dá largas à sua imaginação e apresenta-nos uma exuberante e prodigiosa caixa de Pandora que contém tudo quanto é extravagante, estranho misterioso e perverso. De bruxas suburbanas a velhinhas provocadoras, monstros envelhecidos, vencedores da lotaria suicidas, lobisomens, mulheres-golfinho e fabricantes de adereços eróticos, estas são vinte e duas histórias onde o fantástico anda de mãos dadas com o mundano, o amargo com o doce, e onde o belo, o grotesco, o sedutor e o perturbador estão sempre a um passo de distância.
Escolham o vosso par, por favor. Danças & Contradanças é o primeiro livro de contos de Joanne Harris, que, com a mestria a que já nos habituou, consegue deliciar, surpreender, entreter e horrorizar em igual medida. Suficientemente longas para aguçar o apetite, e breves a ponto de serem lidas num piscar de olhos, estas são histórias maliciosas, divertidas, por vezes provocadoras, mas sempre pessoais e capazes de revelar uma faceta de Joanne Harris até agora desconhecida dos seus leitores." retirado de wook.pt


Para mim...
Esperava mais, depois de "Chocolate" esperava bem mais.
Pequenas histórias em que somente duas despertaram a minha atenção pela sua originalidade e maliciosidade, como o Mundo dde cabedal de Al e Christine. Divinal!

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

domingo, 7 de fevereiro de 2016

Vamos brincar ao Carnaval?


Uma vampira que para o ano quer ir vestida de Princesa zombie e uma gata de trombas que no dia decidiu que afinal queria ir de princesa... mas ninguém lhe passou cartucho.
E assim foi o Carnaval de 2016 em que fiz umas orelhas e rabinho de gato e de vampira pouco ou nada fiz ,mas vou dedicar-me a 200% no Carnaval do próximo ano e ter o prazer de esfarrapar um dos fatos horríveis de princesa que ali repousam do ano passado e criar uma princesa zombie.
Loving it!

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Filmografias - Doces ritmos descobertos

Hailee Steinfeld!

Uma gaita de 19 anos que tem aparecido com frequência em filmes que tenho visto e heis que no primeiro de 2016 abriu uma nova conjuntura juntamente com a nova atualização do Top 100 no Spotify levou-me a pesquisar por ela e foi vê-la em várias produções.



Título: Num outro tom
Ano: 2013
Género: drama / música
Duração: 1h44 min.
Realização: 
John Carney
Intérpretes: Keira KnightleyMark RuffaloAdam Levine 
Ratings: 7.5/10

"Gretta e Dave são dois namorados e parceiros na composição de músicas, que partem para Nova Iorque quando Dave consegue um contrato com uma grande empresa discográfica. Só que a fama e o sucesso  acabam por envolver Dave, que decide deixar a namorada. Mas o mundo de Gretta dá uma feliz reviravolta quando esta conhece Dan, um ex-executivo discográfico completamente falido e em desgraça, que fica imediatamente rendido ao talento em bruto de Gretta quando assiste a uma atuação num palco em East Village. Deste encontro casual resulta uma encantadora e transformadora colaboração, tendo como palco a banda sonora de um verão em Nova Iorque." retirado de mag.sapo.pt

Para mim... 
Eu uma fã incondicional de Keira fiquei espantada com este papel dela e da voz dela a cantar, desconhecia esta faceta dela e achei que até tinha boa voz. 
Adam Levine foi a surpresa, o vocalista dos Maroon  5 como personagem quase principal de um filme e que deliciou com imensas músicas. E claro a Haillee com a sua voz irreverente e que promete um grande futuro.
Um filme aprazível, para se ver uma só vez porque não transporta nada de transcendente.
Um casamento quase acabado e um executivo discográfico quase falido que encontra num bar a voz que andava à procura nos últimos anos.
Sem recursos para lançar um disco nos parâmetros normais lançam-se numa aventura de gravar pela cidade e a ajuda de muitos talentos que vão conhecendo.




quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Arrrgggghhhh...

Sair do trabalho com a genica toda, correr para a piscina, equipar-me num flash certa de que ia ser 1h de piscina sempre a dar.
Mal chego ao recinto e me passo por água concluo que me apetecia era ter ficado sossegada a ler um livro.
Foi 1h que demorou a passar...


terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

[[ Mudanças ]]

E lá ando eu de novo a mudar a mobília cá de casa.
Desmontei a sala, empacotei as cadeiras e mesa, e dei uma lavagem de cara ao hall de entrada.
Rumou ao sótão o bengaleiro, que levei 2 anos a encontrar e foi pintado por mim, foi substituído por uns ganchos 100% IKEA, uma prenda que viajou da Holanda cá para casa, oferta de uma grande amiga e uma sapateira.
Uma nova regra cá de casa: entrar e calçar chinelos.
Isso mesmo a partir de agora temos uma sapateira mesmo à entrada para trocar-mos de calçado e deixar-mos de andar com sapatos da rua cá por casa, as vantagens são inúmeras.



"Cats are like cookies... you can't have just one"

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Merengue com doce de morango





Sempre que fazemos salame guardo as claras no congelador para dias em que me dá uma vontade avassaladora de comer "Pinha Dourada" como lhe chama a minha mãe.
Super simples e fácil, as moças cá de casa nunca tinham provado, é surpreendente como as consigo maravilhar com coisas tão simples como açúcar e claras de ovo. Onde andaram elas estes anos de vida?

Ingredientes:

  • 6 claras
  • 140g de açúcar em pó
  • Margarina para untar
  • doce de morango


Bater as claras em castelo e ir juntando o açúcar aos poucos, batendo sempre até ficarem bem firmes.
Untar um tabuleiro e, com a ajuda de uma colher, colocar o merengue.
Vai ao forno, a 160ºC, por cerca de 20 minutos.
Retirar e deixar arrefecer.
À parte dilui o doce de morango num tacho com um pouco de água, deixei arrefecer.
Espalhar o doce por cima do merengue e está pronto para os mais gulosos.