domingo, 31 de janeiro de 2016

Os problemas são os mesmos só mudam as palavras

Durante anos ouvi colegas minhas queixarem-se que as suas crianças, volta e meia, diziam que elas eram más mães e que queriam mães novas.
Nós pais adotados passamos exatamente pelas mesmas experiências mas com vocabulário mais adaptado:
"- Eu não quero estar mais nesta casa, quero ir para uma casa nova."
Como lidar?
Aplicar um pouco de psicologia, um grande abraço e dizer:
"- A mãe gosta muito de ti!"

Acho que lhe criei mais uns quantos traumas psicológicos para os próximos 30 anos. 

Porque quando ela pensava que eu ia reagir com uma voz mais agressiva e dar-lhe a atenção que ela estava a exigir tentando magoar os que a rodeavam eu reagi exatamente o contrário... ainda agora ao deitar me perguntou se eu estava chateada com ela e eu respondi que não, só triste porque ela não gosta de mim.
Lá ficou com uma lágrima no olho.
Chego à sala e deparo-me com a mais velha escarrapachada no sofá a dizer:
"- Se ela quer ir embora vai, só me chateia a cabeça!"

E dizem que elas são irmãs de sangue, o tanas :)

Sem comentários: