terça-feira, 30 de junho de 2015

Combinações que me vão dar problemas

Eu tenho ali umas cuecas lisas cinzentas lindas, uma caixa cheia de tintas de tecido e uma paixão inexplicável por Mínimos...

sábado, 27 de junho de 2015

Ali para cima

Ergo as mãos ao céu em jeito de prece e digo:
"Por amor de Deus, este ano podes dar um jeitinho de eu ir?"



É que eu gosto tanto disto!!

sexta-feira, 26 de junho de 2015

"Para ti,


E num estalar de dedos tudo o que tinha para escrever esvaziou-se-me da mente simplesmente por recordar o facto de que não gostas de ler.
Mas porquê a decisão de escrever?
Porque é uma parte de mim, algo com que sinto uma relação profunda. As palavras audíveis o vento leva-as, a memória apaga-as e até nós, no nosso consciente, alteramos o seu significado, as acções nunca saíram de mim realmente o que eu sinto, sempre foram mais actos que a transmissão de qualquer coisa que viva dentro de mim.
A escrita é a maneira mais pura de transmitir o que sou em parte, o que faço aqui e o que me preenche.
Perguntas-te-me o porquê da “graça”, não sei… não sei!
Há coisas que por mais que reflictamos sobre elas simplesmente não conseguimos explicar a razão de acontecerem. Simplesmente acontecem e é assim que tento lidar.
Não faço ideia o porquê, nem a razão de continuar e teimar em não passar.
Não vieste preencher nenhum buraco ou lacuna que existe-se na minha vida, nunca os tive porque sempre esperei só de mim preencher o quer que falta-se, cabalmente vieste encaixar uma peça neste meu puzzle que eu ainda não tinha conseguido entender o seu lugar.
Por mais noites que passe acordada a tentar perceber, mais razões vou adicionando à lista, como se eu visse as minhas imperfeições espelhados em ti e me apercebe-se que afinal de imperfeita pouco ou nada tenho. A sensação de não pertencer aqui nem a lado nenhum simplesmente desvaneceu e o que me ensinaste, que para ti é tão óbvio, veio abrir-me os olhos para algo que eu só via em parte.
O que gosto em ti? Tanta coisa…
Gosto do teu cheiro, da mistura do teu perfume com o cheiro da tua pele, é quente e acolhedor, faz-me sentir em paz. Sem o turbilhão que normalmente eu sou;
Gosto dos teus olhos, das tuas pestanas compridas, do teu olhar sincero e de como consegues sorrir só com o olhar;
Gosto do teu sorriso, porque quando te ris sinto que vêm mesmo de ti e não por etiqueta da sociedade que nos manda rir quando nos é devido. Gosto das covinhas nas bochechas e do aparelho nos dentes, dão-te um ar de menino traquinas;
Gosto da tua postura calma, emanas que estás sempre no sítio certo da maneira certa;
Gosto do teu mau-feitio, que para mim nunca o entendi como isso mas como uma defesa, algo que enraizaste para os outros te verem forte e impenetrável (por isso afirmares que ninguém vai à bola contigo), mas que aos meus olhos simplesmente sempre vi como a maneira de te protegeres do que nos ataca de todas as frentes e que eu ainda não consegui aprender.
Sempre te senti como frágil e de sentimentos profundos, mas eu posso também estar errada. Errar é o que nos faz seres humanos…
Gosto de ti porque ao pé de ti tudo é tão simples como respirar;
Gosto da tua inteligência, é desafiante! Confesso que sempre foi um problema meu com os outros, não serem desafiantes o suficiente para se tornarem interessantes;
Será que foi por isto?
Gosto da tua maneira de ver o mundo e os outros, do modo como discutes as coisas mais banais como os problemas mais graves, com sinceridade, objectividade e sem floreados ou dar ouvidos ao que a sociedade nos incute desde o momento que viemos a este mundo. Não tens receio de expor o que pensas, sem o medo de ser julgado;
Gosto de ti simplesmente pelo que és, por me teres deixado entrar no teu mundo sem pedires nada em troca e me deixares ser o que eu sou cá dentro. Dizer o que sinto, o que me vai na alma, extravasar a raiva que tenho e não sei controlar, tentares puxar de mim o que tento reprimir como um trauma de infância e tantas outras coisas que nem a ti me atrevo confessar porque a minha cabeça é um turbilhão tão grande de anseios, mágoas, sentimentos que não sei como expressar;
Gosto de ti porque apesar de não perceberes o porquê de eu gostar de ti respeitas-te-me. Mesmo nos dias em que eu preciso de mais e tu só me dás o que tens para dar e que eu mereço, para continuar a ser quem sou e não me perder;

Dizer-te o que sinto nunca foi com a intenção de te magoar ou causar qualquer tipo de afastamento ou confusão. No dia em que disseres basta, para mim bastará, respeito mais os sentimentos dos outros que os meus.
Impeli-me de o dizer pelo simples facto de que se morrer amanhã quero que saibam o amor que sinto por eles, o quão são especiais para mim, o quão especial te tornas-te para mim sem que eu percebe-se o porquê.
Não foi egoísmo por só pensar em mim e no meu umbigo, mas uma necessidade de transmitir o que de bom e puro há em mim, o que me faz sentir viva e sorrir."


21-12-2014

quinta-feira, 25 de junho de 2015

14/2015





Nome: As 50 sombras mais negras
Autora: E.L. James
Pontuação: 5*

"Perseguida pelos negros segredos que atormentam Christian Grey, Anastasia Steele separa-se dele, e começa uma carreira numa prestigiada editora de Seattle.
Mas por mais que tente, Anastasia não o consegue esquecer - ele continua a dominar-lhe todos os pensamentos. E quando Christian lhe propõe reatarem a relação com um novo e diferente acordo, ela não consegue resistir. Aos poucos, uma a uma, começam a revelar-se as Cinquenta Sombras que torturam o seu autoritário e dominador amante.
Enquanto Grey se debate com os seus demónios, e revela a Anastasia um lado inesperadamente romântico, ela vê-se obrigada a tomar a mais importante decisão da sua vida.
Uma escolha que só ela pode fazer…" em wook.pt



Para mim...
Apaixonou-me!
Este desenrolar da história era mais que esperado, uma das partes teria que ceder à outra, só não esperava uma abertura tão grande por parte de Christian...ao ponto de casamento (ups, lá se foi a história do 3.º livro).

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Para que serve um(a) chefe?

Ora após largos anos de vasta experiência a lidar com chefias consegui reunir um conjunto de funções para as quais eles são realmente necessários:
 - atender clientes chatos;
 - resolver o que não me apetece;
 - reclamar com a empregada de limpeza;
 - ouvir enquanto eu reclamo;

Mas nunca, nunca são precisos para receber encomendas e assinar papelada quando o moço da transportadora é todo jeitoso, musculado e tatuado e daqueles que sorri com os olhos.

Baba...




terça-feira, 23 de junho de 2015

A noite de hoje: Dedicatória dos pais para uma filha especial

Trabalho de casa pedido pela educadora da Beatriz e eu sem saber o que raio escrever até que se fez luz e saiu isto:

- "Onde fica a saída?" - perguntou Alice ao Gato que Ria
- "Depende" - respondeu o Gato
- "De quê?" - replicou Alice
- "Depende de para onde queres ir..."

E nesta nova etapa que está quase, quase a começar abrem-se tantos caminhos!
Mas o pai e a mãe vão cá estar sempre para te ajudar a escolher e amparar na caminhada.
Seja eles com o Chapeleiro Louco, com o Coelho Branco ou com o Gato que Ri.

Com muito amor e carinho do pai, mãe e, claro, da mana.



segunda-feira, 22 de junho de 2015

Gostos sádicos

Como eu gosto de pessoas que atravessam a estrada fora da passadeira.
Como eu adoro imaginar os solavancos que o carro daria ao passar-lhe por cima.


domingo, 21 de junho de 2015

Coisas fantásticas ao domingo - 25.º

Viagem de carro demorada, eu a derreter de calor e de sono, eles nisto...




Alto e a abanar a cabeça dentro do carro.

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Para ti amiga

"Tudo quanto vive provém daquilo que morreu."

Platão

Apesar de não ter estado presente fisicamente o meu espírito não te abandonou o dia todo.
Sou melhor a escrever do que a falar sobre sentimentos e sei o quanto doí perder alguém, o egoísmo que é querermos que esse alguém estivesse entre nós só porque ainda não estamos preparados para o deixar ir. Será que alguma vez o vamos estar?
Dizem que o tempo tudo cura, eu não concordo. O tempo somente faz-nos recordar os bons momentos e as pessoas que perdemos com saudade e carinho.
A ti, enquanto eu cá estiver e tiveres que me aturar, podes contar com o meu carinho, sorriso, amizade e amor.
Obrigado por tudo!

quarta-feira, 17 de junho de 2015

terça-feira, 16 de junho de 2015

13/2015


Nome: As 50 sombras de Grey
Autora: E.L. James
Pontuação: 5*

"As Cinquenta Sombras de Grey é um romance obsessivo, viciante e que fica na nossa memória para sempre.

Anastasia Steele é uma estudante de literatura jovem e inexperiente. Christian Grey é o temido e carismático presidente de uma poderosa corporação internacional. O destino levará Anastasia a entrevistá-lo. No ambiente sofisticado e luxuoso de um arranha-céus, ela descobre-se estranhamente atraída por aquele homem enigmático, cuja beleza corta a respiração. Voltarão a encontrar-se dias mais tarde, por acaso ou talvez não. O implacável homem de negócios revela-se incapaz de resistir ao discreto charme da estudante. Ele quer desesperadamente possuí-la. Mas apenas se ela aceitar os bizarros termos que ele propõe... Anastasia hesita. Todo aquele poder a assusta - os aviões privados, os carros topo de gama, os guarda-costas... Mas teme ainda mais as peculiares inclinações de Grey, as suas exigências, a obsessão pelo controlo… E uma voracidade sexual que parece não conhecer quaisquer limites. Dividida entre os negros segredos que ele esconde e o seu próprio e irreprimível desejo, Anastasia vacila. Estará pronta para ceder? Para entrar finalmente no Quarto Vermelho da Dor?As Cinquenta Sombras de Grey é o primeiro volume da trilogia de E. L. James que é já o maior fenómeno literário do ano em todos os países onde foi publicado." em wook.pt


Para mim...
Quem diria que eu ia conseguir superar-me e alterar o meu estilo literário?
Saltar de fição juvenil para erotismo foi um choque e confesso o meu falta de a vontade mas "mente aberta" tem sido o meu lema e acabei por me apaixonar pela história para lá das cenas demasiado descritivas que roçam o pornográfico.
E porque o nosso lema é agradar estou a ler a coleção toda até ao fim e vou esperar impaciente pelo livro extra quando sair em Portugal.

segunda-feira, 15 de junho de 2015

The 8º

Apresento a Minnie.

E assim continua a tradição de meninas por "M", esta de apenas poucas semanas no dia em que a resgatei do pinhal onde tinha sido abandonada dentro de uma caixa de cartão.
O lugar vago já se encontra ocupado!

domingo, 14 de junho de 2015

Coisas fantásticas ao domingo - 24.º

Uns chamam-lhe de maldição, outros apelidam de dom, mas confesso a estreita ligação que com os anos desenvolvi com essa raça felina chamados gatos.

A matilha perde um, logo aparece outro a ocupar o lugar vago e agora sou mãe de uma cria de semanas que me sobe pelos cortinados e delira com o meu pestanejar de olhos.

Invado propriedade privada e acabo a semana a acariciar uma gata ferida enquanto é eutanasiada, só porque é o máximo que posso fazer naquele momento por aquela alma.

Qual é o sentimento que me percorre? Impotência, insuficiência, desalento, tristeza, nada é suficiente para aplacar esta dor vinda sabe-se lá de onde e que se instalou sabe-se lá porquê.


São eles que me lembram que ainda não encontrei o meu lugar nesta minha vida…

quarta-feira, 10 de junho de 2015

Porque tudo gira em torno da música

Ela a entrar aos gritos e aos saltos casa dentro.
- Mãe, já escolhi o instrumento que vou aprender a tocar!
- Ai sim, ao fim de 1 ano na escola de música finalmente escolheste?
- Sim! Não adivinhas qual é?
- Diz...
- BATERIA!!
(silêncio profundo comigo estarrecida e atónita a olhar para ela enquanto o meu Tico fazia uma chamada via rádio para o Teco a fim de conferenciar a informação acabada de receber)
- Bateria, Joana?
- Sim, vou acordar os vizinhos todos. (mais saltos)
Entra o Hugo com uma cara ainda mais desolada.

Juro que nos últimos dias não posso ouvir falar em baterias, nem das dos telemóveis.

segunda-feira, 8 de junho de 2015

Eu não ando, eu deslizo..

É assim uma 2.ª feira depois de um fim-semana de noitadas...
Para a próxima tenho que me meter com alguém da minha idade e não com duas miúdas com genica para dar e vender.
Cama...

domingo, 7 de junho de 2015

Coisas fantásticas ao domingo - 23.º



D.A.M.A.

Festas da cidade da Marinha Grande - Parque da Cerca

No dia de aniversário dele, o presente ser para nós, cantarmos que nem umas desalmadas e gritarmos com a multidão até às tantas.
Aquilo parecia um Rock in Rio versão de trazer por casa. Adorei!



Fotos do Município da Marinha Grande

sábado, 6 de junho de 2015

Clã



"Hey tenho asas nos pés,
Tenho asas
Hey tenho molas nos pés,
E salto"

Festas da cidade da Marinha Grande - Parque da Cerca


Sou tanto eu!!

sexta-feira, 5 de junho de 2015

1.ºAno


E principalmente quem mudou fui eu.

Pela primeira vez aceitei-me como sou, o meu corpo com todos os seus defeitos e belezas. Culpa delas ou não mas deixei de me sentir intimidade por usar roupa justa ou mini-saia imprópria para a idade, não pela irreverência mas simplesmente porque me sinto bem. A magreza já não me causa desconforto.
Sinto falta do barulho quando elas não estão, das teorias da batata e até dos já acentuados sintomas de adolescência.
Aprendi a gostar dos abraços e dos beijos na boca.
Redefini prioridades.
Decidi que afinal gostava de viver mais uns anos e que a minha passagem pelos hospitais vai ser somente mais um teste à minha resistência.
Partilhei o que mais prezo: gatos, música, leitura, ser irreverente, respeitar o mundo em que vivemos...

Sinto que se cumpriu um dos meus grandes objectivos nesta vida: ser mãe de coração.

quarta-feira, 3 de junho de 2015

12/2015



Nome: Convergente
Autora: Veronica Roth
Pontuação: 4*


"A sociedade de fações em que Tris Prior acreditava está destruída - dilacerada por atos de violência e lutas de poder, e marcada para sempre pela perda e pela traição. Assim, quando lhe é oferecida a oportunidade de explorar o mundo para além dos limites que conhece, Tris aceita o desafio. Talvez ela e Tobias possam encontrar, do outro lado da barreira, uma vida mais simples, livre de mentiras complicadas, lealdades confusas e memórias dolorosas.

Mas a nova realidade de Tris é ainda mais assustadora do que a que deixou para trás. As descobertas recentes revelam-se vazias de sentido, e a angústia que geram altera as vontades daqueles que mais ama.
Uma vez mais, Tris tem de lutar para compreender as complexidades da natureza humana ao mesmo tempo que enfrenta escolhas impossíveis de coragem, lealdade, sacrifício e amor.

Alternando as perspetivas de Tris e Quatro, Convergente, encerra de forma poderosa a série que cativou milhões de leitores em todo o mundo, revelando por fim os segredos do universo Divergente." em wook.pt



Para mim...
O último livro da saga e o que mais me custou a ler por se tornar tão desesperado, tão triste, tão sem rumo.
A história contada em alternância entre Tobias e Tris obriga-nos a uma atenção redobrada e os sentimentos ambíguos dos dois acabam-se por baralhar.
O fim foi do mais inesperado possível e desenterrou em mim a velha frase "não há histórias de amor com final feliz".


"... isto é o que o amor faz quando está certo - faz de nós mais do que somos, mais do que pensávamos que podíamos ser."

"Desde pequeno sempre soube isto: a vida magoa-nos, a todos nós. Não podemos escapar aos seus danos.
Mas, agora, estou também a aprender isto: o nosso coração pode ser concertado. Consertamo-nos uns aos outros."

terça-feira, 2 de junho de 2015

Perguntas irritantes merecem respostas parvas

- Sangra?
- Quando me corto, claro!
- Não tem a menstruação??
- Sou mulher, claro que tenho, isso é óbvio!


- É doadora de sangue?
- Não.
- Também com o sangue assim não era aceite.
(eu a ferver em pouca água)
- Nunca foi por esse motivo...
(cara do médico de Poker Face)
- Então?
- Tenho menos de 50kg, disseram-me sempre que não podia doar.
(mete-se a médica a espreitar-me)
- Menos de 50kg? Deve ser mesmo minorca...


E falto eu ao trabalho para ir a uma convocatória ao hospital!