quinta-feira, 2 de abril de 2015

Grandes males merecem remédios diferentes

Ao fim de já 3 anos de uma luta contra o fantasma de ter uma grande probabilidade de desenvolver cancro da mama dei mais um pequeno passo.
Farta de exames de rotina, medicamentos que me mudam os humores e enfraquecem o corpo e resultados positivos têm sido nenhuns, há muito que cheguei a uma encruzilhada.
Medicina convencional e não convencional defendem teorias diferentes e por mais que eu estude o assunto as terapias não convencionais têm ganho cada vez mais o meu partido.
Tendo já feito auriculoterapia há uns anos com excelentes resultados, mudei a alimentação e sanei pequenos problemas, iniciei a prática de meditação e sou yogini afincada desde este ano, acalmei o espírito e aclarei as ideias mas sinto que ainda não é o suficiente.



Apesar do meu conhecido pavor por agulhas ganhei coragem e comecei hoje tratamentos de acupuntura.
Custou muito menos que o medo que eu levava disfarçado pela ansiedade.
Agora envergo 2 lindíssimos pensos nas orelhas que funcionam muito como auriculoterapia e daqui a 1 mês/4 sessões já se fará um relatório dos resultados.
O novo programa envolve a eliminação definitiva de mais alguns alimentos (que por acaso já tinha sido sugerido pela naturopata) como o leite (mesmo sem lactose) e o glúten, exercício físico afincado, dormir melhor e lutar contra a minha essência de "speed".

Sem comentários: