quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

[[ Dói ]]

Quando o mundo parece desabar e todas as minhas estruturas deixarem de ter qualquer sentido.
Sinto eu que começa a ser o "eu" a estrutura dos que me rodeiam, que no auge dos meus 34 anos pesa...
Pesa nos ombros, na cabeça quando a deito na almofada à noite.
Fecho os olhos e deixo-me embalar na música, o meu refúgio entre tantos que arranjei.
Porque fugir agora não é opção, ficar é a minha obrigação e ser forte por todos.


Sem comentários: