quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Mais um fim, o começo de um novo início

Nostalgia de fim de ano é o que lhe podemos chamar, aquele aperto por mais um ano passar e revermos 365 dias que correram e tanto ficou por dizer/fazer mas que muito mais foi feito/dito.

Não posso dizer que termino 2014 mais feliz do que comecei, seria contradizer a minha alma, acabo o ano de asa ferida e a remar contra a maré.

2014 foi um ano de muitas mudanças, umas boas outras más, muita gente entrou e saiu da minha vida deixando marcas profundas que só o tempo conseguirá acalmar.

Termino ciente que nunca devemos de nos abandonar para correr atrás de bens/pessoas negligenciando-nos, colocando tudo antes de nós. Deixando nós mesmo de existir, deixando o fogo extinguir-se aos poucos até que só uma trémula chama sobrevive. Fraca, periclitante...

2014 ensinou-me muito, que não precisava de tanto para ser feliz, que já o era antes.
Ensinou-me que sou sensível e uma esponja aos sentimentos dos outros, embebi as suas alegrias, tristezas, raivas, ansiedades durante meses a fio. Vivi-as mais que eles.
Ensinou-me que a paz encontra-se dentro de mim, sempre esteve, que não preciso de ter medo de lhe dar a mão.
Ensinou-me que existe um outro eu, mais espiritual que esteve sempre ali e eu nunca lhe tinha dado oportunidade.
Ensinou-me que devo agradecer o simples facto de respirar, de poder sentir o meu corpo, de poder dizer o amor que sinto, poder ajoelhar-me perante a Mãe Terra e agradecer por me ter criado.

Para 2015 desejo somente que a saúde esteja do meu lado, que tenha paz de espírito para continuar a lutar e decidir tudo o que ficou pendente deste ano que termina, desejo que a chama do meu coração se inflame e volte a aquecer o resto do meu corpo.
Porque mais nada preciso...





1 comentário:

Isália disse...

Eu não diria melhor. Não sei porquê, mas revejo-me em algumas das tuas palavras :) Um beijo grande