quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Ás vezes

Rio-me e choro, nem sei o que realmente sinto.
Raiva?
Tristeza?
Estupidez?

Ou será simplesmente a revolta à tanto predestinada?
A minha previsão astral para esta altura do ano previa:

"Este poderá ser um período bastante desanimador. Suas energias vitais entrarão na maior baixa dos últimos vinte e nove anos, podendo fazê-la sentir-se incapaz de enfrentar as adversidades que muitas vezes acompanham este trânsito." (provado letra por letra, felizmente este período está no seu terminus)

E começou este:

"É bem possível que este trânsito represente a chegada de alguém que exerça em sua vida o papel de guia ou mestre em sua busca de conhecimento." (porque é que sinto que esta pessoa já chegou e já está de partida?)




Ás vezes não sei o que queres e eu digo ok,
Ás vezes não sei o que faço e tu está bem,
Ás vezes fazes de propósito eu sei,
Uma vez não são vezes e eu não digo a ninguém...

1 comentário:

Cartas a Si disse...

Eu acredito que as pessoas só ficam na nossa vida o tempo necessário para nos ensinarem aquilo que precisamos de aprender. Umas ficam mais tempo outras menos, o que importa é o que aprendemos com elas, o quanto elas contribuiram para nos tornarmos pessoas melhores.