quarta-feira, 28 de agosto de 2013

13/2013

Das minhas muitas metas para este ano ler era uma delas, nascida de uma família de ávidos leitores e do mais variado, irmã de um aficionado igualmente por leitura, recriminei-me durante anos por ter quase abandonado uma das coisas que sempre me deu mais prazer desde criança.
Fã do Tio Patinhas e da Mafalda (a contestária), a história da minha infância foi sem dúvida o Leão e a Feiticeira Branca lido pela noite dentro às escondidas vezes e vezes sem conta.

E lá arrumei hoje o meu 13.º livro deste ano, quando a minha meta tinha sido os 12 para o ano inteiro...


O mais extenso da saga e que de mostrou ser bem diferente do filme com que fomos apresentados.

Sem comentários: