terça-feira, 2 de abril de 2013

Supera-te!

Um título que me faz lembrar a coleção de livros que ando a fazer, todos comprados na Livraria do Santuário de Fátima cada vez que vou lá.
Uma coleção de pequenos livros de auto-ajuda ilustrados da editora Paulinas que refletem sobre os mais variados temas e que superarmos-nos de certeza que deveria constar num deles.
Não estou a querer dizer que nos devemos impor sobre os outros, mas sim, e somente, impormos-nos a nós próprios para não nos limitar-mos simplesmente a viver mas passar efetivamente a VIVER.

Infelizmente todos nós na vida nos encontramos limitados em muitos aspectos, no meu caso a saúde limita-me em muita coisa, desde alimentação a atividades físicas.
Mas no que me é permitido fazer eu tento não me acomodar e procurar sempre o lado "B" da vida.
Uma vez que fui obrigada a deixar a ginástica passei a ir à piscina, o que não desgosto porque é das poucas situações em que gosto de ver água e estar dentro dela.
Mas já que vou lá porquê ir sempre à mesma onde tenho pé e ao lado estão os velhotes na hidroginástica?
Porque não ir para a de competição onde não tenho pé em ponta nenhuma e a água é gelado como tudo?
Assim fui, única fila disponível uma das do meio sem escadas para poder descer, eu cá saltei.
Ia morrendo de hipotermia mas isso foi somente um pormenor.
Quando me fartei tinha que sair dali e lá está, a falta de ingestão de proteínas (como me diz o chefe) ia-me me obrigando a fazer sala lá a tarde toda porque não tive força de braços para erguer o meu corpo e sair de lá pelo mesmo lado que entrei.
Se passei vergonha? Um bocado...
Se alguém fui a minha meia dúzia de tentativas e ficar sempre de peito estatelado no muro? Não faço ideia...
O certo é que ninguém se ofereceu para me dar um empurrão no rabo e eu tive que engolir o orgulho e atravessar as outras pistas para ir dar à escada e assim poder sair dali.
Para a próxima volto lá e hei-de tentar sair à força de braços até conseguir.




Sem comentários: