terça-feira, 30 de abril de 2013

Dias estranhos

Uma 3.ª feira com traços de 6.ª feira,
Estamos a poucas horas do mês Maio e ainda uso botas,
Está sol mas chove lá fora,
Os anos têm passado tão rápido que as marcas não passam despercebidas...



segunda-feira, 29 de abril de 2013

Música à segunda...

As 2.ª feiras são os meus dias estranhos.
Cada 2.ª feira é um estado de espírito diferente, descrito hoje numa música seria esta.




domingo, 28 de abril de 2013

Eu e as flores, as flores e eu: uma relação muito tensa

Hoje foi dia de jardinagem cá por casa.
Por incrível que pareça entre as várias plantas que tinha que morreram (até cactos) tive uma que cresceu como "cabelo em cão", ao ponto de a minha mãe aconselhar em mudar a desgraçada de vaso porque já era pequeno demais para a grandeza da planta.
Assim foi!


Quanto ao cesto de cactos, aqui vai a atualização depois de 3 deles terem ido parar ao caixote do lixo. foram trocados por erva para gatos que já está em crescimento a 2.º ronda.



Aqui a planta já fora do rebanho, que tinha vasos todos iguais: malvada!


sábado, 27 de abril de 2013

2 livros, 2 filmes - 3 e 4/2013

Estar doente, apesar de tudo, tem as suas vantagens, finalmente estou dentro do meu plano de leitura para este ano: 1 livro por mês.
Devido a uma alergia dormir tem sido algo a que tenho dedicado muito pouco tempo, então li, arrumei 2 livros no mesmo mês e vi os respetivos filmes para cimentar as histórias no meu inconsciente.




Título: As palavras que nunca te direi
Ano: 1999
Género: Drama / romance
Duração: 131 min.
Realização:  
Luis Mandoki
Intérpretes:  
Kevin CostnerRobin WrightPaul Newman 
Ratings :  5.8/10




"Message in a Bottle" conta a bela história de amor entre Garret Blake, um construtor naval que ainda chora a morte da mulher e Theresa Osborne, uma jornalista ainda afectada por um casamento falhado.

Eles conhecem-se quando Theresa encontra uma mensagem que Garret escreveu para a sua falecida mulher, meteu dentro de uma garrafa e lançou para o mar. A mensagem é publicada no jornal de Theresa e estimula o interesse do público. Outras mensagens dentro de garrafas são encontradas e Theresa decide ir conhecer pessoalmento o poeta náutico..."


Para mim...
Para muitas colegas foi o primeiro livro que leram após terem deixado a leitura juvenil, eu sem dúvida e pelo aspeto do livro foi dos primeiros que comprei mas que nunca tinha lido na íntegra.
Para mim tudo na vida tem um tempo certo para acontecer e agora chegou o tempo de finalmente ler e gostar da história.
O filme, como é óbvio, já tinha visto um milhão de vezes, mas depois de ler o livro foi uma estranha coincidência ter passado na televisão e assim tive oportunidade de rever e soube muito melhor.







Título: Extremamente Alto, Incrivelmente perto
Ano: 2011
Género: Aventura / drama / mistério
Duração: 129 min.
Realização:  
Stephen Daldry
Intérpretes:  
Tom HanksThomas HornSandra Bullock 
Ratings :  6.8/10



"Oskar Schell, de 11 anos, é uma criança excepcional: inventor amador, francófilo, pacifista. Depois de encontrar uma misteriosa chave que pertencia ao seu pai, que morreu no 11 de Setembro no Wall Trade Center, ele embarca numa excepcional viagem – uma urgente e secreta pesquisa através dos cinco distritos de Nova Iorque. Enquanto vagueia pela cidade, Oskar encontra uma grande variedade de diferentes pessoas, cada uma sobrevivente no seu próprio modo. No final, a viagem de Oskar termina onde começa, mas com o consolo da maior experiência humana: o amor."

Para mim...
Tive imensa dificuldade em ler o livro, achei-o imensamente confuso e ver o filme foi como uma lufada de ar fresco que me deu uma visão totalmente diferente da história e muito mais esclarecedora. 
Ler o resto do livro que me faltava foi rápido depois de perceber e encaixar toda a história na minha cabeça.

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Eu não entendo os homens - Capítulo 837

Eu - Olhas queres fruta? Tenho ali meloa que comprei de propósito porque sei que gostas.
Ele - Não, estou cheio.
(passado um bocado estava eu a arrumar o frigorífico)
Eu - Ainda aqui há pudim!
Ele - Ah, pode ser um pudim então!


Expliquem-me como se eu tivesse 3 anos, até podem fazer um esquema: os homens estão só cheios quando é fruta ou pudim entra mesmo que não se tenha fome?


Gabriela



quinta-feira, 25 de abril de 2013

Feriado?

Alguém disse que hoje era feriado, a mim soou-me a um dia quase normal.
Fui trabalhar, trabalhei cá em casa e tenho 1001 coisas para fazer antes de me deitar.

Qualquer dia faço uma revolução...


Gabriela

terça-feira, 23 de abril de 2013

Good girl

Adoro música, quando digo mesmo que adoro é algo que nem sei descrever. Sinto como se as notas percorressem cada parte do meu corpo.
Ouço o mais variado leque de música que poderão pensar e tenho como favoritas das mais variadas.
Nos últimos dias esta começou a passar na rádio e ficou-me na orelha...





"Tried to domesticate you

But you're an animal
Baby, it's in your nature
Just let me liberate you
You don't need no papers
That man is not your maker
And that's why I'm gon' take a ... good girl"


Se dedica-se a alguém seria a mim e a uma das minhas melhores amigas, a vizinha, porque nós somos "good girls" e ninguém nos consegue domesticar.
Oh, yeah!

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Verdades inquestionáveis

O chefe: "- Prestem mais atenção ao que digo, férias fazem mal à saúde... vejam como esta veio!"



O meu chefe é assim tipo um Dalai Lama das verdades que não consigo contrariar, ele tem razão.

domingo, 21 de abril de 2013

4 to 5

5 dias inteiros que eu podia ficar sem fazer nada e passei logo 4 deles doente.
E quando eu digo doente, é mesmo doente... aliás não há nada mais que eu deseje de momento do que conseguir dormir uma noite que seja.
Maldita sejas!
Farta desta pouca sorte hoje mandei tudo às urtigas e o meu aperitivo para para o almoço foi 2 fatias de pão fresco com chocolate e um cálice de vinho do Porto Branco. 



Não tenho vergonha de o dizer: como eu adoro ir trabalhar todos os dias!

terça-feira, 16 de abril de 2013

Pensamentos de um gato

Margarida a olhar o horizonte a ver se vê algum gato ranhoso...



Margarida a gritar: "Ou largas a máquina fotográfica ou eu parto-te isso tudo!"...


segunda-feira, 15 de abril de 2013

Culinária via "E-Learning"

Ao fim de 3 tentativas falhadas de fazer um bolo a visão de ter que levar um para o trabalho assombrou-me os pensamentos.
Mas como não sou de cruzar os braços recorri ao e-learning com esta menina e fiz este bolo, juntei-lhe uma cobertura de chocolate e fui trabalhar com orgulho.




Amanhã vou já repetir para a minha progenitora!

domingo, 14 de abril de 2013

Facto

De hoje a 1 mês faço 33 anos...



Não é nostalgia de estar envelhecer mas urgência de ainda querer fazer tanto que me faz sentir borboletas na barriga.

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Mito

Quem disse que os homens não reparam nos pormenores?

Um ser do sexo masculino:
"-Estás mais gordinha! Ou então é do cabelo? Que é que fizeste ao cabelo?"

A minha reação: choque!

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Filmografia


Título: O exótico Hotel Marigold
Ano: 2011
Género: Drama / comédia
Duração: 124 min.
Realização:  
John Madden
Intérpretes:  
Judi DenchBill NighyMaggie Smith
Ratings :  7.2/10



Um grupo de britânicos aposentados decide ir à descoberta da Índia, por forma a disfrutarem do seu merecido período de reforma numa luxuosa estância turística. Apesar do luxo publicitado em pouco ou nada corresponder à realidade, o agora "Exótico" Hotel Marigold irá progressivamente proporcionar aos seus hóspedes o charme inebriante e revitalizador da Índia, ainda que por vias pouco convencionais.

Um filme do realizador de "A Paixão de Shakespeare", com um elenco de luxo: Judi Dench, Bill Nighy, Tom Wilkinson e Maggie Smith. (descrição de Fox)



Para mim...
O meu filme de sábado à noite, tenho a felicidade de ter os TVcines e estarem constantemente a passar filmes que de um modo ou de outro estão na minha lista.
Um filme sobre a coragem de mudar mesmo quando todos acham que chegámos ao fim...

"Tudo fica perfeito no fim, se ainda não está perfeito é porque ainda não chegou ao fim!"

terça-feira, 9 de abril de 2013

Mudanças cansam (parte 2)

Mudanças são necessárias, é todo um processo de crescimento e toda uma metamorfose.
Existe quem seja reticente e outros que as abracem como se fossem alimento para a alma.
Mas nas mudanças muito se perde, um balanço entre o que se ganha e o que perdemos em que muitas vezes a balança pesa mais no que perdermos; perdemos pessoas, perdemos sentimentos, perdemos paixões, perdemos família...
Desde que me considero adulta que a mudança é um estado normal na minha vida, mudanças de paixão, mudanças de casa, mudanças de trabalho, mudanças de sítios, mudanças de hábitos.
Cresci, chorei, ri, perdi, ganhei.
Se colocar tudo na balança posso concluir que as minhas mudanças de agora são mais positivas, em que as perdas são quase mínimas e o ganho é surpreendente.
Mas no meio disto tudo perco amigos.

Não!

Amigos não se perdem...
Se não eram realmente amigos porque hei-de chorar por já não sermos uns para os outros o que éramos quando simplesmente mudámos algo?

Perdi amigos, sim foram as minhas únicas perdas que doem cá dentro no coração, mas ganhei toda uma possibilidade de concretizar sonhos!

Amigos não se perdem, é porque já não eram realmente amigos...



segunda-feira, 8 de abril de 2013

Mudanças cansam

A excitação é muita, mas depois deixa de ter uma certa piada quando acordamos mais cansados a uma 2.ªfeira de manhã do que quando nos deitámos na 6.ªfeira à noite.

Móvel de sala   
Roupeiro do quarto das crianças/visitas  
2 camas de solteiro 
Móvel do escritório 


Montados e no sítio, agora falta arrumar a tralha dentro disto tudo e a próxima fase é cortinas, roupa de cama e tapetes a condizer para o quarto para começar e depois acho que vou mudar a cor toda da sala (estou virada para cortinas com renas ou uma cena assim mesmo macabra... Hello Kitty's e florzinhas cor de rosa).

A minha mãe pergunta se há necessidade de andarmos sempre a mudar tudo, o meu pai diz que a economia para funcionar o dinheiro tem que circular.

Pai, estás no meu coração!

domingo, 7 de abril de 2013

Um sábado em fotos









Mais de 300kg em caixas, a carrinha desmontada do pai, uma viagem escondida entre caixas a ver o sol aos quadradinhos.
São dias como estes que mais tarde teremos para contar, as aventuras que poucos se atrevem!

sexta-feira, 5 de abril de 2013

Limpeza

Amanhã, se tudo correr bem, chega a nova mobília cá para casa e as mudanças vão continuar (vivemos numa casa em constante mutação).
Como tudo está estudado para mudar de sítio de um dia para o outro aproveitei e dei uma limpeza na estante dos livros, decidi que vou dar uns quantos.
Estes vão aparecer na caixa do correio de alguém que de certeza lhe vai dar mais uso que o simples ocupar espaço na minha estante...


quarta-feira, 3 de abril de 2013

Amor de filha

Hoje fiz 100 km para ir jantar com os meus pais!

Ah, e cravei-lhe a Berlingo para as mudanças do próximo fim-semana...


terça-feira, 2 de abril de 2013

Supera-te!

Um título que me faz lembrar a coleção de livros que ando a fazer, todos comprados na Livraria do Santuário de Fátima cada vez que vou lá.
Uma coleção de pequenos livros de auto-ajuda ilustrados da editora Paulinas que refletem sobre os mais variados temas e que superarmos-nos de certeza que deveria constar num deles.
Não estou a querer dizer que nos devemos impor sobre os outros, mas sim, e somente, impormos-nos a nós próprios para não nos limitar-mos simplesmente a viver mas passar efetivamente a VIVER.

Infelizmente todos nós na vida nos encontramos limitados em muitos aspectos, no meu caso a saúde limita-me em muita coisa, desde alimentação a atividades físicas.
Mas no que me é permitido fazer eu tento não me acomodar e procurar sempre o lado "B" da vida.
Uma vez que fui obrigada a deixar a ginástica passei a ir à piscina, o que não desgosto porque é das poucas situações em que gosto de ver água e estar dentro dela.
Mas já que vou lá porquê ir sempre à mesma onde tenho pé e ao lado estão os velhotes na hidroginástica?
Porque não ir para a de competição onde não tenho pé em ponta nenhuma e a água é gelado como tudo?
Assim fui, única fila disponível uma das do meio sem escadas para poder descer, eu cá saltei.
Ia morrendo de hipotermia mas isso foi somente um pormenor.
Quando me fartei tinha que sair dali e lá está, a falta de ingestão de proteínas (como me diz o chefe) ia-me me obrigando a fazer sala lá a tarde toda porque não tive força de braços para erguer o meu corpo e sair de lá pelo mesmo lado que entrei.
Se passei vergonha? Um bocado...
Se alguém fui a minha meia dúzia de tentativas e ficar sempre de peito estatelado no muro? Não faço ideia...
O certo é que ninguém se ofereceu para me dar um empurrão no rabo e eu tive que engolir o orgulho e atravessar as outras pistas para ir dar à escada e assim poder sair dali.
Para a próxima volto lá e hei-de tentar sair à força de braços até conseguir.




segunda-feira, 1 de abril de 2013

O meu livro da Páscoa - 2/2013

Este será sem dúvida o nome mais indicado, uma vez que o comecei a ler na 5.ªfeira à noite e acabei ontem à noite.
O que me levou a tal recorde? (já tive bem mais rápidos)
Um livro fascinante!
Tenho-me dedicado a ler livros que deram origem a filmes, antes ou depois de os ver no grande écran.
A desilusão a maior parte das vezes acompanhou-me porque nunca achei que os livros e filmes se complementassem, sendo grande parte das vezes uma verdadeira antítese.
O oposto posso dizer de Sangue Quente, o filme conseguiu transpor o humor sarcástico e mórbido, um romantismo sem cair meloso e uma história que nos prende do início ao fim.


Um livro que me arrancou profundas gargalhas e me divertiu em todo o seu conteúdo.
Um amor proibido entre a filha de um general e um zombie que se começa a curar tendo como único antídoto o amor.

Passagens que destaquei com tickets de supermercado:

"-Acabámos... comer - diz M, fitando-me com o sobrolho ligeiramente franzido. - Há... dois dias.
Agarro o estômago novamente.
- Sinto-me vazio. Sinto-me... morto.
Ele confirma com um aceno de cabeça.
- Casa...mento"

E nunca eu tinha tido semelhante ideia de como seria descrever o órgão sexual um zombie (vampiros já foi assunto ao qual dediquei muitas horas de riso), foi preciso ler este livro para ter a mais completa explicação:

"Pende inerte, inútil, julgando-me em silêncio pelo mau uso que lhe dei ao longos dos anos"

Deixo o resto ao critério da vossa imaginação...