domingo, 18 de setembro de 2011

E o Tempo perguntou ao Tempo...

Toda a nossa vida gira em volta do tempo, tempo para descansar, tempo para fazer o que queremos ou temos a obrigação de fazer, chegar a tempo a qualquer lado e depois ainda nos obrigam a "viver" o tempo.
Esta 6.ªfeira fui em formação pela empresa e não foi nada mais que sobre o malfadado tempo: Organização e gestão de tempo.
Confesso que não foi nada do que estava à espera e surpreendeu-me por se ter tornado numa aula de psicologia e não de conteúdos e directrizes a seguir.
Conclui que, depois de tudo o que ouvi, não estou assim tal mal relacionada com o meu tempo, senti que talvez fosse das poucas que já tivesse aceitado a viver com ele e com as suas limitações.
Nada mais nos ensinaram que para lidarmos com o tempo, ou falta dele, primeiro temos que nos resolver a nós próprios, acabar com os conflitos internos e perceber o que queremos fazer, quais são os nossos grandes objectivos. Temos que aprender a dizer "não", temos que aprender a delegar e temos que aprender acima de tudo em deixar de ser um ser de "ter" e passarmos a um ser de "ser".
Para mim aí reside toda a magnitude da questão.
Há uns 2 anos atrás penso ter resolvido o meu problema com o tempo, quando decidi o que queria da vida e lutei para mudar, quando decidi começar a "ser" e sem esforço tenho obtido o "ter".
Apesar de não ter tempo para tudo o que desejaria sei que tenho objectivos a mais e aprendi que não posso ser boa em tudo, apenas "ser"!

Sem comentários: