sábado, 30 de julho de 2011

InsomniA

Algo que não falava há imenso tempo... das minhas noites em branco.
Lembro-me de ter insónias quase desde que me lembro de mim como gente e com consciência, ou seja, há muitos, muitos anos.
Sofrer de insónias não é nada agradável, apesar de contribuir em muito para a minha cultura dado que quando não durmo leio, continuou a lutar contra esta alteração de genes marada.
Durante estes anos que me conheço com insónias consegui diferenciar duas variantes bem distintas: as que durmo às prestações (tipo 20 minutos de cada vez), rebolo a noite toda e durante o dia ando a cair de sono e rabugenta e as que literalmente não durmo, tirando um sono de madrugada de 2/3h, fico sossegada a olhar para as horas passar e durante o dia ando como se nada fosse comigo.
Agora estou a sofrer da última, lá vão 2 noites em acabei com pendentes de leitura que havia por esta casa, essencialmente revistas, vi 2 filmes e pelas minhas contas dormi em 2 noite menos do que deveria ter dormido em uma.
 Se se estão a questionar porque não vou ao médico? Já fui, aliás desde criança... e que dizem que desconfiam que sou hiperactiva. Tenho ali uns comprimidos mas só os tomo quando sentir que estou mesmo para morrer e como ainda tenho ali muito para ler vou aproveitar!

Básicamente eu acho que isto é porque acho que dormir é um desperdício, quando "do lado de cá" existe tanto para fazer... para quê termos que passar umas horas do lado de lá?


Sem comentários: