domingo, 17 de abril de 2011

I don´t like to be judged

(tem dias que os sentimentos e pensamentos soam melhor em inglês)

Não gosto, nem nunca gostei de ser julgada e na outra ponta o facto de também não gostar de ser adorada e venerada.
Tenho sentido nos últimos tempos que as pessoas andam a reagir comigo nestes dois extremos, no momento em que o que eu mais preciso é um meio-termo.
Nunca gostei de ser julgada pelas boas ou más decisões que tomei ou venha tomar e longe de mim ser adorada pela mesma razão das mesmas.
Mas quando tocamos em assuntos tão profundos como é uma adopção temos que estar preparados para estas duas situações e eu ainda estou a aprender.
Para mim, o simples facto de ter tomado uma decisão e estar preparada para o "bom" ou "mau" que daí advenha para mim, já é uma vitória.

A única coisa que é desejo não é julgamentos mas sim um simples apoio, será pedir assim tanto?

Não me interessa o que as pessoas acham de crianças com 10 anos ou da hepatite... simplesmente quero que deixem de "achar"!

1 comentário:

Cartas a Si disse...

Ninguém tem o direito de te julgar. Decidiste ser mãe, e depois? É uma coisa tão natural como outra qualquer.
Toda a mãe deseja que o filho seja saudável, mas infelizmente isso nem sempre acontece, nem mesmo quando os filhos são biológicos. O amor de mãe, o colo de mãe é para todos, saudáveis ou não, mais velhos ou mais novos.
Tu não és perfeita, ninguém é, mas vais dar uma boa mãe, disso tenho a certeza, pois tens um coração cheio de amor para dar.

Um abraço e que tudo vos corra como desejarem