quarta-feira, 9 de março de 2011

Quando não se passa nada

E, por contradição, passa-se tudo na nossa cabeça.
Nunca ninguém disse que ia ser fácil o que estou a passar, tenho surpreendido muita gente pelo meu estado de calma (aparente) a tudo isto, mas ninguém adivinha o que me vai pela cabeça quando acordo de manhã e sinto um vazio cá dentro:

- Porquê levantar-me se não tenho nenhum objectivo?


Vou-me retardando, vou-me vencendo, acho que aos poucos me tenho vindo a anular. Vou deixando para amanhã e de manhã para o outro dia, mas continuo a acordar todos os dias sem objectivos e isso para mim é o mais frustrante.
Não é que esteja a gostar deste novo estado, estar em casa até me tem sabido bem em parte, mas ao fim de 1 mês sinto que estou a lutar contra o que sou. Eu não sou isto, eu não quero assim.
As coisas vão passando e um turbilhão de pensamentos me invade todos os dias.
Ao fim de 1 mês as enxaquecas, por falta de cafeína, ainda não passaram de todo e hoje, graças às tonturas que daí advieram, levei uma queda de quase 1m de altura. Pela 1.ª vez o gajo vai saber porque é que eu estes anos todos tenho vindo a dizer e repitir: fico pisada com muita facilidade. Amanhã quando acordar provavelmente vai parecer que levei um excerto de porrada.

Um mês já quase passou e eu sinto-me a ficar transparente de dia para dia...

5 comentários:

Cidchen disse...

Força! Isso será apenas uma pausazinha no teu caminho pela vida. :P

albana disse...

e a luzinha ao fundo do tunel? com a tua determinação e garra vais ver que esta situação se resolve em breve...força ;)

Poetic GIRL disse...

Não me imagino nessa situação, acho que teria exactamente a mesma sensação. Espero sinceramente que a tua vida mude, mereces! bjs

Janine Bettencourt disse...

Não te vou dizer que vai acabar depressa porque, infelizmente, não posso prever o futuro. O que eu sei é que tu consegues aguentar, tu vais dar a volta nesta merda toda e arranjar um trabalho que te faça sentir realizada.
Detesto pessoas que se resignam, não me faças detestar-te Gabriela Maria!

Patricia disse...

às vezes precisamos dar um passo atras para podermos dar dois em frente :)

coragem