quinta-feira, 31 de março de 2011

Be careful what you wish

Ontem quando proferi alto e bom som (com quase toda a força que o meu interior me permitia na altura) que hoje não saí de casa nem que o mundo desaba-se não era preciso ser tão ao extremo.
Mais uma prova que o Diabo não dorme...
Hoje acordei com uma alergia tão grande, mas tão grande que respirar era algo quase impossível.
Estive tentada  a pesquisar no Youtube algum vídeo a explicar como fazer uma intervenção (tipo à E.R.) em que se espeta o tubo de uma caneta nos pulmões do paciente para ele respirar... porque de outra maneira não me estava a sair lá muito bem.
Quais cogumelos mágicos, quais coisas que se fumam e que dizem que faz rir... eu tive tonturas e vi coisas só com a falta de oxigénio.
Gabriela, aprende! Tem cuidado com aquilo que desejas...

Imagem retirada daqui.

Vou continuar assim nos próximos dias por isso não me peçam muito para sair de casa.
Asma e alergias não combina lá muito bem.

E este foi o 4.º dia de uma onda muito estranha.

Época das Bruxas



EXCELENTE!

terça-feira, 29 de março de 2011

2.º dia maravilhoso

A minha mãe tentou-me convencer que era do meu signo para esta semana, que a coisa andava pelas ruas da amargura.
Hoje então se eu pudesse (eu puder posso, não me fica é muito bem) mandava toda a gente para um determinado sítio... menos o chefe da repartição de Finanças aqui da terra que foi a 2.ª conversa com pés e cabeça que tive hoje, a 1.ª foi a minha amiga que me tem aturado nos últimos dias.
Literalmente tive 2 entrevistas, numa delas só não me levantei e saí porta fora porque vai contra os meus princípios e respeito mínimo pelas pessoas.
Amanhã tenho outra que pelo tempo que existe para cada entrevista, 10 minutos, presumo que deva levar mini-saia e decote... deve ser só para ver se somos giras!

Eu sou gira...(repetir 30 vezes antes de entrar na sala para a entrevista)

segunda-feira, 28 de março de 2011

Para quê tentar ser do contra?

Eu sempre disse que as vacas me faziam mal à saúde.

Para quê tentar mudar isso?

Hoje passei aqui um dia para lá de bom graças ao meu laivo de bondade e ter bebido leite de vaca... eu ainda acredito que podem vir coisas boas delas! ( Eu tenho um lugarzinho no céu, sabiam?)
Mas as coisas não mudam, a vaca fez-me mal e eu ao fim de 1 ano e uns trocos ainda não aprendi que sou mesmo intolerante à lactose.


Retirada daqui.

Vacas para mim só se for mesmo em sofá!

domingo, 27 de março de 2011

Após uma ausência de 2 dias

Pela primeira vez ausentei-me, sozinha, aqui do palácio e deixei isto entregue ao gajo e à bicharada.
Após o meu regresso (ontem à noite) tenho algumas observações a fazer que acho intrigantes:

1 - A cama não estava no sítio dela...
2 - A televisão estava na Sic Mulher...
3 - Havia copos de wisky no lava-loiça...
4 - Os gatos jogaram os meus livros de culinária todos para o chão...
5 - Ninguém sentiu a minha falta...


Posto isto, vou fazer as malas para a Sibéria para junto dos jogadores do Sporting quando jogarem mal.

sexta-feira, 25 de março de 2011

Cookies

Não sobraram para amostra, por isso aqui fica o registo para a posteridade.


Bolinho de Canela


 

Clicar, aumentar, copiar e imprimir. Digitalizado directamente da revista.

quinta-feira, 24 de março de 2011

Vou tentar...

Sinceramente acho que tenho que ir praticar yoga ou qualquer coisa que me ajude a ficar zen num curto espaço de tempo.
Hoje em 3 segundos encarnei o meu pior pesadelo, aquela Gabriela que desejo que poucos vejam.
2h depois ainda não passou... vou tentar ouvir música para espairecer.

Básicamente esta está a ser a semana mais produtivo dos últimos tempos, em tudo melhor que a  época natalícia em que sou sempre propícia a destruir equipamentos domésticos.
Ora esta 2.ªfeira rebentei com a máquina da aspiração central (até já tinha exorcizado este demónio) mas hoje a "pièce de la resistance" foi ter literalmente desfeito a mangueira do aspirador! (não as peças não dão para utilizar num e noutro).
Eu que por mim já sou contra aspiradores ( e bruxas) vejo desfazer-se nas minhas mãos a única m**** que me sobrava para limpar a casa.

Estou tão feliz!

Se eu descubro quem é o/a filho da p*** que me lançou olho gordo EU JURO, EU JURO que não larga a sanita durante 1 semana e nem com "Imodium Rapid" lá vai.



Desculpem o palavreado mas se ouvissem em vez de lerem o que escrevo era bem pior... uiii se era.

Caso de vida ou morte

Isto de ser doméstica é d'um camandro.
Nunca fui de mariquices ou merdices e afins, agora que estou em casa ando a ficar cheia de "aí não me toques que me desafinas". É ranhoso isto.
Espetou-se-me nas ideias que precisava urgentemente de um saco de pasteleiro, caso de vida ou morte.
Para quê não sei! Acho que é influência de tempo livre a mais gasto a ver revistas e sites de culinária e a fazer doces que dão sempre errado. Eu continuo a dizer que os mato pela persistência.
Ora chegou ao ponto que quase que o gajo disse: "Compra lá o raio do saco de pasteleiro!"

Já comprei, por isso já não vou morrer (pelo menos por agora) e já está ali na gaveta guardadinho.

Sou uma mulher feliz!

Imagem retirada daqui.

quarta-feira, 23 de março de 2011

Constatações realmente importantes

Tenho vindo a reparar (sim, porque eu também leio o que se vai escrevendo por essa blogosfera fora) que algumas das coisas que escrevo aqui neste meu pequeno espaço poético/artístico causam uma certa azia a certas pessoas.

Contra isso nada posso fazer, apenas recomendar...

 Retirado daqui.

terça-feira, 22 de março de 2011

Isto é preocupante

Para aí meia hora depois de eu ter rebentado/queimado a máquina da aspiração e ter ficado com a casa a cheirar a queimado e cheia de fumo... ele chega a casa.


Eu - "Diz-me, o que é que te cheira?"
Ele - "Bolos!"


Preciso urgentemente de arranjar trabalho, isto está a ganhar proporções preocupantes...

segunda-feira, 21 de março de 2011

A outra definição (a que me lixou)

Sou muito picuinhas no que toca a roupa interior (ok, sou picuinhas em quase tudo), mas principalmente no que toca a partes de baixo.. cuecas, porra.
Nada de licras, nada de lacinhos, nada de fitas, nada de rendas, nada de elásticos largos, nada de aplicações com desenhos marados, nada de vermelhos e pretos, nada de feitios um tanto ou quanto aeróbicos...
Tirando tudo acima literalmente pensa-se que não uso nada.
Sou adepta de cuequinhas de algodão fofinho, daquelas brasileiras (assim cavadas) e se tiverem desenhos melhor ainda... gatinhos, ratinhos, aranhas, Betty Boop, Hello Kity é o que vier.
Ora, fui eu há uns tempos a uma loja para comprar mais uma remessa e depois de explicar em pormenor à senhora o que realmente queria ela prontificou-se logo a apresentar-me um modelo que segundo ela "eu ia adorar".
Eram tal e qual como eu queria, mas de cores lisas, mas com o extra "dos extras" de serem de cintura descida...
E pensei eu: "Hoooo, very cool!".
E trouxe logo uma braçada delas, que não tenho grande pachorra para andar às compras.
Ora, após umas quantas utilizações tenho algo a dizer sobre a definição de "cintura descida". Para mim é roupa que fica pela altura da anca (abaixo da cintura) e não quase a meio do rabo!!!

Agora passo os dias a puxar as cuecas para cima. Eu que sempre disse que dava um excerto de porrada num filho meu que usa-se as calças e boxers pelo meio do rabo!


Retirado daqui.

 Isto não é cintura descida!

domingo, 20 de março de 2011

De stressada a dondoca

Pela primeira vez assumo, por escrito, o estado desta minha nova condição: estou desempregada.
Digo-o sem qualquer pudor ou qualquer vergonha, é um estado como qualquer outro que passei na minha vida e passei já por muitos (aí se passei).
Estar desempregada não faz de mim menos que quem quer que seja, aliás, estou desempregada mas não estou desesperada. Nunca tive eu um mar tão grande de possibilidades ao meu alcance.
Estou numa encruzilhada que me permite ir em qualquer direcção que seja, que me permite abrir asas, desenferrujar e voar.
Desde os tempos de escola que nunca tinha saído tanto com amigas como agora, nunca tinha simplesmente passeado sozinha por passear, nunca tinha passado dias somente absorvida nos meus dilemas existenciais se faço as almofadas de acordo com os cortinados ou se de acordo com a capa da arca.
Posso admitir que estou a ser uma desempregada feliz!
O que custa, a única coisa que me faz querer voar o mais rápido possível é a falta do stress, do barulho, das pessoas... porque apesar de não gostar delas sinto a sua falta. Sinto falta dos clientes, toda a minha vida lidei com clientes e agora sinto mais a falta deles do que nunca.
A sabedoria da vida está em aprendermos a aproveitar cada momento que a vida nos dá... e a minha agora obrigou-me a parar.
Assim o fiz!

sábado, 19 de março de 2011

Hummmm

Está um dia tão maravilhoso que até é pecado ter que ficar o dia todo em casa a trabalhar...

sexta-feira, 18 de março de 2011

I'm so heavy in yours arms



No silêncio dos dias sinto um peso, que carrego e faço os outros carregar.
O peso da minha alma insatisfeita.

quinta-feira, 17 de março de 2011

Ah, agora percebo!

Afinal o tal filme que vi e nunca tinha ouvido falar só estreia hoje em Portugal.
Gabriela, sempre à frente do acontecimento!

Como sempre uma tradução de título à letra.

quarta-feira, 16 de março de 2011

Fui ao médico agorinha mesmo!

E fiquei a saber que hoje foi a última consulta com ele e que entretanto faço parte das estatísticas de pacientes sem médico de família.

Eu agora também é que virei V.I.P., estou nas estatísticas todas!

Ora parece que no seguimento do meu post de há uns dias, o facto das coisas proliferarem em mim é fixe. Daqui a 6 meses sou obrigada a ver as pessoas simpáticas todas porque vou ter que repetir os exames todos.
HIP, HIP... Hurrraaaayyy!

Para quem estiver interessado, não estou a morrer (temos pena) e nem tenho que tomar medicação nenhuma. Poderia até afirmar que tenho uma saúde de ferro apesar da anemia hereditária, dos quistos e das areias nos rins... não esquecendo a asma e as insónias e é claro a tendência para estados depressivos.
Sou uma rapariga que respira saúde e casadoira.

127h... finalmente



É bom ver que ainda se fazem excelentes filmes.
Apesar de toda a carga emocional por ser baseado numa história verídica, exalta a força que todos temos em nós de continuar mesmo contra todas as adversidades.
Nós somos e existimos mesmo sem estarmos completos.

A nossa força é a nossa essência!

terça-feira, 15 de março de 2011

Ode á dor

Neste mundo acho que vivemos 2 ciclos de sensações: umas naturais outras provocadas.
Nascer por si só é o maior passo para ser quem somos e depois seguimos todo um ciclo fisiológico do qual não podemos fugir. Crescemos, envelhecemos e morremos, um dia.
A sociedade, por si, impinge-nos um leque infindável de sensações que nos fazem andar a 360º todos os dias: temos que estudar, ser adolescentes à força, amar, odiar, liderar, trabalhar, casar, engravidar ou ir à tropa, criar filhos, gerir, educar e inevitavelmente lidar com a perda dos outros... que ao longo de uma vida, por laços de sangue ou imposição aprendemos a viver em sociedade e se tornaram uma parte integrante de nós.

Amiga, eu não sou nada nem ninguém para te dizer que o tempo tudo cura.
Tu, mais que ninguém, sabes que o tempo nem sempre cura nada, apenas acalma a dor que lateja todos os dias cá dentro.
Não sei o que é perder um irmão, muito menos consigo imaginar isso... por tão doloroso que deve ser.
Só quero que saibas que eu estou aqui, sempre estarei para o bom e para o mau, como nos casamentos e é até à morte. Como todas as amizades deveriam ser, como eu quero que a nossa seja.

Hoje o meu coração e pensamento esteve em ti!

Que se lixe o vampiro

Mudei de ideias, já não quero ser aficionada por um vampiro.
Isto de estar em casa faz-nos ver televisão mais que o normal e tornamo-nos seguidores de séries e mais séries e passamos a babar por outras coisas...

Eu neste momento agradecia este, com um lacinho e assim com o cabelo curtinho.




Não é querido?

segunda-feira, 14 de março de 2011

Mais perfeito é impossível

Já dizia Ghandi:

"Não existe um caminho para a felicidade. A felicidade é o caminho."


E mais que nunca cada passada que dou sinto todo o peso do meu corpo e a sua plenitude.

A vida não é simplesmente para quem a vive, mas para quem luta por ela, por a mudar e domar ao que quer.


sábado, 12 de março de 2011

Eu fui!


Manifestação "Geração à rasca" - Fonte Luminosa, Leiria

A vida dá muitas voltas, em algumas dessas voltas a vida entrega-nos pessoas e coisas que fizeram parte da nossa rotina em tempos... talvez para cumprir ciclos que ficaram por fechar.
A vida trouxe-me uma antiga colega do ramo imobiliária, com quem tenho partilhado pequenos momentos e grandes sentimentos, a minha grande companhia nas idas a Leiria... tem sido a minha companhia a ajuda nesta fase em que para mim tudo é novidade.
Com ela, fomos manifestar o nosso degrado com o rumo que este país leva e porque fazemos parte desta geração à rasca, desvalorizada e marginalizada.

Amiga obrigado e até 2.ªfeira!

The Pit and the pendulum (2009)



Eu não acredito que alguém fez este filme, continuo a repetir para mim mesma: "Ninguém se deu ao trabalho de realizar isto".
O filme numa escala de 1 a 20 leva com "-20", de tão mau argumento, maus actores, más cenas...
Diz-se que é um filme de horror, uma adaptação livre da obra de Edgar Allan Poe, do mesmo nome. Que de certeza deve estar a dar voltas no túmulo com tamanha atrocidade feita a uma obra dele.

Não vejam, a sério. Não vale nem 1 segundo.

Facto: fui selada!

A Janine resolveu oferecer-me este selo e desafiar-me.


As regras são:

- Colocar o link do blog de quem recebeu o prémio
- Partilhar 7 coisas aleatórias sobre si mesmo
- Premiar 15 blogs descobertos recentemente

7 coisas sobre mim:
- Tenho muito mau feitio (as coisas ou são como quero ou viro bicho);
- Odeio água (tanto para beber como para tomar banho, é generalizado);
- Adoro bolos, bolachas e afins (sou uma cookie-aholic);
- Tenho um problema grave, muito grave com limpezas, passo o dia a limpar;
- Nunca me fascinaram grávidas e tenho pavor de bebés (só agarrei 2 na vida), acredito ardentemente que Deus escreve direito por linhas tortas;
- Quero muito, muito, acima de tudo um carro eléctrico, com mudanças automáticas, sensores de estacionamento e já agora, se não for pedir muito, piloto-automático;
- O meu sonho é ter um casa na aldeia com um enorme quintal para eu poder dar asas às minhas agriculturas.

E o selo vai para não recentes descobertas mas os blog's que mais visito:

1.Cidi's World
2. De ontem para amanhã
3. Estórias e memórias
4. Poetic Girl
5. Mais um dia
6. Cantinho da Zá
7. Diário da Nossa Paixão
8. No final do dia o importante é ser feliz
9. Diário de Sonhos
10. O meu mundo
11. Um que são três
12. Meus apontamentos
13. Cartas a si
14. A Tasca da Cenourita
15. Uma casa na Praia

sexta-feira, 11 de março de 2011

Tron: Legacy



Tendo em conta as "reviews" eu não achei este filme melhor que o Avatar, para mim não lhe chegou aos calcanhares.
Não desgostei, mas achei muito confuso a nível de linguagem utilizada ( ou eu é que ando a estupidificar).
Nota 5 para o guarda roupa e efeitos especiais.

Mais uma nota a alguém

Querido Inverno,

Só para informar que comecei já a lavar e arrumar grande parte das camisolas de lã.

... não tinha mais nada para fazer.

quinta-feira, 10 de março de 2011

Protesto Geração à Rasca

Manifesto

Nós, desempregados, “quinhentoseuristas” e outros mal remunerados, escravos disfarçados, subcontratados, contratados a prazo, falsos trabalhadores independentes, trabalhadores intermitentes, estagiários, bolseiros, trabalhadores-estudantes, estudantes, mães, pais e filhos de Portugal.

Nós, que até agora compactuámos com esta condição, estamos aqui, hoje, para dar o nosso contributo no sentido de desencadear uma mudança qualitativa do país. Estamos aqui, hoje, porque não podemos continuar a aceitar a situação precária para a qual fomos arrastados. Estamos aqui, hoje, porque nos esforçamos diariamente para merecer um futuro digno, com estabilidade e segurança em todas as áreas da nossa vida.

Protestamos para que todos os responsáveis pela nossa actual situação de incerteza - políticos, empregadores e nós mesmos – actuem em conjunto para uma alteração rápida desta realidade, que se tornou insustentável.

Caso contrário:

a) Defrauda-se o presente, por não termos a oportunidade de concretizar o nosso potencial, bloqueando a melhoria das condições económicas e sociais do país. Desperdiçam-se as aspirações de toda uma geração, que não pode prosperar.

b) Insulta-se o passado, porque as gerações anteriores trabalharam pelo nosso acesso à educação, pela nossa segurança, pelos nossos direitos laborais e pela nossa liberdade. Desperdiçam-se décadas de esforço, investimento e dedicação.

c) Hipoteca-se o futuro, que se vislumbra sem educação de qualidade para todos e sem reformas justas para aqueles que trabalham toda a vida. Desperdiçam-se os recursos e competências que poderiam levar o país ao sucesso económico.

Somos a geração com o maior nível de formação na história do país. Por isso, não nos deixamos abater pelo cansaço, nem pela frustração, nem pela falta de perspectivas. Acreditamos que temos os recursos e as ferramentas para dar um futuro melhor a nós mesmos e a Portugal.

Não protestamos contra as outras gerações. Apenas não estamos, nem queremos estar à espera que os problemas se resolvam. Protestamos por uma solução e queremos ser parte dela.

----------------------------------------------------------------------------------------

geracaoarasca@gmail.com
geracaoarasca.porto@gmail.com



PEDIMOS QUE TRAGAM UMA FOLHA A4 COM O VOSSO MOTIVO PARA ESTAREM PRESENTES E UMA PROPOSTA DE SOLUÇÃO.
AS FOLHAS SERÃO RECOLHIDAS E ENTREGUES NA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA.


Este protesto pretende ser uma plataforma aberta para promover o debate cívico sobre o problema da precariedade em Portugal. Para sermos abertos a todos, independentemente das convicções pessoais de cada um, o movimento dissocia-se de quaisquer reivindicações que não as presentes no Manifesto, o único documento associado ao nosso Protesto. Apelamos a todos os cidadãos que se revejam no espírito do manifesto a juntarem-se a nós.


Locais:

Braga – Avenida Central, junto ao chafariz
Castelo Branco – Alameda da Liberdade (Passeio Verde)
Coimbra – Praça da República
Faro – Largo S. Francisco
Funchal – Praça do Município
Guimarães – Largo da Oliveira
Leiria – Fonte Luminosa
Lisboa – Avenida da Liberdade > Praça Luís de Camões
Ponta Delgada – Portas da Cidade
Porto – Praça da Batalha > Praça D. João I
Viseu – Rossio, em frente à Câmara Municipal












Eu vou e vocês?

Um Rob animado?

Espectacular! Tirado daqui.

quarta-feira, 9 de março de 2011

Quando não se passa nada

E, por contradição, passa-se tudo na nossa cabeça.
Nunca ninguém disse que ia ser fácil o que estou a passar, tenho surpreendido muita gente pelo meu estado de calma (aparente) a tudo isto, mas ninguém adivinha o que me vai pela cabeça quando acordo de manhã e sinto um vazio cá dentro:

- Porquê levantar-me se não tenho nenhum objectivo?


Vou-me retardando, vou-me vencendo, acho que aos poucos me tenho vindo a anular. Vou deixando para amanhã e de manhã para o outro dia, mas continuo a acordar todos os dias sem objectivos e isso para mim é o mais frustrante.
Não é que esteja a gostar deste novo estado, estar em casa até me tem sabido bem em parte, mas ao fim de 1 mês sinto que estou a lutar contra o que sou. Eu não sou isto, eu não quero assim.
As coisas vão passando e um turbilhão de pensamentos me invade todos os dias.
Ao fim de 1 mês as enxaquecas, por falta de cafeína, ainda não passaram de todo e hoje, graças às tonturas que daí advieram, levei uma queda de quase 1m de altura. Pela 1.ª vez o gajo vai saber porque é que eu estes anos todos tenho vindo a dizer e repitir: fico pisada com muita facilidade. Amanhã quando acordar provavelmente vai parecer que levei um excerto de porrada.

Um mês já quase passou e eu sinto-me a ficar transparente de dia para dia...

terça-feira, 8 de março de 2011

segunda-feira, 7 de março de 2011

Falando mal

Nunca gostei do Carnaval, nunca gostei de ser obrigada a mascarar-me, acho tudo uma autêntica palhaçada.
Mas mesmo assim não deixo de ver o que vai pelo nosso país neste dia e entristece-me que estejamos a ser invadidos pelo estilo de Carnaval brasileiro, com a proliferação das escolas de samba e mulheres nuas.
Estamos a perder a nossa entidade até nisto. Onde param as nossas matrafonas? Os nossos cabeçudos? As nossas sátiras à politica nacional e internacional? Opá, até o futebol?
Onde pára o nosso Carnaval?
Qualquer dia temos dragões chineses e tudo...

E por falar em palhaçadas, ironia do destino este ano o dito Dia Internacional da Mulher calha no Dia de Carnaval. Assim podem todas sair de casa mascaradas, no único diz de soltura do ano, para andarem pelas ruas tipo galinhas, encherem os restaurantes, beberem que nem uma esponjas, falarem mal dos maridos e dos filhos, irem para os bares e discotecas ver stripp e também dar em cima de alguns homens ( que neste dia safam-se sempre).
E falam de igualdade de oportunidades! Por acaso existe algum Dia Internacional do Homem? No meu calendário não.
Reitero de anos anteriores o meu sentimento sobre este dia como sendo o mais ridículo. É um bom dia para ficar em casa a ver um bom filme ou ler um bom livro, ou simplesmente não fazer nada já que tenho livres os outros 364 dias do ano.

domingo, 6 de março de 2011

Cuidado com o que se deseja...

...é que muito certamente pode vir a tornar-se realidade.

A mim avariou-se o ferro, acho que é melhor começar a fazer uma vaquinha para comprar um novo. Ó que chato!

sábado, 5 de março de 2011

Novamente a par com os astros

A título de curiosidade hoje andei a pesquisar por uma previsão geral do meu signo (Touro) para este ano e às páginas tantas encontrei este provérbio que dizem descrever o meu mapa astral para 2011:

"O que vale é que a vida não é o ponto de partida, mas sim a caminhada. Caminhando e semeando, no fim, terás o que colher".

Eles dizem que este entrei na fase de colher... fico espantada, ainda só tenho 30 anos e já vou começar a colher o que semeie, é sinal que até agora fiz o correcto.

sexta-feira, 4 de março de 2011

Paranormal Activity 1 & 2





Sobres estes nem sei que diga... ainda não consegui definir em mim se simplesmente ocupei 3h a ver os dois filmes ou se perdi mesmo 3 boas horas de sono.
Ao menos que o director se tivesse dado ao trabalho de no 2.º filme a história bater certo com o 1.º. Sabe é que há pessoas que estão muito atentas a essas coisas... tipo eu.
Não quero mais ninguém a dizer-me "Se gostas de terror tens que ver o Paranormal Activity!".
Porque arrepios só tive mesmo foi de frio (ponto final).

shiuuu....

...desconfio que este blog é seguido por uma carrada de gente que não tem mais nada que fazer do que ler as baboseiras que eu escrevo.

quinta-feira, 3 de março de 2011

[ datas ] [especiais]

Andei hoje todo o dia com a sensação que deveria recordar algo, que o dia de hoje me dizia qualquer coisa, andei todo o dia a tentar lembrar.
Nada que não se resolve-se agora, em meros segundos, com uma pequena pesquisa ao meu arquivo... faz exactamente hoje 5 anos que comprei a minha casa.
Sabe tão bem, cá dentro, dizer A MINHA CASA! Vá é minha e do banco, mas neste caso somos quais amantes e nunca nos chateámos.

E um dia, um dia, se eu morrer (prevejo que vai ser um acidente muito suspeito) A MINHA CASA fica para os meus pais que por sua vez a vão doar aqui ao gajo (agora percebem porque eu prevejo que vá ter um acidente mortal). O acordo da doação já foi entre eles, eu não fui vista nem achada no assunto.
Um dia se eu morrer há pessoas que vão ficar bem.

Enquanto não morro para outros ficarem com  A MINHA CASA fiquemos aqui com uma das minhas músicas preferidas...

The true "Spaghetty à Carbonara"


Para a próxima ver se meto menos ovo, não ficou totalmente ao meu gosto.

Agora ando ali a marrar com um pudim (eu comida ainda desenrasco agora doces nem à cabeçada), se houver por aí almas caridosas que me expliquem porque raio não consigo desenformar um pudim de chocolate feito com farinha maisena (ou melhor, qual foi a parte que errei para aquilo estar meio liquido) fico deveras agradecida!

quarta-feira, 2 de março de 2011

Corpo a quanto me obrigas!

Hoje foi dia de mais uns exames, para ficar traumatizada de uma só vez vai tudo de enxurrada e depois (já que tenho tempo) fico uns dias de molho.
Ora hoje tive a feliz notícia que tenho um sistema que convida à proliferação de coisas... as coisas gostam de mim e procriam. A minha vida é maravilhosa!

No check-up fiquei a saber que em vez de 1 areiazinha nos rins agora tenho um areal e mandaram-me beber água, muita água. Ora eu coloco umas questões?
Se durante 1 ano bebi água que nem uma louca e a coisa piorou, não terei eu problemas de calcário?
E se eu mistura-se na água umas pastilhas, das que uso para o calcário da máquina de lavar, será que não faria mais efeito?
Eu gostaria de resolver este problema uma vez que sendo eu uma pessoa afortunada na vida, estas areias todas vão-se transformar em pedras preciosas e eu vou ficar multi-milionária, mas eu gosto tanto dos meus leitores que quero continuar-lhes a desejar bom-dia todos os dias... por isso preferia ficar assim pobrezinha.

Mas a pérola do meu exame, que me fez levitar de felicidade foi saber que os quistos voltaram e proliferam como cogumelos em tempo de chuva. Ao menos se fossem cogumelos... daqueles mágicos! (era um tanto ou quanto mais gira a minha vida)

Posto isto, estou tentada em rescindir contrato com efeitos imediatos a alguns dos meus órgãos internos.

Aviso: Isto poderá ser um post muito longo

Este fim semana que passou foi assim uma mini-maratona cinematográfica, mais uns riscados da enorme lista.

Aqui vão por ordem de visualização e com uma pequena opinião:




"The Tourist" foi a maior desilusão que tive, tanta publicidade e o filme é somente isto? Senhores, vender um filme só por causa das 2 personagens principais é um pouco publicidade enganosa.
Achei o filme sem sal e sem açúcar, adormeci e tive que ver o final noutro dia (a custo) e previ o final no início do filme. Lista Negra!




"The Green Hornet" foi exactamente o que estava à espera. Um espectáculo! Muito bem conseguido tanto a nível de história como visualmente, adorei a comicidade do filme que me fez soltar umas quantas gargalhadas. Fiz olhinhos ao carro mas dúvido que hajam daqueles para o meu orçamento familiar, de preferência com bancos ejectáveis. Vou voltar a ver sem sombra de dúvida.




"The Mechanic" com um dos meus actores preferidos, Jason Statham ( dos espectaculares filmes do "Taxi" ) foi um filme a cara dele. De acção com muitas mortes e criminosos à mistura. Adorei o final!! Nunca imaginei que o final fosse tão movimentado, é daqueles filmes que faz ficar a deitar conversa fora durante muito tempo.

And the last but not the least...




Um filme já de 2009, que estava na minha extensa lista de filmes por ver, "Orphan", como é óbvio é um filme de terror com uma história surpreendente sobre uma criança que foi adoptada e que era uma assassina.
No fundo existe um pouco de moral neste filme, em como as pessoas não são o que aparentam e que tudo em nós pode ser simulado. Bom filme, para fãs de terror e suspense.
Uma pequena nota: a personagem principal tinha somente 10 anos quando fez este papelão!

terça-feira, 1 de março de 2011

Bloooddd

Talvez um dos meus segredos mais bem guardados seja aquilo que me mete pavor.
Sempre acreditei que o segredo é a alma do negócio, neste caso é tipo a minha kryptonite, ou seja a minha desgraça.
Pelo título devem estar a pensar "Esta gaja tem medo de sangue? Isso é tão gay..."
Não, não tenho medo de sangue, aliás não me mete confusão nenhuma! Posso ver uma pessoa a esvair-se que eu continuo impávida e serena, sou capaz até de comer qualquer coisita para passar o tempo.
Tenho mesmo pavor é de agulhas, agulhas meus amigos. Seringas! Merdas que me espetem na pele!
E para cúmulo sou daquele grupo restrito de pessoas que as veias fogem quando é preciso ir tirar sangue, em dias de sorte só saiu do laboratório picada 1 vez, em dias maus saio com os 2 braços furados (quase a sair pelo picotado... esta foi uma piada mórbida!).

Depois junta-se um sanguezinho filho da p*** que não coagula nem pela lei da bala e sou capaz de ganhar hematomas do cotovelo ao pulso.
Mas como ainda não houve nenhum génio que inventa-se outra maneira de fazer análises ao sangue "I'll just have to endure it".


Imagem retirada daqui.

Tentativa de ascensão a cozinheira

Eu juro que um dia, uma dia sou uma cozinheira razoável.
Agora como tenho tempo posso dedicar-me um bocado a fazer tarefas anti-stress e que vão todas directamente para a nossa bóia de salvação (em caso de tsunami ou, quiça, um furacão).



Este foi o almoço de domingo, uma adaptação que fiz da única revista de culinária que compro, Saúde à Mesa.

Ingredientes:
  • 1 robalo (na receita original era red fish);
  • 3 cenouras;
  • 3 tomates;
  • 1 cebola grande;
  • 2 dentes de alhos;
  • 1 pimento;
  • 3 colheres sopa azeite;
  • tomilho.
Para o molho:
  • 4 colheres sopa de azeite;
  • 1 colher sopa vinagre;
  • 3 colheres sopa de polpa de tomate;
  • 1 colher café açafrão em pó.
Primeiro preparar o molho: misturar todos os ingredientes para o molho acima listados e depois esfregar o peixe com aquela mistura e reservar.
Descascar as cenouras e cortar aos palitos, lavar os tomates e cortar em gomos assim como as cebolas. Descascar e esmagar os alhos. Limpar o pimento e cortar às tiras.
Entretanto ligar o forno a 180º.
Levar ao lume uma frigideira com azeite e juntar a cebola, os alhos e a cenoura. Cozinhar 5 minutos.
Juntar o tomate, o pimento e polvilhar com o tomilho. Mexer e deixar cozinhar mais um bocado.
Por fim colocar os legumes no prato de ir ao forno, peixe por cima e regar com todo o molho que tenha sobrado de temperar o peixe.
Vai ao forno 20 minutos e está pronto a servir.

Minhas notas:
Esta receita não leva sal, por isso para os mais sensíveis temperem com sal.
À parte fiz umas batatinhas cosidas porque senão era expulsa de casa por servir peixe só com aqueles legumes.