quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

[ extension ]

O meu dedo é uma extensão do meu braço, que por sua vez é uma extensão do meu tronco, que por sua vez ( e todo o seu conjunto) é uma extensão da minha cabeça. A principal e única responsável por todo o resto.
Todos nós, e o que nos compõe, somos uma extensão de algo.
Nós somos uma extensão de um pai e de uma mãe, um tentáculo de uns avós...

Hoje senti-me uma extensão de qualquer coisa, mas não de um ser humano, sinto que estou a perder novamente o pulso ao que me segura!
Em jeito de ternura disseram-me "não deixes que a tristeza tome conta do teu coração, tens um coração bonito demais" e eu pergunto como pode um coração ser bonito se não se sente parte de nada?


 

1 comentário:

Janine Bettencourt disse...

E precisa ser parte de alguma coisa?!
É bonito e pronto... mania das pessoas de tentarem arranjar encaixes para tudo.
Beijo,
Jana