quinta-feira, 25 de novembro de 2010

[parentescos]

Ando aqui com uma entalada desde a morte da minha avó que me anda a custar engolir.
Esta coisa dos parentescos nunca me afectou tanto como agora, fiquei um tanto ou quanto sensível com o falecimento da minha avó em relação a este assunto.
Lá por ter casado com o Hugo não faz dele neto da minha avó!
Lá por o meu primo ter casado não faz da mulher dele minha prima!
Lá por ter casado com o filho de alguém não faz dela minha mãe!

Há coisas que não concordo nesta coisa dos casamentos, é como se nos obrigassem a perder a nossa própria individualidade e marca de existência.
Lá por casar nada me obriga a ter o sobrenome dele, tanto que não o meti e continuo a ser eu, com o nome com que o meu pai me registou aquando do meu nascimento.
Proibi os meus sogros de me tratarem por filha, nunca na minha vida desejei tal coisa. Pais só há uns os meus e mais nenhuns!
O meu marido é só meu marido, não é da minha família, não é do meu sangue, nada o fez ficar irmão do meu irmão ou sobrinho dos meus tios.

É um caso que digo: Amigos, amigos, negócios à parte.



E não vale a pena porque sempre pensei assim e sempre vou continuar a pensar!


P.S. Agora  que olhava com olhos de ver para a foto ainda hoje não percebo quem raio meteu uma das minhas rosas de encomenda (que deram cabo dos nervos à florista) no bolso do casaco do gajo!

6 comentários:

MONIISA disse...

Muito bem!
Acho que é mesmo assim!!!!

AnOrangeWitch disse...

Concordo contigo :)

Irrita-me profundamente quando dizem "ah, vai chamar o teu irmão"... Lá por o meu pai ter casado com a minha madrasta, eu não sou irmã do filho dela!

Isália disse...

Apesar de ter adoptado o nome do meu mais que tudo "oliveira" (nome fantástico), hoje é das coisas que mais me arrependo em 3 anos de casamento. não me arrependo de ter mais um nome, mas sim das burocracias que isso acarretou. é o que digo,gosto muito dos meus sogros, mas gosto mais ainda dos sogros do meu marido. :)

Gabriela... disse...

Oliveira é um nome lindíssimo!
Agora imagina eu deixar o "Oliveira" e passar para "Agostinho" era algo de me jogar da ponte abaixo... e tu ainda não sabes é que se por acaso (bate na madeira) te divorciares a burocracia tripla que é para tirares o nome dele!!!

Carla disse...

Isso da flor no bolso deve ser geral ou quase isso. Pois a mim tb aconteceu o mesmo... eu quando o vi disse-lhe logo.. a flor não é no bolso ...

Beijinhos
Carla

Cidchen disse...

Adorei o teu vestido! Boa escolha, Gaby.

Eu por acaso, trato os maridos das minhas primas como primos, e vice-versa. E em relação aos tios, a mesma coisa. Felizmente, tenho uma família muito unida.

Beijocas e bom fim-de-semana.