quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Sobre o amor

Ontem enquanto lia com olhos de ver e coração de sentir o excerto que a

















6 comentários:

Patricia disse...

Como eu te compreendo...

Cartas a Si disse...

Esse desejo que o filme retrata, é o desejo do "primeiro amor" que não é mais do que uma paixão arrebatadora, uma paixão que nos toma quando o coração ainda é puro e acreditamos que tudo é possível, que o mundo é cor-de-rosa e todos os dias o sol vai brilhar.

Não te sei explicar, é um sentimento que mexe com cada poro da nossa pele. O mais simples toque da outra pessoa desperta reacções em ti (e não me refiro só a reacções físicas, falo de emoções fortíssimas também) capazes de fazer mover o mundo...é uma explosão. Chega a ser doloroso, porque é algo tão grande que tu sentes que não és capaz de o conter em ti.

Este filme faz-nos sonhar a todas, porque durante aquele bocadinho em que o Edward e a Bela aparecem na tela do cinema, voltamos todas a ser adolescentes, a sonhar com a paixão que tivemos um dia ou que gostaríamos de ter tido.

O Diário da Nossa Paixão disse...

É algo que não se consegue descrever não é? A sensação que me dá é que é para mim (leia-se espectadoras do filme) que ele tá a olhar assim e dá-me borboletas no estômago, arrepio na espinha e assim todas as coisas boas que se sentem quando se está a começar a amar alguém! É bem porreira essa sensação!

Jokas.

Gabriela... disse...

Gostava de viver um amor assim... para ficar na minha lista de "Eu tive, eu fiz".
Somos todas umas teenagers.

Cidchen disse...

Ainda bem que as minhas postagens dão ideias para outras postagens em outros blogues. Eheheh! :P

Por acaso, acho que devo ser a única que ainda não viu esse filme...

Ultimamente ando um pouco lamechas, daí ter pegado no texto do MEC sobre o Amor.

Pocahontas na Cidade disse...

Nunca tive um relacionamento daqueles, mas fiquei com cara de pateta a pensar nele...
Só tive 2 rapazes que mexeram assim comigo.. É mau perder o controle de nós... mas é uma sensação gira.