quarta-feira, 3 de março de 2010

a trabalho

O telemóvel da empresa toca, como não conheço o n.º atendo com apresentação... do outro lado uma voz de mulher:

"- Podia repetir?"
"- **** Fala a Gabriela em que posso ser útil?" ( eu sou um prato a atender telefones quando estou a trabalhar)
"-Ai filha, desculpe foi engano!"


"Ai filha"?

Nem ao meu marido deixo tratar-me por filha quanto mais a uma gaja. Fiquei lixada.

2 comentários:

continuando assim... disse...

convite para seguir a historia de Alice, lá no
Continuando assim...

ainda vai no início :)

espero que gostes

bj
teresa

Pocahontas na Cidade disse...

Também não gosto nada que me chamem de filha...

é filha, fofinha, querida...