terça-feira, 30 de setembro de 2008

Marcar prioridades

Hoje lembrei de um dos videos do Achmed que meti aqui há uns tempos, ontem aprendi a meter na cabeça uma grande lição:
"prioridades, prioridades, prioridades"

Tenho que aprender a criar prioridades na minha vida e a dizer NÃO a muita coisa. Tenho que deixar de ser a aventureira que sou e refrear-me um pouco na minha sede de aprendizagem.
Antes que seja eu a começar a cantar "jingle bombs".
Fui obrigada a tomar decisões e meter certos pontos nos "i's" de tudo o que faço para além aqui do trabalho... "não posso passar os meus dias a adorar a gregos e troianos" (palavras da médica e do marido).
Hoje acordei (YUPI, já dormi) muito mais leve, como se tivesse retirado de cima de mim um peso enorme.

(goats parade)

É em dias como hoje que temos que agarrar a vida pelos "colhões" (desculpem o palavrão) e apertar a ver se ela gosta também de ser lixada, por eu cá não gosto muito.

domingo, 28 de setembro de 2008

Intocável

Tudo começou logo ao acordar.
Sentia um formigueiro, algo me toldava a mente e a cara...
Sentia que certas partes do meu corpo não estavam a 100% comigo, como se tivessem ganhado asas e estivessem a tentar despregar-se de mim.
Os meus lábios, o vermelho tinha-se esvanecido, o sangue fugira de mim como um pequeno demónio da água benta.
O meu nariz, pálido, estava ali e não estava... senti-me abandonada.
Em redor dos meus olhos a sensação era semelhante, a minha cara não fazia parte de mim e eu tentava lutar.
A sensação foi-se alastrando e ninguém me prestava atenção. Eu gritei! Eu esperneei! A minha voz não saia.
O meu braço, o meu braço estava a começar a acompanhar a música do meu corpo.
Sentia uma dormência, sentia-me a desabar, sentia-me a fugir de mim.
Finalmente tu viste o meu desespero, agarraste-me e eu cai em teus braços. Meio viva, meio incrédula se a minha chama ainda ardia.
Ainda permaneço aqui, graças a ti.
Apesar de parecer ausente de chama e sangue a correr nas minhas veias tu mantiveste-me viva e cuidas de mim.




Mais dias menos dia eu vou recuperar e novamente estaria imponente ao teu lado e dar vida ao teu sorriso e ao teu amor.
Voltarei a dar-te beijos quentes e cheios de sangue, envolvo-te num abraço apertado e aí sim saberás que valeu a pena por tudo.
Não me deixes morrer, por favor?

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Para o que eu estava destinada

Um dia para recordar de tanta boa disposição e tão má sorte.

Hoje estive destinada para coisas caricatas:
- apanhar o bus de manhã por segundos (tipo só tive tempo de correr para atravessar a estrada no meio do trânsito);
- passar o dia com a bolha e as bolas de naftalina;
- almoçar sozinha e ser galada por ter 3 gajos que faziam o dobro de mim (eu sou uma mulher casada, tenham dó);
- o meu boss dizer que amanhã vai chegar tarde (fosga-se, não falava comigo quase há 1 semana);
- fazer croché na mesa do boss (esta é de ficar na agenda para mais tarde recordar);
- o bus de regresso avariar;
- ir para o vet e ficar a meio da consulta porque o filho dele caiu e foi para o hospital levar pontos nos beiços...


...acho que me vou deitar antes que me aconteça mais alguma!

Good damm it!

Amanhã vou para o curso e trazer os meus primeiros trabalhos de casa, isto 6 anos depois de ter deixado a escola. Sinto-me em regressão pura, nem no curso eu trazia trabalhos de casa.

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Tratado da ruindade

Aos 25 de setembro de 2008 perante os presentes foi decretado o dia oficial da ruindade.

Levantem todo o vosso dinheiro das contas em notas de 5€ (porque não há mais pequeno e as moedas fazem mossa) e joguem-no na cara de quem vos estiver a meter mais raiva!
Virem as costas e partam aliviados.

Em concordância vai assinado abaixo por todos,


(eu)




(hoje é esta a única coisa que me apetece fazer! Raios partam mais às pessoas, o mundo era tão mais giro só com gatinhos e borboletas)

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

O milagre da criação

Enquanto olho para o teclado vou pensado no que pensar. Estranho não?
Quando falamos demais e sentimos demais acho que confundimos tudo cá dentro e quando estamos sozinhos, especialmente eu, organizo os meus pensamentos.
Quando a nossa vida corre em redor de vários projectos tendemos a pensar somente nos mais presentes e mais urgentes a nível temporal e tendemos a menosprezar aqueles que se calhar nos tocam mais o coração... talvez mesmo por isso não pensemos tanto neles.
Hoje soube que o nosso plano de ter um filho mudou de local. Exactamente mudou de local.
O pedido veio devolvido e foi reencaminhado para o Hospital de Leiria, algo que me está a assustar um pouco uma vez que não faço ideia do tipo de equipa que compõe esta especialidade aqui. Nem fazia ideia que faziam este tipo de acompanhamente de reprodução humana.

Hoje esqueci um pouco os meus planos do dia a dia e fiquei com o coração apertado.
Divaguei por sites onde não ia à meses, senti o que há muito não sentia. Afinal quase 2 anos é muito tempo...



Eu sou feliz por me sentir preenchida, por me sentir ocupada, por sentir que produzo.
Mas para além de todo o mais que quero, quero o meu filho!
Quero dar vida a uma parte de mim que aos poucos tenho vindo a construir, quero dar luz e vida a uma parte da minha casa que tenho vindo a arranjar e outras vezes a desprezar por falta de motivação.
Sinto que me falta algo e que estou a preencher com um todo de coisas que me estão a afastar deste aperto.

Hoje apetece-me a mim receber um abraço em vez de ser eu a dar todos os dias...

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Too much to live, to much to dream

Em dias como hoje, preenchidos ao segundo, vividos à milésima de segundo que paramos por momentos e pensamos SERÁ QUE ESTOU A VIVER?

É quando nos marcam aulas para a noite do dia seguinte, quando tenho que faltar a reuniões, quando tenho encomendas cada vez mais a engordar a lista dos pendentes, é quando discretamente nos obrigam a acelerar projectos.
É aqui que penso, eu sou só uma, única mas humana.
É aqui que penso, isto é o que eu sou e sempre serei, bicho sedento de actividade.
É aqui que sinto fervilhar nos dedos e no coração, mais quero mais.


É aqui que meto um ponto final nisto tudo e adormeço embalada pelo sentimento de felicidade...

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Que se lixe o romantismo



Se o amor é fon, fom, fon que se lixe o romantismo,
Viva o fon, fon, fon!


Roda no meu MP3 à séculos e não me canso.

domingo, 21 de setembro de 2008

E amanhã já é 2.ª feira

Fim semana passado em limpezas ao extremo, não se que raio me deu.
Eu sofro de um síndroma de limpeza profundo mas este fim semana não sei se por ter sido obrigado a ter estado ausente tanto tempo levei tudo ao extremos dos extremos, ao ponto de as minhas torneiras do wc parecerem espelhos e ter feito uma limpeza na despensa e armários todos da casa.

A minha genica anda a assustar muita gente, nem os medicamentos já me quebram! Estou em plena hiperactividade declarada.... será boa ideia ir ao médico?
Soninho nada, continuo aqui.

Amanhã vai ser dias de mais novidades e um novo desafio.
Vou começar as aulas de inglês a sério.



Durante os próximos meses é por lá que vou andar, vou tirar até ao final do nível 12 para já.

A minha mãe hoje disse-me: "Vamos ver quanto tempo vais aguentar até quebrares!"não há quem nos conheça melhor que as nossas mães. O pai deu o apoio total e força nisso, mas também avisou "que quem muitos burros quer tocar..." o resto vocês já sabem!

Amanhã prometo novidades no meu blog do Cantinho dos Miaus, não esperadas de certeza!

sábado, 20 de setembro de 2008

Em branco

Já há muito meses que não estava acordada até tão tarde estando em casa.
E sono nada...
Arrumei todo o material da feira e a casa está totalmente limpa, acho que amanhã vou ter tempo de meter as mãos na massa e dar vida às ideias que tive.

São quase 3h da matina e eu aqui, o Hugo dorme há séculos e eu aqui.

Bem, acho que vou fazer a minha limpeza de pele e ver se vou ler para chamar o soninho.


Bons sonhos

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Esta semana foi

Estou a 99% activa, falta pouco para recuperar da feira.

Esta semana despertei para o mundo, depois dos 4 dias adormecida e retirada desta toda a minha rotina, com uma avidez supreendente.
Tanto para mim como para os outros.
Esta semana lancei-me de cabeça em projectos para os quais nunca tive qualquer tendência mas sinto uma necessidade urgente de mexer, de fervilhar, de conhecer pessoas novas.
Esta semana tornei-me oficialmente vendedora da:



Matei o meu bicho e fixação, vou começar a aprender e ser uma futura demonstradora da:


Já ando a fazer contactos para uma feira de alguns dias para o ano, para o verão. Mas como são sempre coisas que necessitam de muita antecedência e preparação começo já a tratar tudo.
Se conseguir vai ser a primeira feira para os lados da minha santa terrinha e ter como visita a minha querida familia (cof, cof).

E o top dos top's ando a pensar em tirar um curso!! Um não, mais que um!!
Tenho uma licenciatura em vista mas se calhar vou esperar para o ano que vem para ver se abre outra que me interessa mais.
Tirando a licenciatura que tal um curso de estilismo... ia ser o delírio.

Agora percebem porque ando tão empolgada. Já agora o Cantinho dos Miaus vai sofrer um up-grade a nível de publicidade, me aguardem!
As mudanças já começaram, somos 3 neste momento a trabalhar no mesmo projecto.

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Vídeo do dia... da Rádio Comercial




Só mesmo isto hoje me fez esquecer que me doí tudo da pontinha do dedo do pé à pontinha do cabelo.

"Ai Zema atão?"

Aqui no de sempre que não será para sempre


Voltámos, voltei. Cansada, dorida até à medula, cheia de sono, com a casa virada do avesso e neste momento um montão de caixas para arrumar e a vontade é tão pouca.
A feira passou, podia ter sido bem melhor, mas mesmo assim não nos podemos queixar.
Valeu os 4 dias em terras de Poiares, o ar puro, a comida tradicional (por falar nisso venho farta, fartinha de carne até às orelhas, ó terriola), café muito café para aguentar pela noite dentro, frio de rachar, muita gente e muita conversa com gente desconhecida, novas amizades e horas e horas de conversa e passeio com o Hugo.
De mãos dadas andamos o tempo inteiro, conversamos pela noite dentro... rimos, discutimos, fizemos planos e descobrimos a nossa nova veia de complementariedade para além das outras todas que nos fizeram decidir a nossa vida a dois e que hoje se encontram mais reforçadas por tudo o que nos rodeia e por todo o amor que sentimos.

Com isto passaram 11 meses de casamento, em plena feira e com cheirinho a festa. Bombos, samba, música pimba e Rádio Santo André o dia inteiro. Valeu a pena por tudo.

Daqui a 1 mês não estaremos por cá novamente!

terça-feira, 9 de setembro de 2008

Preparativos

Adoro os dias assim... sempe aquele nervoso miudinho, uma lista infindável de coisas para comprar, lista de coisas a arrumar, lista de coisas ainda por fazer, listas para tudo e mais alguma coisa!
Todos os intervalos no trabalho ou saidas para serviços externos são motivos para fazer qualquer coisinha que está pendente ou em falta.

É sempre nestas alturas que executo tarefas do mais impressionante possível, tipo cortar o cabelo a mim própria. Quando me predisponho a isso sou mestre, corto com tal eficácia que ninguém nota a diferença (se foi cortado por mim ou por profissional), este fim semana levou um desbaste... deixei de ter "guarda-lamas" ou "corninhos no ar", piadinhas que já andava a ouvir.

O tempo passa tão rápido que nem me dou conta.

Estou a sofrer de nervoso miudinho como se fosse principiante nestas andanças, não tem grande lógica mas enfim. É só mais uma feira... de 4 dias!

domingo, 7 de setembro de 2008

Something to remind!

Estou rota de tanto trabalhar!
Estou cheia de borbulhas, olheiras e não percebo bem porquê, até nem tenho me esforçado muito, tenho simplesmente me dedicado.

A feira aproxima-se a passos largos e hoje andamos os 2 por aqui a acabar certos pormenores, mas parece que agora é que tudo aparece por fazer.
Ontem passei o dia com os meus pais e mano, curti o meu carro já arranjado e aproveitei para tirar um peso de consciência e fiz uma coisa inovadora:

LIMPEI-O!!

Há 1 ano que aquele carro não via um aspirador ou um pano do pó! UAU!


Agora nem parece o meu carro!
Bem tenho que ir trabalhar que isto não andado para tagarelices.

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Vamos mudar ou não?

O ruído por vezes interfere demais em nós e não nos damos conta.
Vivemos em plena sociedade ruidosa e agitada e não conseguimos criar uma separação, uma grau de afastamento tolerável para respirar e pensar com todos os membros (pés e cabeça).
Essa barreira não nasce connosco, cria-se!

O ruído tem sido uma constante nos meus dias há meses para cá, mesmo que eu sacuda a cabeça para que eles desapareçam teimam em permanecer e aumentar de volume. Eu desligo o rádio, meto auscultadores, fecho os olhos e tento desligar-me... mas nada.
Irrito-me!
Mudo de táctica, desligo tudo e abro a porta da rua e fico concentrada no barulho da vida... pessoas a falarem no café ao lado, os carros que passam e buzinam, sinto o ar fresco a entrar e sereno.
Gosto de observar as pessoas, o seu ritmo mecânico sempre preocupadas em atingir algo ou chegar a algum lado, também assim o sou mas mais silenciosa, mais solitária.

Aclamada como de ideias fixas e vazia de humildade, apelidade de solitária e coração frio, certa do que quero hoje e amanhã espero calmamente para que tudo me chegue com calma e até lá vou fazendo tudo o que estiver ao meu alcance para ter o que quero.

Hoje comecei as minhas aulas de inglês (finalmente!) para desenferrujar e praticar. Nos próximos tempos (após a feira, claro) será a minha única inclinação. Porque quando meto algo na cabeça não há nada que a tire.


And today is thursday, the September 4th, the beginning day.

terça-feira, 2 de setembro de 2008

Achmed the dead terrorist




É impossível não rir.
Actualmente famoso na televisão, Achmed é um terrorista e pêras!

Actualização:



Este também está excelente!

... o momento mais feliz?

Preciso de soprar a todo pulmão para esta rabugice se ir embora.
Preciso de rodar o botão para aumentar a luz do sol que me ilumina todos os dias para eu conseguir recarregar a bateria e aguentar o stress do dia a dia.
Tenho andado estes dias especialmente stressada, enervada, em baixo. Tudo graças ao trabalho, não, graças ao patrão... esse que não aparece desde ontem e também parece que não me fala.

Hummm! Estamos mal muito mal.

Hoje num delírio sonhamos que eramos despedidas. E imaginamos uma entrevista em que nos perguntavam qual tinha sido o momento mais feliz da nossa vida:
"-Quando fui despedida, sem sombra de dúvida!"
Dei urras com o desvaneio, rimos as 2 como duas crianças. Recuperamos o fôlego para aguentar o resto do dia.

E ele continua sem aparecer assim como o ordenado na conta. Acho que ainda lhe vou ligar a perguntar se foi de férias.

ARGHHHHH!!