domingo, 31 de agosto de 2008

Estou enjoada mas não estou grávida

Que me chamem de fracota, eu não me interesso! Mas tenho aqui o estômago e a barriga numa autêntica revolução.
Finalmente cumpri mais a minha "partner" o há muito combinado e fomos apanhar uma barrigada de marisco à Figueira da Foz...

Juro que nos próximo meses nem delícias do mar vou conseguir meter à boca de tão enjoada que estou. Afinal ao fim de 3 travessas eu já estava atestada de marisco e não cabia mais nada, nem o cafézito já foi.

O Hugo esse rejubilou com a fartura e até já lanchou (credo, abençoada barriga!).

Valeu o descanso abençoado no paredão da praia a beber um sumo e ver as vistas.

Foi um dia em grande com amigos diferentes o que sabe sempre bem e desanuvia as ideias.
Apesar de eu ser sempre a estraga festas e quando olhei para o relógio a primeira coisa que disse "Raios, as horas! Quero ir para casa que tenho tanto para fazer!" ... e aqui estou... enjoada.

sábado, 30 de agosto de 2008

Entrando de novo na rotina

Parece que tudo voltou à normalidade.
Hoje tive um daqueles sábados silenciosos como não tinha há meses, em que o único ruído era mesmo o da televisão e que somente fazia barulho de fundo para não sentir que estava mesmo sozinha por casa.
Passei a tarde a trabalhar, tenho andado com aquilo que se pode chamar de agenda bem cheia... mas bem programada e vou cumprindo as tarefas que me incumbi sem grande stress apesar do tempo se começar a esgotar e estes próximos dias serem preciosos.
Hoje, em muitos meses, finalmente o Hugo foi passar a tarde a jogar airsoft e agora está a ver o jogo da bola algures no quartel. O silêncio impera por aqui. Nem miados de gatos se ouve, têm-se portado que nem uns anjinhos... ninguém diria que são 5 felinos.

A única coisa que quebrou o meu silêncio interior foi o corre-corre na rua... tivemos casamento cá no prédio. A noiva ia linda de creme e ramo com flores cor de laranja, o noivo a condizer com a gravata da mesma cor.
Hoje recordei muito o meu dia de casamento e bateu uma saudade. Gostava de passar por todas aquelas sensações novamente, apesar do stress o dia em si foi algo maravilhoso. Não sei explicar!


E entretanto está quase a fazer 1 ano, como o tempo passa...

quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Virada para o mundo

Tenho dormido mais que a conta, não sei que se passa esta semana.
Tenho acordado mais que em cima da hora, tipo quase com 20m de atraso... mas tenho chegado sempre a horas ao serviço e até tenho aberto a porta antes da hora normal.

Raios, quando chego tarde o meu boss já aqui está sempre mas quando chego cedo aparece só quase à hora de almoço!!

Tenho passado os dias serenos, sem me preocupar com o futuro e vivido o presente com a maior satisfação. Tenho saído mais do que é costume, tenho convivido mais que o costume, tenho sentido falta de estar rodeada de pessoas fora do trabalho.
Esta semana tenho escapado às minhas tarefas com uma delicadeza extrema e não me tenho remoído de remorsos, o que é muito bom tendo em conta a minha natureza perfecionista e cumpridora das tarefas que muitas vezes me incumbo a mim própria.
Tenho passado muito bom tempo, de qualidade, com o Hugo, ontem já o jantar estava mais que pronto e arrefecer na panela estávamos os 2 numa luta a jogar pc... algo que nunca tinhamos feito. Acho que ficou viciado, hoje prometi a desforra.

Hoje enquanto vinha para Leiria (no meu tempo de reflexão diária) dei-me conta que não choro há meses largos. Apesar de um início de ano atribulado tudo passou e alcançamos mais o que tinhamos programado, apesar de todas as contrariedades a volta deu-se por cima e o ano ainda não acabou.

Hoje não há imagem que me descreva... não há nada que me defina!

terça-feira, 26 de agosto de 2008

Ontem fui ver David Fonseca

A palidez hoje mora comigo, juntamente com as olheiras e a vontade de pouco ou nada me mexer.
Mas aqui no peito mora uma saudade, algo que não sei explicar.

Hoje recordo anos atrás quando assisti a um concerto de Silence 4 em pleno Largo do Papa em Leiria, na altura acompanhada do F. e em que delirámos com o espectáculo. Sinto saudades dele, sou sincera... ainda hoje falamos e somos os melhores amigos, ele nunca deixou de ocupar um lugar no meu coração e eu no dele. Completavamo-nos de certa maneira e ambos seguimos caminhos diferentes por uma decisão conjunta e ambos estamos felizes e partilhamos tudo o que alcançamos na vida apesar de não sermos nós os 2.
Há uns meses encontrei uma amigo comum e em conversa de café para pormos as novidades em dia ele me disse "Eu nunca percebi porque é que vocês foram um para cada lado. Ele fala de ti e tu falas dele ainda após estes anos todos como se fossem os maiores amigos!"

... e somos.

Mas tudo veio hoje ao de cima porque ontem recordei



Mas desta acompanhada pelo marido e por ela. E a alegria enche-me hoje o coração.
Foi mais um concerto maravilhoso que tive oportunidade de assistir e novamente rodeada das pessoas que amo e sei que no fundo tudo o que fiz na vida e que tenho são a minha felicidade, sou eu e eu sou eles.

Hoje estou aqui ensonada pelas poucas horas de sono que tive mas orgulhosa pelas coisas lindas que me preenchem!

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Tempo livre

Ontem passei o dia esticada na praia.
Qual lagarto dedicado ao ócio e ao "nada fazer", eu bem levei trabalho mas nem abri a mochila. Eramos 4 de toalha esticada na areia, na amena cavaqueira e conversas que de pouco ou nada se aproveitavam ou de muito se falou, aliás falámos de tudo.
De um lado o marido, enjoado e de bota ortopédica à cabeceira, do outro a minha mãe espremida no espaço que sobrou entre mim e o meu pai... ela tem sempre que se vir enfiar no meio.
Quais putos em que não existe distinção de idades e em que os mais velhos são sempre os piores dia que ficou marcado na memória pelos gelados grandes (2 bolas), as toalhas sempre cheias de areia e ameaços que um projecto de cão que por lá andava.

Esperamos repetir para setembro, já que são tão poucas as vezes que estamos juntos assim!


O fim semana ficou também marcado pela prenda do marido, comprou-me o bengaleiro que eu andava a namorar há semanas. O único que vi e gostei desde que comprei o apartamento... já lá vão 2 anos e meio. É em bruto, madeira maciça, agora tenho que pintar e decorar a meu gosto.
Só me faltam os peixinhos para o meu hall ficar como eu imaginei!

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Não é que até dizem umas verdades

TOURO - O Resistente. Que encanta mas agressivo. Pode parecer enfadonhos, mas não são. Trabalhadores duros. Amável. Forte, tem resistência. Seres sólidos e estáveis e seguros dos modos deles/delas. Não procuram atalhos. Orgulhosos da beleza deles/delas. Pacientes e seguros. Fazem grandes amigos e dão bons conselhos. Bom coração. Amam profundamente - apaixonados. Expressam-se emocionalmente. Propenso a temperamento-acessos de raiva ferozes. Determinado. Cedem aos seus desejos frequentemente. Muito generoso.


GÊMEOS - O Tagarela. Inteligente e engenhoso. Parece estar sempre de saída, muito falador. Vivo, enérgico. Adaptável mas com necessidade de se expressar. Argumentativo e franco. Gosta de mudança. Versátil. Ocupado, mas às vezes nervoso e tenso. Fofoqueiros. Pode parecer superficial ou incoerente. Mas só é sujeito a mudança. Bonito fisicamente e mentalmente.


Acham que após lido isto eu (touro) e marido (gêmeos) temos um futuro risonho?

Gostei especialmente da minha parte de "acessos de raiva ferozes", quem eu? Não?

Ontem o meu signo dizia para me rodear de pessoas amigas

E lá se realizou a reunião da Tupperware em minha casa, sou oficialmente uma hospedeira só pelo gozo de me envergonhar publicamente com as minhas calinadas domésticas a nível de cozinha!
O pessoal riu-se e gostou, mais duas foram marcadas e prometo novamente em minha casa para Novembro... acho que já escolhi o próximo tema.

O que me fascina mais é as dicas dadas pelas demonstradoras, realmente dão para ficar a pensar. Porque os produtos apesar de serem de excelente qualidade ( o marido comprova já que é do ramo de moldes e plásticos) são de preços um pouco elevados.

Mas quem foi a estrela da noite foi mesmo a Matilde!


Que fez as delícias de miúdos e graúdos. A única que teve autorização para cirandar pela sala porque sabiamos que ela nunca iria atacar a mesa de exposição, por lá andou a distribuir miminhos e deixar que todos afagassem o seu pêlo "pó talco".

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Inspirada em algo não sei bem

Podemos perder muita coisa na nossa vida, coisas a que demos e podemos dar ainda agora valor.
Podemos perder a casa ou o carro, amigos e familía, um amor, uma paixão, um trabalho ou um hobbie... poderia passar aqui o resto da tarde a enumerar a quantidade de coisas que todos nós já perdemos a vida inteira, mas não é disso que me quero concentrar.
Quero pensar e escrever sobre as coisas que nunca perdemos!
Essas sim tem sido para mim muito importantes a vida inteira. Porque uma casa ou carro são substituíveis, os amigos vão e vêem como as flores nas primavera, a família cumpre o ciclo da vida e todos sabemos que nenhum de nós é semente precisosa para durar eternamente, um amor é porque não era verdadeiro, as paixões são mesmo assim, um trabalho por outro melhor é tudo o que esperamos sempre e os hobbies mudam consoante a nossa maneira de ver a vida em cada momento.
Mas nunca, nunca devemos perder o sorriso, a vontade de viver cada dia, a vontade de amar, a vontade de partilhar a vida, a vontade de aprender e evoluir.
Devemos acordar cada dia e dar graças por tudo o que nos rodeia, eu o amor da minha vida e todos os meus quatro patas que me acolhem no meu acordar e me dão os bons dias da maneira mais calorosa que pode haver.

Passo, como todos nós, momentos da vida em que parece que o coração deixa de sentir e tudo o que de bom e quente nos envolve desaparece e se torna frio... mas o retorno é sempre tão bom.

O retorno de dizer "esta é a minha vida e sou eu a dona dela", o retorno a tudo o que sempre esteve lá e nunca nos deixou um segundo mesmo quando não pensavamos neles.
Sinto uma chama dentro de mim que arde cada vez mais todos os dias, sinto que tudo reaqueceu e ferve, sinto que consigo controlar o que me rodeia.
Sinto que o amor não esmorece só porque a rotina se instala, o amor está em nós... está em mim e está em ti,
Sinto que as amizades existem mesmo na outra ponta do país ou do mundo, mesmo do outro lado do monitor,
Sinto que a família é tudo na vida, é a minha vida!


Sinto-me como na foto... mas viva!

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Descoberta do dia

Afinal sempre temos um blog!!!

Rir é o melhor remédio


Tem dias que só em apetecia apanhar um destes pela frente para me poder desmanchar a rir a sério!
De certeza que irei começar a dar mais valor ao cor de rosa... se calhar vou comprar umas assim também.

terça-feira, 19 de agosto de 2008

Oficialmente conhecido e desvendado

Já é oficial bloguísticamente o nosso quase despedimento.

Bem, da minha parte foi "baixaria" mesmo, mas continuo aqui uma vez que ele não quer despedir ninguém... prefere que o pessoal se vá. Não sei se me estão a entender.
Da minha parte ficou bem ressalvadado que "lhe vou fazer a vida negra até eu me fartar ou ele me despedir!"

Mas fora de brincadeiras, a coisa anda mesmo azeda por aqui. Mas decidi que me vou aguentar e ver onde isto vai dar, a corda há-de rebentar para uns dos lados. E lá se vai um namoro que dura quase, quase 4 anos.


Nos entretantos já saldei o meu trabalho no clube, estou mais folgadinha de horário e no seguimento o marido está a retornar ao serviço... aos pouquinhos a ver até que ponto consegue aguentar.
Fica mais umas vez provado que o que não nos mata nos torna mais fortes e assim se cumpre o ditado.

domingo, 17 de agosto de 2008

Um jantar a sós

Ontem foi uma noite estranha!
Cozinhar, coisa que já não faço há uns tempos. Mas pior foi cozinhar só para uma pessoa!

Utilizar um tacho pequeno, ser tudo em uma só dose. Senti-me sozinha, senti-me estranha.
De repente senti um frio na espinha, um silêncio gélido dentro de casa. Sacudi a cabeça e tentei afastar aqueles pensamentos.
Não estou sozinha!
Gatos!! Venham já para aqui!

Delicie-me com uma macarronada de bacon com queijo gratinado e pimenta acabadinha de moer. O marido morreu de inveja pelo meu jantar, quer repetição num fim semana acompanhado de uma garrafa de Lancer's (passo a publicidade, um dos vinhos rosé que mais gosto) que temos ali no frio já guardada.

Tem dias que precisamos mesmo é de uma boa festa!

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Eu...


Sinto-me leve...
Uns dias mais negros, só e exclusivamente devido ao trabalho, outros dias mais brandos e cândidos.
Sinto que estou a deixar de parte algo de mim que não gosto tanto, a parte de pensar demais no futuro e não viver o momento, a parte de querer controlar demais e não aproveitar a vida, muitas partes estão a ficar pelo caminho enquanto as rugas vão ocupando o seu lugar.
Sinto-me eu, todos os dias da minha vida. Porque cresço e faço o que quero e digo o que quero!

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Porque a vida são 2 dias

Ontem enquanto tratava de encerrar as contas lá no clube, nós os 2 já a morrer de sono e tu a reclamar se faltava muito enquanto confirmavas pela 2.ª vez se a caixa esta certa eu escrevia a data no talão de depósito da semana... 13/08/2008.

Hoje fazemos 10 meses de casados!
Ao que tu, como sempre irónico, respondes "Verdade!".

Esqueço-me que tu não esqueces as datas e mesmo que não comemores te lembras delas todos os dias. Há noite depois do nosso leite quentinho com bolachas deste-me um beijo de boas noites caloroso e adormeci quase de imediato.


Hoje como marcado fomos os 2, bem dispostos como sempre, para o centro de saúde. Mostrar os novos exames e hoje seguiu o nosso processo para o H.U.C. para avançarmos com a fertilização in vitro!

Foi um alívio, finalmente seguiu. Agora é esperar por eles...

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Sapos, peixes e lagostins


Eles continuam lá e eu sem tempo para eles.
Esta semana ainda não fui lá, mas sei que estão bem. Tenho receio que o meu orgulho me leve a que as minhas visitas sejam cada vez mais escassas, que afinal sou dispensável para mais coisas da vida do que as que pensava. Não seremos todos?
Existem ciclos que teimam em demorar a fechar-se e este teima em continuar a arder, qual fósforo em plena e contínua combustão... desgastando-se, denegrindo-se, quase ao termo de se apagar.
Eu não me quero apagar! Aliás, longe disso, quero crescer como menina que sou nos meus sapatos de verniz que sempre me acompanharam.
O meu pai diz, a minha mãe concorda, o marido reclama.

Que fazer quando somos anjo e demónio ao mesmo tempo?

terça-feira, 12 de agosto de 2008

Resenha literária... n.º tantos


Parei de o ler mas este fim-semana regressei às poucas páginas que me faltavam.
A escritora famosissima como é despertou-me o desejo de ler o "Como água para chocolate" que até o meu irmão me vem dizendo que é um excelente livro.
Este "Malinche" é um romance no tempo dos descobrimentos e da cristianização forçada das tribos índias, neste caso a paixão de Malinalli por Hernán Cortés (espanhol) e que desabou todo o mundo dela de crenças e deuses.
É um livro que li por ler, que não me despertou aquele desejo de ler o mais rapidamente possível, mas que ao mesmo tempo apresenta uma história agradável e que em muito transmite a realidade passada naquele tempo dos descobrimentos.
É um livro que fala muito de deuses e crenças em seres naturais, o amar da água, do vento, das sementes, da terra, do céu, do sol.
Talvez no que eu mais acredite!
Gostei, não posso dizer que não e como sempre teve passagens que fui marcando para aqui transcrever:

"Só quando somos crianças vemos a verdade porque os nossos olhos são verdade, dizemos a verdade porque o que sentimos é verdade. Só quando somos crianças não nos atraiçoamos, não nos negamos o ritmo do cosmos"

"Todos os anos se celebrava uma missa da queda de Tenochititlan. Malinalli não gostava de assistir. Incomodava-a reviver os mortos, as queixas, os prantos, mas incomodava-a ainda mais as orações que fizessem diante de uma Cristo crucificado. Diante da imagem de um novo deus, do deus da carne cravada na cruz, do corpo sangrento. Horrorizava-a vê-lo porque o seu espírito smpre rejeitara os sacrifícios humanos".

In "Malinche" de Laura Esquivel

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Acções de graças a uma 2.ªfeira

Há quem faça acção de graças antes das refeições agradecendo às entidades celestiais a refeição com que se vão deleitar, eu é um pouco diferente, eu faço acções de graças logo de manhã ao acordar... ainda mais a uma 2.ªfeira de manhã:

- Agradeço ao gato que dormiu na minha almofada a noite toda e me obrigou a dormir mais abaixo da cama sem almofada e quase com os pés de fora (Ruca);
- Agradeço à gata que durante a noite achou que o meu pé seria um rato invasor, alvo essencial a atacar e me arrancou um bife com uma unhada (Matilde);
- Agradeço à gata que me acordou de madrugada a miar e me fez ganhar coragem para ir à casa de banho e que depois não parou mais de miar (Margarida);
- Agradeço ao gato que mal me levantei e meto os pés fora da cama me ataca o tornozelo e fica agarrado a mim como lapa, obrigando a arrastá-lo pela casa adiante obrigando-me à ginástica matinal (Noddy);
- Agradeço por tudo à gata que não abriu a boca hoje e se deitou no tapete somente a pedir festinhas na barriga e me fez esquecer as patifarias dos outros todos (Mafalda).

As minhas acções de graças são estranhas eu sei...

domingo, 10 de agosto de 2008

Saturday

2 p.m.

Agora os meus sábados depois de almoço são assim... dediquei-me às sonecas mais os gatos.
Neste caso era a Matilde que se tem tornado a minha fiel seguidora e quem tenho que adormecer como se de um bebé se trata-se.

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

O peso da idade

O meu marido ainda é do tempo em que se lambiam os selos...

Estas modernices de selos em blocos que se descolam e colam nas cartas são novidade para ele, fico feliz de lhe ensinar coisas essenciais da vida. Quanto mais não seja que lamber selos já não está na moda e a cola dos ditos sabe mal para caraças.


Por acaso ele hoje não quer falar muito comigo, aliás estou proibida de lhe ligar.
Está farto de ouvir falar em hóteis, aviões, transferes e mais "que somos donos de um banco" e que temos que aproveitar.

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Bad Girl

Devo ser um bicho tão mau que o boss vai atender o telemóvel para a rua para eu não ouvir... e hoje depois de uma pega com ele deu-me um telemóvel com 40€ de saldo!

Estamos a fazer progressos, por este andar começo a receber os rendimentos da empresa na minha conta pessoal.

quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Implicâncias

Hoje implicaram comigo e conseguiram fazer-me andar a pensar.

Hoje implicaram com eles...


1.º Porque trouxe uns sapatos de tacão (coisa que não costumo utilizar);
2.º Porque são da moda, de bico ( e eu sou anti-moda);
3.º Porque trago a uso os sapatos do meu casamento (já estão um bocado esfolados numa das biqueiras devido a um brincadeira na lua de mel no cruzeiro).

E implicaram com as minhas calças de fato e com a minha blusa decotada!

Será que não posso fugir ao meu normal de vez em quando?

Mas os sapatos é que me fizeram andar o dia inteiro a olhar para o chão, são os meus sapatos do casamento e depois?
Gosto deles, apesar de serem os únicos que tenho assim, escolhi todos os pormenores contidos neles desde o tacão, fivela, feitio e a cor escolhi meticulosamente do catálogo e confesso que me custaram quase um valor de 3 dígitos... sem vírgulas. Mas gosto deles e são do mais confortável que há. É a vantagem dos sapatos feitos por encomenda, são caros mas são a nossa cara.
Podem achar que não tem nada a ver comigo mas eu com eles sinto-me bonita, hoje sinto-me bonita.

São do meu casamento e trazê-los fazem-me lembrar o dia divertidissímo que tive e que voltaria a repetir, sem mudar uma vírgula.

Amanhã já venho de calças de ganga e chinelos, prometo!

terça-feira, 5 de agosto de 2008

Coisas da cafeína

Depois de uma noite dormida a correr, sair do trabalho quase às 23h admito que não seja para todos e encurta um pouco a minha estadia no vale dos lençois, um acordar preguiçoso mas alegre como sempre.

É divertido acordar com a agitação lá de casa, a Matilde porque mia e persegue-nos pela casa toda, o Noddy porque já passa da hora da comida e estamos a falhar com ele, o Ruca senta-se e espera ansiosamente que lhe dêem atenção, a Mafalda rebola-se no tapete da cozinha à espera das suas festinhas na barriga e a Margarida corre feito louca pela casa toda... hoje com uma palhinha de sumo na boca que deve ter roubado do meu copo de refresco de ontem.




Hoje como tinha uma agenda super completa e muita agitação pela frente não bebi café... mas agora depois do almoço, de meter o MP3 a funcionar e estar aqui a ouvir uma música bem calma o soninho parece apertar e começo a pensar seriamente em atravessar a rua, sentar-me na esplanada ao sol e beber um café calmamente enquanto esquematizo o meu trabalho para esta tarde.

Porquê o café? Porque adoro o seu sabor.

em mim / de mim / para mim

As obras aqui no lado continuam e o buraco na parede também.

Estar aqui sozinha a tomar conta da imobiliária é-me tão natural como beber água, não me apraz mas também não traz nervosismo. Tão natural como dar um beijo em quem amo ou coçar quando tenho comichão.
Àquele que em todo os outros lados se costuma chamar de patrão aqui não se define por essas linhas estruturais e tão delineadas, aqui é alguém simplesmente que paga no final do mês, pura e simplesmente.

Chiuuu... oiço a parede! Estão a abrir ainda mais o buraco.

Ontem enquanto trabalhava no clube ( para quem não sabe eu estou no Clube de Campismo da Marinha Grande) atendi um casal muito simpático, estivemos na amena cavaqueira durante imenso tempo até que o Hugo chegou e pelos visto eram conhecidos, conhecidos chegados porque até pela família perguntaram.
Fiquei durante minutos a observá-los, os abraços e beijos, o saber de novidades e senti-me fora daquele contexto. Por segundos vi-me fora do meu corpo e a minha alma não seria dali.
Quando retomaram a atenção em mim, eu orgulhosamente digo "Este é o meu marido!"

... já quase há 1 ano.

Existem sentimentos para os quais não temos palavras para descrever, como o de amar alguém que sentimos ser o nosso orgulho ou de trabalhar em algo que não se rege pelas normais leis do trabalho. Sinto que preciso de ir a um psiquiatra.
Sinto que sinto demais a vida em mim.
Sinto que sinto demais o que a vida traz para mim.
Sinto que sinto algo para a qual não tenho palavras...

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Pensamento do dia

O que fazer quando se está sozinho no escritório a tomar conta do negócio todo e de repente ouvimos cair um bocado de uma parede?



Reflitamos sobre isto.

Para quem diz que é um luxo

Nós não consideramos isso, foi mais algo que sempre quisemos e que aproveitámos uma oportunidade para comprar uma que gostámos.
Ontem foi a inauguração oficial da nossa menina lá de casa, a nossa 4 rodas...

E porque o marido protestava que ainda não tinha fotos dele no seu estado de graça, engessado, para poder recordar futuramente dos meses em que passou literalmente fechado em casa e sem poder meter um pé no chão aqui fica ele no seu último dia de gesso. Hoje já sai fora!


Eu simplesmente adorei! Não tem qualquer comparação a uma 2 rodas, que sei conduzir desde a minha adolescência apesar de não ter carta para ela. Esta aqui posso sempre pegar quando me apetecer e ir gozar uns passeios. Porque quando decidimos algo é para os 2 e assim sempre o será.
E não é nada difícil conduzir aquilo, o marido diz que basta apenas mais uns treinos para fazer as curvas porque não sou dotada de muita força de braços e fico autorizada a sair sozinha.


Até o sogro matou o bichinho e deu umas voltas pelo pinhal! Ficou super aprovadissima. Mas esclareço que a nossa menina não é de pinhal está completamente matriculada e segurada para andar em estrada por isso não se admirem se nos virem andar por ai no passeio.

domingo, 3 de agosto de 2008

Para ti

Acordei com o mundo nas mãos!
Tenho-me sentido assim nos últimos tempos, dona e senhora de mim e das minhas vontades. Um sorriso contagiante que tanto me caracteriza e uma vontade de rir e fazer tudo feliz em meu redor.
A minha colega diz que finalmente pareço eu, na minha plena consciência do meu ser. Sou eu e como sou.

Por falar nisto, tenho muito que agradecer às pessoas que entraram na minha vida simplesmente porque assim tinha que o ser e tu foste uma delas, desde o primeiro dia que vi em ti alguém que me preenche e sabes bem disso.
Tens sido a minha conselheira, a minha ouvinte, a minha metade na partilha do bom e do mau, a minha metade nas conspirações laborais que passamos dias a engendrar, os nosso dilemas financeiros e as nossas maluqueiras.

Para ti amiga aqui vai a tua música, que me fizeste aprender a amar...



E tua como sempre as nossas recordações em que partilhamos momentos felizes...

BOAS FÉRIAS!

sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Preto no branco

Ontem pensei que haveria ter sido chamada de Mafalda, apesar de não gostar muito do nome acho que me identifico mais com a personagem que ela encarna nos livros de BD que me preencheram a adolescência.
A contestatária, revolucionária, inconformada, lutadora... sim sem sombra de dúvida que deveria alterar o meu nome!

Depois de muitas noites mal dormidas e dores de cabeça levadas para casa decidi que quero expandir asas na minha vida profissional e só prevejo 2 saídas possíveis na minha cabeça:
- comprar a imobiliária (realmente era isto mesmo que eu queria)
- sair daqui e procurar trabalho mais perto de casa em qualquer ramo onde pudesse ter a possibilidade de progressão na empresa.

Motivos: talvez a minha estagnação aqui ( como já anteriormente o descrevi).

Hoje dei como oficial, e finalmente vou dar seguimento à minha decisão de há 2 meses atrás, a minha procura de emprego!

Como me sinto, mais leve... e ainda nem sai daqui.