quinta-feira, 31 de julho de 2008

Mão no peito

Surpreendo-me com a minha frieza e falta de sensibilidade.
Acusada de muitas vezes de coração de pedra e sem sentimentos, consigo definir o que devo sentir com o coração e o que devo sentir com a cabeça.
Até em ti meu amor.
Sabes que defendo-me a mim acima de tudo na terra e para mim eu sou intocável em qualquer dos meus patamares da minha consciência.
Não fiques ferido pela minha atitude directa e sem retorno, há coisas na vida que assim o têm que ser.

Dormes agora que nem um anjo na minha almofada, no meu lado da cama, enquanto eu...
Eu mais uma vez meto a cabeça acima do coração e defino o meu destino que passa também, muito ou pouco, por ti.

Sabes que te amo e nada o vai alterar. Ès o meu anjo da guarda por mais que eu te carregue de mim e com tudo o que me rodeia.

Dorme em paz meu anjo e que o nascer do dia ilumine o teu sorriso e o meu coração.

"Tropa de Elite"

Quem já viu o filme?

Pessoalmente vi por mera curiosidade e fiquei bastante impressionada, foi um filme do qual gostei bastante e quero retornar a ver.
Apesar da polémica de dizerem que não retrata a realidade da BOPE e em muitos factos ser falacioso, achei deverás interessante muitos dos factos relatados.

Para quem não conhece e gosta deste tipo de filmes que relatam um pouco da realidade aqui vai uma ideia.



Claro que fiquei fã também da trilha sonora...



(desde que aqui meti já ouvi umas 10 vezes)

quarta-feira, 30 de julho de 2008

A minha criança

Ò yeah!

Temos uma nova menina na nossa vida. Mais um sonho realizado.
São estas pequenas conquistas que me dão vontade de gritar "como eu adoro viver", porque nos apesar do nosso esforço temos sido sempre bem sucedidos e nos vamos rodeando daquelas pequenas coisas que sempre sonhamos os 2 ter.

No fim semana estão prometidas umas boas dezenas de fotos das novidades por aqui, sei que estou em falta convosco.

Hoje depois de 12h de trabalho soube bem receber o primeiro pagamento do mês, é tão bom saber que tenho uns pais super orgulhosos de mim e babados ao dizerem que têm uma filha tão trabalhadora. Acho que com os extras todos deste mês lhes vou comprar um miminho, nem que seja uma caixa de chocolates ou um bom licor (coisas que também gosto de meter os beiços, é claro!).


Vem ai o marido... fui.

terça-feira, 29 de julho de 2008

Preenchida

Sabem aquela sensação que já deram demais de vocês por um projecto ou algo em que estejam envolvidos?
A sensação que nada de novo poderemos daí aprender ou conseguir ensinar.
Eu sinto-me assim.
Estou a precisar da "mudança", aquela alteração deste sentimento de missão cumprida que tenho à tanto tempo. Talvez por achar que o meu esforço e dedicação já não são merecidos, talvez ainda esteja aqui retida porque acho que dei demais tendo em conta o que recebi em troca...

Sinto que a minha presença aqui já é desnecessária!

É uma sensação de missão cumprida e ao mesmo tempo de ressentimento pelo tempo perdido.

Vou alargar asas e meter a mão no fogo pelo que quero.

segunda-feira, 28 de julho de 2008

A dormir

Abre a pestana... como posso abrir algo que não se fechou durante a noite?

Muito antes da hora já estou de pé, parece que venho directa de uma noite de borga, ressacada.
Ruca, Noddy, Mafalda, Margarida (onde anda a Margarida?) e a Matilde, mesmo aqui ao lado, depois do alinhamento militar matinal toca de dar comida à bicharada.
Visto-me, penteio o cabelo que não tenho ou finjo ter, meto o Nestum à boca (arggggh!) nem isto hoje vai. Iogurte, fruta e pão, para além do almoço que já está prontinho e saiu de casa.
Chego cedo à rodoviária como não chegava à imenso tempo.

Primeiro dia de trabalho depois das férias... que foram mesmo férias e acho que preciso de 15 dias para recuperar destas 2 noites em branco e com gatos à mistura.

Atordoada com o movimento piso terras leirienses com vontade de começar mais um dia de trabalho, mas só acordo depois de um cafézito e de ligar para casa a ver se estão todos bem.

E claro, trouxe pão no saco, será que os meus amigos peixes ainda se vão lembrar de mim?

domingo, 27 de julho de 2008

Noite em branco

Nervoso miudinho na barriga, o sono ecoa na cabeça e faz aquele formigueiro nos olhos e torna tudo um pouco enublado e confuso.
Todos dormem e eu não. Passei a noite em branco sem motivo aparente.
Apetece-me deitar e dormir mas não posso...
Tenho uma encomenda por terminar e tenho que deixar tudo prontinho para amanhã em que vou finalmente conciliar trabalho com part-time e casa.


Tenho tanto sono que parece que nem vejo!

sexta-feira, 25 de julho de 2008

Hoje senti-me velha

Último dia útil de férias (stop)

Assunto do qual não quero falar muito mais, não fiz nadinha do que tinha previsto! É inacreditável, as janelas e estores continuam ali à minha espera... também não fogem infelizmente.
Hoje senti-me uma autêntica "quota", hoje fui tratar do nosso PPR. Senti-me noutro patamar da idade ao estar ali a falar de programação de reforços e períodos, mas ficou feito. Também foi para mim um abrir horizontes quanto aos bancos, agora ando a fazer investimentos no Montepio, que nunca me despertou qualquer interesse, mas que hoje fui-me lá fazer de associada e futuramente iremos gozar de todas as vantagens deste nosso passo... já andamos de olho nos cruzeiros (aliás babámos sobre o livro de regalias dos associados).


Mas falando de coisas sérias. Alguém quer uma gata super mansinha?
Vou ali dar umas cabeças na parede e dar umas festistas ao mesmo tempo àquela coisa angelical que dorme ali profundamente na minha sala. Eu sei já são 4 e a partir de domingo são 5. Eu sei que disse que tinha fechado para balanço, mas... opá, não sou capaz.
Desde hoje das 9h da manhã que nos ligaram sobre esta gata que apareceu no SAP, fomos levar comida e ver a gatunça e ficamos na esperança que lhe arranjassem dono. Mas corremos ao primeiro telefonema à hora de almoço que o director a tinha metido na rua.
Agora dorme ali que nem um anjo depois de ter ido à areia e ter enchido a pança de água.
Pela carinha aqui do marido, acho que já não vai a lado nenhum a gatunça. Que faço?

ARRRGGGGG!

quinta-feira, 24 de julho de 2008

Á espera de algo que não chega

Hoje sonhei que tinha morrido.

Tenho sido acompanhada nas últimas noites por sonhos bem reais, aquilo que se chama "sonhos vividos". Tenho despertado em pranto por me lembrar de cada segundo deles, cada palavra, cada gesto, cada som e isso têm-me feito ficar sombria e calada. Hoje fiquei aqui sossegada no meu canto, o máximo que fui fora do prédio foi ao caixote do lixo, nem sai para ir comprar pão. Só nós os dois aqui sozinhos.

Estar tanto tempo em casa e sossegada parece que me tirou os sentimentos, a vontade de viver e escrever.
Sinto-me
abandonada de mim própria e da minha agitação tão habitual, sinto que me falta algo, algo que me é vital para viver.

Passo horas deitada no outro quarto com o Noddy deitado ao lado da minha cabeça a olharmos um para o outro, apesar da sua vinda tão recente cá para casa tenho criado com ele uma ligação muito estranha. Quando estamos os dois no silêncio, só nós os dois parece que eu entendo o que vai naquela cabeça e ele entende o que eu sinto, ainda hoje apertou a minha mão contra o peito dele e invadiu-me com o brilho dos seus olhos e assim ficamos os dois estarrecidos, olhos semi-cerrados a contemplar o momento.


Esta semana sonhei também que todos eles tinha morrido...

terça-feira, 22 de julho de 2008

Ponto alto

Férias, férias, férias...

Estas sim posso dizer que foram das primeiras em que realmente descansei, dormir agora nem por isso mas ver tv com fartura ainda continua a ser a minha tarefa preferida.
Hoje acordei bem cedinho, quer dizer depois dos gatos, e lá fui cortar o cabelo. Uma vizinha minha aqui do prédio tem um cabeleireiro mesmo aqui pertinho (tipo atrás do prédio) e eu nunca lá tinha ido. Adorei! Venho a sentir-me muito mais leve, também deixei lá o cabelo quase todo.
Digamos que vendo bem as coisas foi o ponto alto das minhas férias. Qual férias nas Bahamas!!!

(o quão degradante pode ser a vida humana)

Mas sinceramente já me apetece ir trabalhar, não fui feita para estar em casa. Acho que ser doméstica ou ter qualquer tipo de trabalho que pudesse ficar em casa para mim seria o caos.
Preciso da agitação, o prazer de chegar a casa ao final do dia... e acho que o Hugo anda a passar pelo mesmo, depois de já quase 2 meses em casa anda a entrar em parafuso.
O próximo mês promete ser corridinho e com muitas novidades, a primeira chega já domingo... vamos ter uma nova habitante cá em casa. Digamos que ficará lotação esgotada!
Iremos encerrar para balanço nos próximos tempos, porque 4 miaus vai ser dose.


Mas na devida altura eu apresento-vos a Matilde. Vai fugir um pouco à nossa estirpe de gatos com nomes de BD, mas será muito bem vinda.

segunda-feira, 21 de julho de 2008

Uma verdadeira mulher da casa

Ora o que vai aparecer de seguida vão pensar que eu dei em maluca ou qualquer coisa assim, mas não. Ainda não foi desta que me rendi à loucura total, mas estou lá bem perto.

Como sabem eu gosto de experimentar de tudo e porque não ir às reuniões da Tupperware??
Foi a minha primeira, ficou registado o momento no meu diário. E conclusão, adorei! Acho que não me ria tanto à imenso tempo ( nem quando o marido se espalhou no meio do chão da cozinha e acabou por fazer a ruptura completa do tendão...)

Ora, fiquei tão adicta da coisa que vou fazer uma cá em casa! Fica mais fácil para a demonstradora que mora por cima de mim...
Para quem não conhece pode conhecer aqui.

Huges and kisses!

sexta-feira, 18 de julho de 2008

A olhar para o futuro

Ainda não desapareci... lá venho eu estragar o sonho de muita gente ( lol).

Temos andado aqui de volta de planos loucos, ideias fixas lá isso é o que somos.
Mas novidades, novidades só para o mês que vem! Já agora se conhecerem quem queira um carro bem barato temos um para venda. Preço negociável!

Hoje vai ser mais uma para juntar à minha lista do "Já não vou morrer estúpida!", que tem crescido abismadamente neste último ano e meio, talvez por isso eu me sinta tão feliz por fazer tanta coisa que nunca tinha experimentado.


"agora bão, bão lá às bossas bidinhas que eu estou de férias"

quarta-feira, 16 de julho de 2008

Quem me dera viver no sol

Hoje, finalmente sai de casa e fui passear. Acho que nestes 4 dias vi mais televisão que nos últimos 3 anos, até já chego a ver repetições de episódios... digamos que AXN e FOX live tem sido os canais do momento.

Mas hoje eram 9h já estava de pé.
Eram 10h quando peguei no carro e sai - Marinha Grande com 26 Cº, um sol escaldante.
Minutos depois (+/- 10km) chego à Praia de S. Pedro de Moel, a minha preferida da região. Nevoeiro e apontava para 20 Cº, ok continuei viagem para norte.
Minutos depois, Praia da Vieira, 23 Cº. Fiquei mesmo por lá, aquela praia traz-me imensas recordações da minha infância, adolescência e juventude. Era para lá que sempre fui com os meus pais e com os meus avós, é a chamada praia dos pobres porque está repleta de barraquinhas e afins a vender 1001 coisas, tipo uma feira diária.
Dei uma volta enorme a pé a ver as modificações que tem sofrido nestes quase 2 anos que não ia lá.
Foi difícil encontrar revistas não cor de rosa para comprar. Mesmo assim gramei com a Cosmopolitan e foi se quis.

Deitei-me na praia numa parte mais livre de pessoas e ai fiquei sossegadinha a olhar.



Foto retirada daqui.



Hoje já é dia de começar a aprender o meu futuro trabalhinho das horas extra. Já fui conhecer as instalações e a moça que vou substituir. Acho que acertei em cheio. De certeza que me vou divertir!!

segunda-feira, 14 de julho de 2008

Urgente!

Precisa-se urgentemente vontade para limpar a casa!
Tenho preferência por uma que inclua vontade de limpar estores e vidros.

Se tiverem remetam por mail.

sábado, 12 de julho de 2008

eheheheh

Agora já estou

Ainda não consegui assimilar bem a expressão "estou de férias".
Comentei recentemente que nestes meus 10 anos que já trabalho nunca tinha desejado tanto por férias, parece que ou eram férias ou eu dava as últimas.
Mandei lixar os pendentes e a publicidade adiantada, fiz o que pude e me deu na telha e chega.

Hoje ao sair (sim, ainda fui fazer as minhas horinhas hoje) o Big Boss perguntou:
- Quando voltas?
- Lá para o dia 28 se me apetecer.
(não me responde como vem sendo hábito)

Noticias boas são: já limpei as duas tarefas do condomínio que me calhavam este fim semana, doí-me cada músculo do corpinho... menos a língua, claro.

Segunda boa noticia: acho que arranjei um part-time para Agosto. Sou uma "work haolic" eu sei.
Opá, mas não pude dizer que não porque foi tão aliciante e ando mortinha por mudar de ares e fazer coisas novas. Vai saber a anti-depressivo ou melhor: a umas excelentes férias!


(vou começar a poupar para o nosso próximo cruzeiro)

quinta-feira, 10 de julho de 2008

A curto prazo

Estou a escassos dias de ir de férias, as minhas férias grandes.
Que vão ser por casa conforme o combinado com o Doctor para evitar a minha baixa... boa porcaria.
Vai ser uma dupla gira lá por casa, eu e o marido.
Por falar em marido, está quase a nascer o nosso casamento. Já estamos a 3 dias de celebrar 9 meses desde que casámos e sinceramente a nossa vida corria-nos bem melhor há 1 ano atrás.
Ainda me lembro de nosso julho do ano passado, uma loucura! Muito trabalho, muita coisa para tratar...

A semana está a custar imenso a passar, ainda falta amanhã e sábado de manhã!
Depois sim, posso considerar-me oficialmente de férias.
Mas hoje já me sinto preocupada com o que vão comer os meus peixinhos (bebés e graúdos) e os lagostins nestes 15 dias que vou estar ausente das minhas passeatas até ao jardim.

Mas que venha muito sol e muito calor, vou arranjar a bicicleta (acreditam que a tenho há 1 ano e pouco ou nada andei nela), vou fazer churrascadas no telhado do prédio e comer lá a ver a belissima paisagem que temos lá de cima, praia, pinhal.
Venhas elas as férias. Prometo que venho cá quando puder ver os meus peixinhos.

quarta-feira, 9 de julho de 2008

Reclamações

Tenho uma reclamação médica a fazer na minha próxima consulta!
Disseram-me que com esta medicação eu iria engordar e daria para compensar o peso que perdi, eu por iniciativa própria adicionei à minha medicação diária mais uma dose de boas vitaminas. Que isto às vezes é preciso uma ajudazinha extra.

Fogo, bolas d'um raio! Não é que me pesei hoje e estou cada vez mais magra. Já nem peso como um saco de batatas... neste momento sou um saco mal medido para aldrabar o cliente.


segunda-feira, 7 de julho de 2008

sem nexo

Humpf...

Há tanta coisa que me apetecia escrever, um voar de sentimentos e pensamentos que me percorrem, um coração que hoje parece querer saltar do peito.
Não consigo chorar,
Não me apetece falar,
Não me apetece abraçar ou beijar,
Não me apetece estar aqui.

Este ano de 2008, agora que passou já mais de metade, está a ser o ano mais estranho dos últimos que passei. Eu falo com muita gente, tenho amizades variadas das mais variadas e idades e estatutos sociais... todos falam do ano de 2008.
Eu li no início do ano que 2008 seria um ano de azar e pelo que vejo até agora realmente não falharam.

Eu sinto que não tenho nexo nem meia medida, ele porque quando finalmente as coisas estavam a correr bem tudo desabou, ela porque o dinheiro é uma palavra estúpida, ela porque é a 3.ª vez que anda em tratamento e não há jeitos de se ver livre da doença, ele porque perdeu o emprego, ela porque está desempregada há imenso tempo...

Não podemos dar como certo o que temos no momento, amanhã é um estado muito indefinido.

Será que amanhã estarei aqui? Será que serei eu?

Hoje dormi pouco, o trabalho gritava mais alto e as responsabilidades trespassam-me a cabeça e não me deixam dormir.
Acho que hoje me apetecia ir a pé para casa, tal como fui dar de comida ao peixes ( de propósito) te vi e nos cumprimentá-mos, está a tornar-se um hábito cruzarmo-nos todos os dias da semana no mesmo local às mesmas horas. Acho-te muito materialista sabias?

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Hoje perguntaram-me...

"Como estás?"
Várias pessoas, gente a mais. Eu sei que se preocupam e que o dia de ontem foi para lá de stressante.

O Hugo já foi operado, correu tudo bem e teve alta da clínica ontem. Mas passou muito mal o dia, efeitos secundários da epidural e de não cumprir o que foi dito pela enfermeira.
Eu tem dias que me sinto mãe de meio mundo! E sinto o quanto me faz falta a minha mãe.

Passei o dia a trabalhar e de auriculares ao telefone. Ralhei, barafustei, tive alterar marcações para poder ir para casa o mais urgente possível, saber que medicação lhe podia dar. Eu só desejava que o dia termina-se e eu pudesse repousar na minha cama ao lado dele e vê-lo finalmente em casa, melhor e a dormir com a sua carinha de anjo. Como gosto de vê-lo dormir e os gatos também.
Ontem dormimos os 4 juntinhos a ele, como que a velar o seu sono... finalmente dormiu.

A todas respondo "Hoje, cansada! Estou sozinha no meu mundo a velar por quem mais amo!"


(um dos sitios que mais gostamos de ir passear)

Definições

Esclarecimento de 2 termos técnicos em conversa via MSN com a Andie.


Inseminação artificial: "pões num pires o acúcar e as formigas e esperas que elas vão ao açúcar"


... e se as formigas forem diabéticas?


Fertilização in vitro: pega-se nelas e enfiam-se directamente no açúcar.

quarta-feira, 2 de julho de 2008

Tenho novos amigos

Desde que trabalho na imobiliária e quando o tempo permite sempre tive o hábito de descer a rua e ir para o jardim à beira rio.
Nos últimos 2 meses quase diáriamente têm sido as minhas romarias até lá.

Mudei unicamente o local onde me costumo sentar, passei dos normais bancos de jardim para a beira do lago.
Normalmente levo a minha fruta do almoço e como lá enquanto oiço os pássaros, olho as pessoas a passar, vejo os peixes e estou ali sossegada.


Nos últimos dias tenho trazido comida para dar aos peixinhos, numa tentativa de travar amizade com eles.
Ao início fugiam do pão que eu lhes mandava. Depois passamos a esta fase:

Hoje ao verem um vulto a sentar-se naquele local chegaram-se logo à minha beira, ai tive eu a comer as minhas ameixas e a distruibuir pão pelos meus novos companheiros até que acontece algo que não esperava. Os "big fishes" chegaram-se a mim e começaram também a comer.
Dei pulos interiores de alegria.
Amanhã já sei que tenho que trazer dose a triplicar, porque eles vão estar à minha espera.

Que coisa meiga eu sou?



Que coisa meiga você é?

terça-feira, 1 de julho de 2008

É oficial

Eu nos últimos dias apareço e desapareço com uma frequência assustadora... para os outros.

Para mim não, tudo me parece perfeitamente normal, desligada do mundo, desligada de tudo e todos. Após quase 1 mês de tratamento recuperei muita coisa que estava a perder aos poucos.

A vida decorre com coisas boas e más como assim tem de ser.

Ganhei um montão de roupa de marca, tanta que já me disseram que nunca na vida imaginaram ver-me com calças da Salsa, junta-se mais calças, calções, camisolas de inverno e meia estação, t-shirts, top's, vestido, camisa, cache-coeur... and so on. (estas coisas não se haviam de dizer eu sei!).
Amanhã é o dia D, o marido vai ser internado e operado. Finalmente! Daqui para a frente a minha vida como ser humano que trabalha a duplicar e tem casa e gatos com fartura vai piorar, vou ficar 100% por minha conta.

Mas ontem, sim ontem foi um dia que nos marcou a ambos, finalmente a confirmação esperada há 1 ano e meio. Fomos aconselhados a fazer fertilização in vitro, porque naturalmente só se por milagre, mas como eu não acredito em milagres encarei a dura e cruel realidade.
E agora, que fazer?
É oficial e temos decisões para tomar... urgentes.
Hoje já falei com muitas das partes envolvidas neste ano e meio de tentativas, o que pensam, o que aconselham, o que podem fazer para ajudar. Digamos que tenho 75% a pender para um lado e 25% para o outro.
Adoptar ou seguir em frente com a fertilização?


Muitas vezes pensamos que temos problemas graves, chatices no emprego, carro a dar sinal de avaria, querer comprar algo e não encontrar, não ter dinheiro, não poder fazer tudo o que queremos.
E os filhos, não poder ter filhos não será algo mais importante que isso tudo?

E não, não tenho problemas de falar disto publicamente. Conheço quem esconde como se de uma doença grave se trata-se...

Prometo vindas com mais frequências. O trabalho é sempre o mesmo stresse, mas pode esperar.