sexta-feira, 6 de junho de 2008

Porque será assim?

Eu gostava de trazer o chilrear dos pássaros todos os dias comigo, sempre que fosse ao jardim e repousa-se lá. Que consegui-se trazer um pouco das suas músicas comigo para o resto da tarde.

Abaixo as velhotas que se metem comigo por eu estar a fazer croché num local público;
Abaixo as simples curiosas que se metem comigo para eu lhes ensinar o que estou a fazer;
Abaixo os "teenager's" que não se metem comigo por acharem ser "cota" fazer croché.




Mas será assim tão diferente, tão fora do normal eu não gostar de almoçar em restaurantes somente porque a comida me faz dores de estômago, não ser adepta de passar horas no café, gostar de estar sozinha nas minhas horas de almoço e passear?
E será assim tão fora do normal eu estar confortavelmente no banco de jardim entretida de volta de uma mala ou no quer que traga no saco para fazer?
Porque raio me olham como se eu fosse um bicho raro?

Sinceramente, estamos num mundo de "imagem". Fica bem fazer o que o outro faz, parecer o que não se é, vestir tal como fotocópias chapadas do que saiu a semana passada no canal Fashion, fica bem ser "in", estar na moda.
Pois desculpem-me, não concordo! Prezo a minha inteligência e individualidade por gostar de fazer o que bem me apetece e não ceder a esse tipo de ondas.
Vou continuar a vestir a minha roupa velhinha mas de aspecto lavado, vou continuar com o meu carro de há tantos anos, vou continuar a fazer croché no jardim mas uma coisa é certa sou cheia de sentimentos e daqueles bem doces.
E isso não é onda que se apanhe ou moda que se siga.
Sou simplesmente eu e o que mais gosto de fazer e quem mais gosto a meu lado!

5 comentários:

sofia disse...

estou como tu, apesar de n fazer crochet no jardim - porque não calha.

incomoda-me a mania das pessoas me verem como bicho raro por não ter os habitos que toda a gente resolveu ter, sem saber bem como. uma frase que me disseram há cerca de um ano, num bar à noite, nunca mais esqueci:

«mas vais beber chá? tens a certeza? não me digas que também não bebes café?! não fumas, não bebes café, és uma santinha!!» - consegues explicar a associação com a santidade? eu também não... nem consigo entender porque é que o facto de eu não beber café (não gosto do sabor) fez tanta impressão à rapariga (não comento acerca de não fumar, sequer).

carneirinhos. estamos numa sociedade de carneirinhos acéfalos...

beijinho grande

Gabriela... disse...

Gostei dessa "carneirinhos acéfalos" e conheço tantos!
Eu bebo café 1 vez somento por dia e com a minha colega de trabalho, para além disso só mesmo água natural!
E também ficam a olhar de lado...
Ser diferente é assim!

Cor de Chá disse...

Entendo tão bem aquilo que expressas! Bicho raro é o meu nome do meio. Mas creio que quem gosta de nós entende e ama estas nossas especificidades e olha, quem não entende é como diz uma amiga minha: manda lixar com F grande (é mm a direito e à norte LOL). Eu nunca vivi para o ter, para a imagem. Sp me foquei no ser, mm que muitas vezes me sinta deslocada.

Bjs,
Isabel

P. S.: Obrigada pelos comentários que deixaste no blog, especialmente aquele dedicado ao meu aniversário. E qto ao bolo, faço figas para que saia bem. Dp quero saber como correu!

andie disse...

Concordo e assino em baixo!
Apesar de fumar,beber, tomar café, etc...há muitas outras coisas em que me olham como um bicho raro, basicamente o lifestyle que tenho/quero, o vestir,etc..,
Mas SOU assim e tou-me a cagar para o resto! Tenho dito!
Sê sempre fiel a ti mesma...
Jinhos!

Rosa Santos disse...

Pois é Sofia, se essa rapariga do bar me conhecesse nem sei o que ela ia achar,às nem chá eu bebo. :-)

"Bichos raros", sempre achei uma expressão interessante e sempre me revi nela. Mas, confesso, que sempre me fez confusão as pessoas acharem raro encontrar pessoas com carácter, que não têm medo de ser elas próprias, de pensar por si, de se assumirem perante o mundo tal como são.

Eu adoro ler e quem me conhece sabe que ando sempre com livros atrás. Num dos meus empregos anteriores, como tinha duas horas de almoço, aproveitava para ler. Não imaginam as piadinhas que ouvi a esse respeito, "lá está ela a ler a Bíblia outra vez", "ah, vais sair?! com quem? com os livros?", enfim. Tenho pena dessas pessoas, não fazem ideia de como é bom saber pensar e de como é bom gostarmos de nós mesmos.

E a propósito, gosto muito do teu croché. ;-)