terça-feira, 6 de maio de 2008

Solidão II

Sinto vontade de falar e espalho palavras ao vento, ouvidas por quem as apanha, esquecidas por quem longe de mim está.
Um aperto no peito, um novelo de sentimentos, raiva admitida.
Falta de algo, solidão em demasia.

Chorar?
É um líquido precioso demais para ser derramado, guardo as lágrimas na minha taça de afectos e dou de beber aos sentimentos.

Sinto-me só!



A solidão sempre foi uma companheira da vida, agora mais que nunca.
Abdico demais da vida para dar espaço ao trabalho, abdico demais do amor para dar espaço à realização e reconhecimento.
Abdico demais dos sentimentos que agora sinto neste meu vazio.

6 comentários:

Cor de Chá disse...

Ai Gaby, eu apenas te digo que muitas das tuas palavras poderiam ser minhas. Tb me sinto muito sozinha.

Um xi-coração apertado :*

Monica disse...

nunca abdiques dos sentimentos por nada, nem por causa da solidão, dá-te é ao luxo de aproveitar os momentos de não solidão para que te aqueçam nos momentos em que estás só.
e quando estás só, somos muitos e adoramos-te

Sílvia disse...

Então amiga, que se passa?
Porquê isso agora?
Não vale desanimar... e não estás sozinha... nós é que estamos longe...
Fica bem...

Willow disse...

Tu achas que estás sozinha, mas isso é impressão tua. A sério! É tipo comichão sem borbulha.
Quando menos esperas já estás farta de tanta gente a melgar-te! ihihih
Temos de combinar um piquenique... ouvi dizer que temos coisas giras para conversar. :)

Isália disse...

Tão miga que é isso...espero que a minha recente amizade venha preencher um pouco o vazio que sentes...espera so ate conheceres estes doidos...jocas

Gabriela... disse...

Passo tempo demais da minha vida sozinha... a falar com os gatos e com os botões!
Se pudesse comprava um apartamento no meu prédio para cada uma de vocês, só para ficarmos assim muito pertinho.