terça-feira, 15 de abril de 2008

Matando saudades

Quando não são elas que nos matam a nós...

Este fim-semana tive visitas cá em casa, uma amiga de longa data ( já lá vão quase 10 anos que nos conhecemos) com que partilhei 4 anos de curso (ya, eu até tenho curso superior... sei que não parece mas tenho).
Já não a via há 2 anos, Marinha Grande/Almeirim ainda é uma distanciazita e tempo é coisa que escasseia para ambas as partes.

Começa-se logo no sábado, abraços e beijos dados parte-me logo o coração com uma, não duas, prendinhas. Para quem não sabe eu e o Hugo adoramos gatos... nada melhor que beber o nosso cházinho nestas canecas lindíssimas.A tarde foi passada na amena cavaqueira, muita coisa para contar e partilhar.
A noite essa já estava programada há umas boas semanas...

Nunca tinha ido, acreditam numa coisa destas! E adorei, o marido também que eu topei.
É um festival de Tunas Académicas organizado pela Tum'Acanénica aqui da ESEL.
Teve como apresentadores os Jogralhos, uns gajos muita loucos como podem ver também aqui.

E eram 2h quando saimos do Teatro.

Claro que tive o meu momento de envergonhamento pessoal quando deixei cair a minha garrafa de água que rolou até aos pés da Presidente da Junta aqui de Leiria e quando me sentei (o banco é dos que recolhem) e me estatelei no chão. Mas tudo faz parte do espectáculo que é viver.
Fiquei metade do espectáculo sem beber água por vergonha de ir lá pedir à senhora para afastar as pernas...

O domingo foi em passeio.

Já não me lembrava de um fim semana assim há tanto tempo. Mesmo muito tempo!
Mas mais se encaminham e super loucos.

2 comentários:

Rosa disse...

Adorei as canecas, principalmente o gatinho pintado na caneca.

Se imaginas que isso foi embaraçoso, havias de ouvir algumas das minhas histórias! Sou tão desastrada que onde vou acontece-me sempre alguma coisa.

É muito bom estar com os amigos e quando se consegue estar com aqueles que há muito não vemos, ainda nos sabe melhor.

Gabriela... disse...

Fico feliz por saber que existe mais gente que partilha destes momentos de envergonhamento pessoal.
Damos cabo dessas gajas que são todas "ai não me toques que parece mal".
Já agora, já deves saber quando vamos estar por ai... é que preciso mesmo de uma massagem! hummm?? Pode ser?