segunda-feira, 28 de abril de 2008

A oficialidade das coisas


Como para tudo na vida existem factos oficiais e não oficiais, por vezes não sei a qual dos dois me remeter.
Ao que é mesmo ou ao que deveria ser...

Eu nunca fui muito de acreditar no que deveria ser, sou mais terra a terra com o que é a realidade da vida e até nisso as pessoas me surpreendem.
Temos as oficiais e as não oficiais e são estas últimas que me causam mais confusão.
As que querem viver um mundo e realidade que não é delas, as que nunca estão satisfeitas com o que têm, as ambiciosas até nos sentimentos, as que mostram o que não são.

Nem tudo na vida foi taxado da mesma maneira, tal preços de supermercado.
Só temos que aprender a lidar com isso!
Podemos ser um produto biólógico em lugar de destaque na prateleira ou um com químicos no meio da confusão.
E acho que anda ai gente com quimicos a mais na cabeça.

Existem pessoas 100% infelizes por culpa delas,
Conheço pessoas 100% felizes porque têm tudo o que precisam.
Afinal é assim tão difícil a felicidade?

O passo da infelicidade para a felicidade é tão curto que nem dá para medir.

Pena haverem no mundo pessoas felizes com a infelicidade dos outros, pessoas que só se sentem realizadas metendo os outros na mó de baixo e riem da sua estupidez como se fossem a nata do leite com café.
Gente estúpida!
A esses só uma coisa se pode desejar, que a sua infelicidade perdure enquanto não curem os males de inveja.

domingo, 27 de abril de 2008

Constatações

É no mínimo engraçado falar via MSN a um domingo à noite com a nossa vizinha do primeiro andar... que tem o pc exactamente por cima do meu!

Tipo, temos uma placa a separarmo-nos.

sexta-feira, 25 de abril de 2008

E porque hoje é feriado...





... e amanhã tenho que ir trabalhar!
Vamos soltar os cães e curtir que nem uns loucos!

Bom fim-semana prolongado!

quinta-feira, 24 de abril de 2008

Solidão precisa-se!


Hoje fui para o parque, agora novamente com as horas de almoço livres, o sol começa a chamar por mim com toda a sua força.
Assim fui rua abaixo, somente concentrada no barulho dos meus tacões e em agarrar bem a minha pequena bolsa com o meu croché.
Sentei-me. Primeiro ao sol e depois mudei-me para um banco meio-termo.
Entretida em ver crescer a mala que ando a fazer para uma encomenda, abstrai-me novamente de todo o movimento à minha volta, mas voltei à terra depois de uns piropos de um grupo de rapazes que passou à minha frente.
Voltei tão à terra que perdi a nora e a postura, fiquei com vontade de me esconder.
Nunca gostei que me mandassem piropos e que desconhecidos me elogiassem!
Mais uma vez fiquei a saber que tenho uns olhos lindos e que é uma pena uma moça tão linda estar ali sozinha... e mais uma data de coisas que nem lembro tal não foi a minha aflição.
Gosto de passar despercebida e normalmente passo! Adoro isso!


Mas também gosto do ego alimentado. Contradições. Mas é bom saber que apesar dos anos passarem ainda não passamos despercebidas.
Agora que os 28 se aproximam a passos largos concordo claramente "quanto mais velhas melhor!"

quarta-feira, 23 de abril de 2008

Desvaneios animalescos versus condominio

Existem coisas que me tiram do sério!
Reuniões de condomínio tem sido uma delas... conseguem ser quase tão frequentes como as minhas idas ao médico.

Ontem lá foi mais uma. Assunto do dia e passo a citar "litigio entre dois condóminos".
Resumindo: há uma queixa contra um cão que existe no prédio.

Maneira rápida que a actual administração (2 colegas minhas moradoras lá): proibe-se animais no prédio!

Espectáculo!

Ligam-me a avisar que esse seria o rumo e a única solução para o problema em causa! Eu começo a stressar e engulo, quando não conheço o terreno onde piso só opino quando souber de que tipo de terra é feito.
Ontem... dia em pesquisa sobre legislação sobre animais em condomínios. Fiquei totalmente preparada para aquilo que chamei de pura "esfrega" à responsável mor do condomínio. Com total apoio da respectiva acusada que possui o cão causador de tamanho litigio.

Antes da reunião começar (que eu cá não gosto de peixarada) fiz uma linda exposição sobre os direitos civicos de cada ser humano, sobre o que pode ou não ser regulamentado num condomínio e como isso é feito e aprovado, um breve esclarecimento sobre o que consiste a visita de um delegado de saúde. E rematei com uma ameaça de meter o condominio em tribunal se levassem para a frente a ilegalidade de proibir animais no prédio. Acho que a informação foi assimilada.
Esclareço que quem nos está a gerir o condomínio é uma advogada.

E prontos! Começa a reunião, com direito a insultos entre as duas partes envolvidas e para já o problema ficou amenizado.

Acabámos a noite, os mesmos gatos pingados do costume (uns 7) de volta da minha banca das feiras (que serve de mesa para as reuniões) a comer bolo de aniversário, beber vinho do porto e espumante, rir e sonhar com futuras churrascadas assim que saldarmos todas as divídas do condomínio...

Regresso a casa e durmo com os gatos felizes da vida!

terça-feira, 22 de abril de 2008

Resenha literária (mais um)

Custou mas foi. Já acabei de ler... pessoalmente não gostei.
Talvez por isso tenha demorado mais tempo a ler, a meio do livro entrei naquele pensamento de "em como era enfadonho" e foi preciso um esforço adicional para acabar de ler.
Não é que não tenha gostado de todo, identifiquei-me em muitas partes na maneira como a personagem principal humana tratava a outra personagem principal (o gato).
Descobri que existe mais gatos com a nóia de beber água por um copo.

E admito! Chorei com o final do livro, o que me pesou na consciência por ter achado o livro tão chato.
Mas revi-me no drama de ter o nosso amigo doente, vê-lo sofrer e ter que decidir.
Neste caso a eutanásia foi também a decisão final, tal como eu já tive que decidir 2 vezes.

Isto no que toca a decisões é sempre dificil, hoje (e deixando o livro de parte) tomei uma decisão que para mim foi dificil. Mas que já andava no meu pensamento há imenso tempo e já tinha abordado muita gente para me ajudarem a ponderar melhor.
Hoje ficou decidido. Talvez um dia volte, agora não.

Mas voltando aos livros, é claro que já ando a ler outro. Isto quando o espaço fica livre na mala tem que ser em poucos segundos ocupado por outro livro.
Agora comecei a ler Malinche de Laura Esquivel, a famosa escritora do "Como água para chocolate".
É o primeiro livro que leio desta escritora, sou mais dada para escritores quase desconhecidos, ou então para Stephen King (hehehehe) e foi oferecido por esta menina.

domingo, 20 de abril de 2008

O rescaldo

(na foto Jericho e Triple H)

O Umaga é ainda mais feio ao vivo que na tv.
O Carlito desiludiu-me imenso, eu que até o achava engraçadito passei a ter-lhe uma certa e determinada raiva.
O JBL estava bem a levar nos "cornos", mas quem tem as siglas escritas nas cuecas ( na parte de cú) só serve mesmo é para levar porrada.
O Triple H, só a música de entrada diz tudo. Adoro-te!
O Randy Orton tem um corpinho que mete inveja. O homem é mesmo bom.
O Chris Jericho é um espectáculo, digno de prémio.

As divas... hummm
Vale a pena pronunciar-me?
Só um comentário: "Onde é que elas aprenderam a lutar? A partir do kamasutra?"
Já estou como o meu irmão diz "Estas gajas se não estivessem aqui estavam num bordel!"

Fiquei chateada, gostava de ter visto o Jonh Cena e o Undertaker. Talvez um dia...

Para nota informativa, eles voltam em Setembro.

Encerrado para balanço

Estou, aquilo que se costuma chamar de, completamente podre.

Hoje acho que não me vou conseguir mexer muito mais do que o parco espaço de quarto-sala-cozinha-wc.
O dia foi fantástico, a companhia o máximo e o espectáculo superou as expectativas e valeu bem o valor que demos pelos bilhetes ( que eu continuo a achar que foi um autêntico assalto).
Eu que via por ver, acho que depois de ontem fiquei fã mesmo.

sexta-feira, 18 de abril de 2008

Keyword analysis

Quem costumava fazer destas análises é a minha amiga Ameixa e eu fartava-me sempre de rir.

E sempre dei atenção à "palavras chave" de pesquisa aqui do blog, mas juro que nunca me tinha rido tanto como hoje...

1. Pessoal desistam, aqui não vão achar nada de dedicatórias para fitas de finalistas. Eu basicamente só meti fotos das minhas... se conseguirem copiar da foto é na boa!

2. "Fotos de prostitutas em plena actividade"... já me deixei disso. A sério? Mas tão a gozar ou quê? Eu sou mulher séria e casada, já tive blog's secretos (que causaram piolhos a muita gente mas continuam na ignorância) mas já me deixei disso e nunca me dediquei a tirar fotos das moças em plena actividade. Sei que perdi uma oportunidade fantástica em Pisa (Itália) mas essas ficam-me na memória porque eram de categoria superior.

3. Cartas de amor, sim de vez em quando e quando estou para lá inspirada dou uns toques. Pelo menos é o que dizem. Mas cartas de amor para Gabrielas nunca escrevi, tenho amor-próprio que me chegue e sobre. O que é sempre muito bom.

4. Feitiços e signos, não me parece. Sei fazer umas coisitas mas nada de especial, não vai muito para além de rogar pragas e signos até curto. Se quiserem vir deixar o meu diáriamente agradecia.

5. Espero que o indivíduo que não sabe o significado da palavra "assitomática" já esteja esclarecido.

6. E não é "gata na lua" mas sim "gata da lua". Eu sei que ando sempre com a cabeça no ar, mas ainda não cheguei à lua, e já agora a definição de gata é de português de Portugal (animal) e não do Brasil (gaja boa) para que não haja mais confusões.

7. Alguém me explica o que é o baile do carneirinhos? Agora eu é que gostava de me esclarecer sobre esta.

Porque até as pequenas datas merecem ser comemoradas

Desvendo assim o mistério de como vamos celebrar meio ano de casamento!

Vamos estar aqui...



Agora vocês dizem: "Não acredito!"
Ao que eu respondo: não é que seja fanática, mas vejo e acho que ao vivo deve ser um espectáculo digno de se ver e uma experiência única. Já o marido é mesmo fanático. E porque isto a 2 é feito de cedências tem que se agradar a ambas as partes.
È claro que não vamos sozinhos! Vai ser carro cheio amanhã para Lx, passear... muita chuva, muita trovoada (como já vi nas previsões) mas de certeza que nos vamos divertir muito.

Que fique aqui registado uma das perguntas de uma das pessoas que vai:
"Em que lugares é que estamos? Não me está a apetecer nada levar com um matulão em cima!"

E que fiquei registado que compramos os bilhetes no final de Novembro do ano passado e pagamos o coiro!

Na minha lista de hoje de preparação para amanhã só tenho 2 coisas: uma visita ao SAP para ir buscar antibiotico e analgésicos (não meninas, não estou curada, vou ter que me render aos fármacos novamente, é mais porque o dia vai ser longo e não quero ser chata para o resto do pessoal) e pilhas para a máquina fotográfica (já que ela abriu guerra aberta às pilhas recarregáveis).

quinta-feira, 17 de abril de 2008

Nota importante

Depois de colocar o post anterior lembrei-me de uma coisa... e se depois me aparecem prendinhas repetidas!
Aconteceu-me no Natal com um livro e é algo que tenho ainda fresco na memória.

Então acordamos assim: quem decidir oferecer-me no meu aniversário algumas das coisas que eu vou apresentar que deixe um comentário ANÓNIMO a dizer que já está escolhido ou qualquer coisa do género!!

Concordam?

1.ª ideia

E isto é só porque muita gente pediu!!

Como sabem eu sou gaja de coisas práticas, por isso o que vão ler nos próximos tempos são pedidos de coisas que me dão mesmo jeito.

A primeira que me lembrei:


Imagem retirada daqui.

Eu costumo andar sempre de Zipy no bolso, quando me carrega lá vou eu a curtir uma música... normalmente sempre rádio. Sou fã de rádio!!
Mas os auscultadores que tenho são dos normais (roubados ao Hugo) e eu nunca me entendi com aquilo porque para além de me magoarem, caem-me das orelhas... e eu passo-me!
Espero que estejam a imaginar a cena, plena rua e eu a falar sozinha (praguejar) a tentar prender aquilo nos ouvidos.
Acrescentando o facto da minha descompensação auditiva, em que não posso meter aquilo muito alto mas que tem que ficar bem preso para eu conseguir ouvir...

Uns destes era o ideial. O meu mano tem e eu já experimentei!

A primeira ideia já lá vai.

quarta-feira, 16 de abril de 2008

(a) normalidades

Acham normal alguém começar a preparar a festa de aniversário com quase 2 meses de antecedência?

Eu que nunca festejei nada! O Hugo tem sido uma boa influência para mim, mesmo muito boa... é a minha luzinha!

Os meus quase 28 anos vão ser especiais.
Vou conhecer um bando de gajos e gajas malucas com que partilho conversas na net... mas eles ainda não sabem porque ainda não mandei os convites (também esses estão em fase de preparação!)

E a pedido vou começar a meter aqui algumas coisitas que até me dava jeito... não estou a obrigar ninguém. É só no caso de não terem ideias de prendas para me dar assim fica mais fácil.

terça-feira, 15 de abril de 2008

Matando saudades

Quando não são elas que nos matam a nós...

Este fim-semana tive visitas cá em casa, uma amiga de longa data ( já lá vão quase 10 anos que nos conhecemos) com que partilhei 4 anos de curso (ya, eu até tenho curso superior... sei que não parece mas tenho).
Já não a via há 2 anos, Marinha Grande/Almeirim ainda é uma distanciazita e tempo é coisa que escasseia para ambas as partes.

Começa-se logo no sábado, abraços e beijos dados parte-me logo o coração com uma, não duas, prendinhas. Para quem não sabe eu e o Hugo adoramos gatos... nada melhor que beber o nosso cházinho nestas canecas lindíssimas.A tarde foi passada na amena cavaqueira, muita coisa para contar e partilhar.
A noite essa já estava programada há umas boas semanas...

Nunca tinha ido, acreditam numa coisa destas! E adorei, o marido também que eu topei.
É um festival de Tunas Académicas organizado pela Tum'Acanénica aqui da ESEL.
Teve como apresentadores os Jogralhos, uns gajos muita loucos como podem ver também aqui.

E eram 2h quando saimos do Teatro.

Claro que tive o meu momento de envergonhamento pessoal quando deixei cair a minha garrafa de água que rolou até aos pés da Presidente da Junta aqui de Leiria e quando me sentei (o banco é dos que recolhem) e me estatelei no chão. Mas tudo faz parte do espectáculo que é viver.
Fiquei metade do espectáculo sem beber água por vergonha de ir lá pedir à senhora para afastar as pernas...

O domingo foi em passeio.

Já não me lembrava de um fim semana assim há tanto tempo. Mesmo muito tempo!
Mas mais se encaminham e super loucos.

segunda-feira, 14 de abril de 2008

meio ano ou 6 meses?


Só com um único pedido...

Que nada mude!

Não houveram comemorações, nem nada fora do normal, somente o adormecer a olhar-te nos olhos e dizer-te ao ouvido "Amo-te muito!" e ter como resposta "Mentirosa".

Comemorações só mesmo para a semana, o dia 19 está marcado na nossa lista desde Novembro do ano passado. Acho que os bilhetes já ganharam caruncho de tanto tempo esperarem dentro da gaveta.
E quando eu decidir dizer para onde vamos, ou melhor, o que vamos ver, ai sim vão dizer: "Bem, estes gajos comemoram meio ano de casamento muito à frente!"


People interessado na minha saúde, regressei ao trabalho mais uma vez! Não morri, só tenho menos uns litros de sangue.
Se eu descobrir quem me tem rogado pragas nos últimos meses eu juro (mas juro mesmo) que lhe rogo uma daqueles bem grandes e gordas e comigo já sabem... acontece!

quinta-feira, 10 de abril de 2008

Comparações

Existem dias que não sei se me sentirei o monstro ou a vítima, se me apetece comer ou ser comida.

Hoje definitivamente sou o monstro e quem se meter comigo eu como.
Sinto-me assim nas nuvens!
Estou a adorar a chuvinha... apesar de ontem ter encontrado o meu carro completamente centrado numa poça de água com 10cm de altura e depois ter conduzido sob a queda daquilo que chamo pedras da calçada.

O boss continua por aqui com vontade de implicar mas fiquei surda de repente (;)
Ontem o marido também lhe estava a correr mal a vida, receitei-lhe um Trifene (para as dores menstruais) ao meu patrão acho que já não faz efeito.

Eu acredito que nada pode ser negro e correr mal eternamente. A onda de energia que nos rodeia é muito influenciada por nós e pelos outros e neste ponto eu acredito muito na inveja.
Mas o confronto tem que ser de dentro para fora e como diz uma amiga "safa que o enguiço está a passar!".

A minha nuvem já há muito que passou, felizmente, e aos poucos tenho-me sentido plenamente feliz e é isso que se quer.
Trabalho no Cantinho dos Miaus não falta e esta semana posso dizer que foi como o tempo, choveram encomendas!!

Yupii!!!

Xô inveja!

terça-feira, 8 de abril de 2008

Questões de trabalho

Não sou muito de me queixar, aliás até aguento tudo muito bem.
Acho que é uma das grandes virtudes das mulheres, não morrerem por uma simples dor de cabeça!
Mas tenho pensado muito numa coisa nos últimos tempos, talvez meses, talvez há bem mais de 1 ano.
Acho que a única coisa que me tira do sério é o meu emprego.
Não é que não goste do que faço, aliás acho que todos os que me rodeiam sabem o quanto eu vivo aquilo MAS (porque tem sempre um "mas") dou demais de mim por algo que não é meu.

Não sei se me entendem?

Confessando... hoje tive mais uma discussão com o meu patrão. Simplesmente já não tenho paciência para aturar a burrice dele, o choramingar dele, as atitudes dele. Até acho que se ele fosse para casa plantar batatas aquela empresa daria muito mais lucro. A sério!
Ele condena-me por eu dizer o que penso, mas ele faz asneiras e simplesmente não aprende com elas e depois somos nós (míseras empregadas) que damos a cara em tudo...

Sinceramente ando farta! Saturada... pelos cabelos... impossível de aturar!

É uma (que posso chamar de) união de facto que dura há 3 anos e meio precisamente.
Eu aprendi muito, desenvolvi muito, ganhei algo que desconhecia em mim, uma certa capacidade de cativar a atenção e de expor o que sei.
Acho que o aprendiz se virou contra o feiticeiro!

Hoje discutimos mais uma vez, as nossas discussões não são amenas. Talvez porque o retorno que tenho tido destes anos de dedicação é a obrigação de ir trabalhar mesmo estando doente e ir lá durante as minhas férias fazer o que for preciso.

Acomodei-me!
Este é o meu grande mal, sempre foi. Acomodar-me às situações, eu que sou adepta das mudanças e tudo o mais tenho medo deste tipo de mudança! Mas neste momento, de cabeça fria que estou, e sabendo o que tenho a aturar acho que já nem o dinheiro vale. Por vezes o dinheiro não é tudo!!
Tenho pensado muitos nos últimos tempos, talvez a grande decisão que me previram um dia seja mesmo esta.

segunda-feira, 7 de abril de 2008

Um sorriso não dói

Existem factos engraçados que acontecem no nosso dia a dia que ao início não nos damos conta deles mas que aos poucos vamos sentindo que acontecem, quando acontecem e já esperamos que aconteçam.

Muitas sabem que tenho um senhor já G6I (gajo sexta idade) que me idolatra, que me trata por princesa, que me vem todos os dias desejar um bom dia, que me diz o quanto a cor dos meus olhos lhe alegra o dia... que me oferece caixas de Ferrero Rocher e me fala da ternura dos 40. Hump....

Nos últimos tempos tenho tomado consciência que tenho outro fã, passa aqui todos os dias às mesmas horas, olha para dentro da loja, olha para mim e sorri-me. É um rapaz da minha idade ou pouco mais velho que eu, deve trabalhar aqui pertinho. Já sei que vai almoçar às 12h30 e sai do trabalho às 17h30...
Eu acho engraçado estas coisas, fico um tanto ou quanto embaraçada. Não sei explicar!
Mas sabe bem sentir que há quem saiba que existimos e que não se esquece de nós nesse pequeno gesto que é o sorriso. Da próxima vou retribuir! Não custa nada, não dói...

Ainda não sei porque aqui estou



Aos poucos vou voltando a mim e aos que são meus.
Sentir o verdadeiro cheiro das coisas e a sua aspereza.

Os dias cinzentos voltaram comigo, como aquelas nuvens negras e chuvosas dos desenhos-animados.
Ainda não me sinto preparada para trabalhar, mas aqui estou, não sei bem porquê... talvez birra. Sou dessas coisas!

Hoje trouxe o mp3 sem bateria é claro, mas está aqui ao meu lado a carregar para que me sinta mais acompanhada até chegar a casa.

sábado, 5 de abril de 2008

Estou completamente...

Já alguma vez se sentiram como se não estivessem completamente acordados?
Assim tipo meio embriagados mas despertos... somente um pouco lentos?

Humm, eu hoje sinto-me assim. Completamente "zen", não se passa nada, nada me chateia, só me riu, tropeço nos meus próprios pés! Fiz as compras do mês em 10 minutos!!
Estou completamente drogada! Prontos.
Lá acharam que eu precisava de dormir e mesmo depois de ter dormido mais de 10h seguidas ainda ando aqui como se tivesse andado a consumir produtos dessas novas lojas que tem aparecido por ai, tipo "Cogumelo Mágico" e afins.

Espero que isto passe até 2.ªfeira, senão prevejo uma semana de trabalho super animada!

"Tá-se bem, meu!"

Acho que se me encostar aqui na cadeira durmo o resto da tarde sem qualquer problema...

sexta-feira, 4 de abril de 2008

Tirei umas mini-férias...

Parece que apanhei muita gente de surpresa!

Ainda estou por casa, em principio 2.ªfeira já retornarei à agitação.

Agradeço as dezenas, sim dezenas de mensagens que me tem enviado. Acho que já não estou a dar conta do recado em responder a todas, até a minha mãe agora se dá a essas inovações.

Hoje fui novamente ao médico, pedir receita de uma nova bomba ( a que me receitaram no hospital não era adequada para mim devido ao meu acelerado ritmo cardíaco), vim com o extra de uns comprimidos para o stress, um gel para as borbulhas e ainda com a uma inclusão obrigatória na dieta... muita gelatina (mas não por causa da asma).

E sim, para que não sabia eu tenho asma bronquica, comprovada por um estudo pulmonar e um extra: rinite alérgica.

E já agora antes que vos apanhe de surpresa com mais alguma coisa saliento também que tenho um problema auditivo. Eu não gosto de dizer que sou surda, tenho simplesmente uma "descompensação auditiva" como lhe chama pomposamente uma colega minha.
E como isso não se vê por aqui, vou já avisando às pessoas que tenho previsto conhecer nos próximos tempos e que seguem aqui efusivamente as maluqueiras que vou escrevendo.
Mas isto tudo tem vantagens, sou excelente a ler nos lábios, ouço barulhos que vocês não ouvem e coisas que mais vale não ouvir eu não oiço ( o que é sempre um extra).
Sou péssima para atender o telefone (ou as pessoas têm uma boa dicção ou então chapéu passo o telefone a outra pessoa) e enervo muita gente quando peço para repetir a mesma coisa mais de 10 vezes, odeio que me falem pelas costas... ainda não tenho olhos lá para seguir os lábios.

Agora vou ali dedicar-me à gelatina.

Estou a sentir-me muito bem, parece que os pulmões dobraram de tamanho desde que comecei com a bomba... é uma sensação extraordinária.


quinta-feira, 3 de abril de 2008

Eu não disse que era boa nisto!

Ontem tanto desejei ir para casa e sentar-me na varanda ao solinho que foi como se o desejo já estivesse concedido!
Estou em casa.

Pena que tenha sido pelos piores motivos... depois de uma manhã e almoço passado nos bancos do hospital. Nada agradável confesso.
Parece que retornei 5 anos da minha vida ao sair de lá (depois de uma máscara de oxigénio, crivadinha de drogas e um braço negro devido à agulha do suposto soro que estavam à espera que eu fosse levar) com a receita para ir comprar uma bomba para a asma.
Raios!
E eu que pensei que há 5 anos atrás quando joguei tudo fora, as 2 bombas e os medicamentos, me tivesse visto livre disto para sempre. Parece que não e ponto final.

Existem que nasça com asma e viva o resto da vida com ela.
Existe que nasça com asma e ela desapareça durante a infância.
Existe que comece com asma após os 20 anos e eu encaixo neste quadro na perfeição. É bom ver que encaixo na perfeição em tanta coisa!

Posso dizer que hoje chorei! Chorei de nervos, de raiva, de falta de ar, de dormência nas mãos e nas pernas, de dor de cabeça, de me sentir sozinha naquele banco frio rodeada de gente que não conhecia e sentir-me completamente noutro planeta.
Chorei quando o marido chegou a leste por só saber que eu tinha ido para o hospital em plena crise, chorei quando um colega veio falar comigo e eu lhe expliquei o que se tinha passado e ele dizer que achava estranho por eu ainda não ter sido medicada ( expelir sangue e partes do corpo dormentes juntando à dificuldade mais que óbvia em respirar parece que não são bons sinais de saúde).

Mas prontos, agora estou em casa.
Amanhã ainda não sei se me "apetece" ir trabalhar ou se me "deixam".
Sinto-me relativamente bem.

Já viram que eu sou boa nestas coisas dos desejos?

quarta-feira, 2 de abril de 2008

Tratamento de choque

Contrasto com o sol da rua.
Sinto um frio estranho, será que estou mesmo farta disto?

Apetece-me ir para casa, fazer um bolo, sentar-me na varanda ao sol no meu cadeirão e beber um chá bem forte... um chá preto africano como tanto gosto. Pena o meu pai já não me arranjar mais.
Sinto-me sozinha!
Não é bem sozinha, não se explicar... solitária demais!
Não tenho amigas do coração, daquelas que vivem na porta ao lado e saimos todos os fins-semana para espairecer um bocado. Partirmos de onde nascemos e o tempo tem destas coisas.
Acomodei-me ao facto de estar sozinha, não estou triste, apenas solitária.
Habituei-me a ocupar-me, hábito adquirido por um coração em sofrimento em tempos.
Quando o coração sofre a mente precisa de ocupação, acho que foi a minha maneira de me abstrair um pouco do mundo e das pessoas que me rodeavam e que tão mal me faziam.
Fui obrigada a afastar-me de quem realmente gostava!
Agora, que tudo ganhou forma, ganhou cor e calor não consigo perder este hábito.

Tenho um coração quente, sigo o meu caminho com alegria, amor tudo o que se bom se pode ter e desejar. Sei qual é o meu caminho e nada me assusta!
Mas sigo o mais sozinha possível...
Faço as coisas por mim!
Abro as janelas da minha casa para o sol e para mais nada... demorei tanto tempo a afastar a areia e a poeira que agora não quero que regresse.
Sinto tanta falta de ter certas amigas por perto... sei que não preciso dizer nomes.

Tento combater isto e tenho-me esforçado muito nos útimos tempos mas quero mais!!
Quero uma albúm repleto de fotos de loucuras, dias corridos e noites quentes.

Preciso de tratar melhor do coração, do cantinho dedicado à amizade.


(ontem depois de um resto de tarde passado no vet, um jantar a correr e uma noite sozinha com os gatos começamos a dissertar)

terça-feira, 1 de abril de 2008

Horário de verão

Soube tão bem ontem chegar de dia a casa.
Calmamente ir ao supermercado para atufalhar mais um pouco a despensa e demorei o tempo que me apeteceu, fui comprar pão... calmamente a pé a ritmo de passeio.
Cheguei a casa ainda de dia. Fantástico.

Hoje está um dia maravilhoso para se chegar a casa cedo e passar o meu precioso tempo... no veterinário.
Ao que hoje me perguntaram "Outra vez?".
É como vos digo, havia de ter casado com um veterinário.