quinta-feira, 6 de março de 2008

Recordações

Este fim semana andei em arrumações, daquelas que se costumam planear à imenso tempo e nunca mais pegamos no "boi pelo cornos".
Tenho trazido imensa coisa de casa da minha mãe, o Hugo faz questão disso. Todas as nossas recordações aos poucos vão-nos fazendo companhia na nossa casa... não é que vá ser a nossa casa para toda a vida, mas enquanto estivermos lá temos as nossas coisas connosco (depois alguém há-de carregar quando decidirmos mudar!).

Numa das últimas visitas a entidade maternal trouxe uma caixinha que a minha mãe tinha lá separado, um caixa de camisa amassada e cheia de pó. Eu sem abrir sabia o que lá vinha.



Eram as minhas fitas de finalista do secundário, com o acrescento das minhas fitas de finalista do ensino superior (mas estas em bem menos quantidade).

Muita gente que conheço não fizeram o secundário em escolas com este tipo de tradição.
Onde eu estudei, em Tomar, tinhamos fitas de finalista oferecidas por todos os nossos colegas. Decoradas, coloridas, com dedicatórias...
Tinhamos uma madrinha/padrinho de curso que nos oferecia uma fita com o dobro da nossa altura, decorávamos uma colher de pau da nossa altura onde prendiamos as fitas todas que tinhamos recebido e levavamos para o nosso baile de finalistas. Onde até havia concurso para a colher de pau mais bem decorada.
Tinhamos um baile de finalistas como manda a etiqueta. Rapazes de fato e raparigas com vestidos brilhantes e de tecidos esvoaçantes.
Nunca me vou esquecer do meu baile.
A minha mãe obrigou-me a ir à cabelereira, tinha um vestido preto comprido justo com brilhantes (ainda o guardo lá no meu armário), uma echarpé para enrolar ao pescoço, uma mala de veludo... que não faço ideia onde pára, uns sapatos com uns tacões enormes, enormissímos.
O meu par foi um colega meu, um grande amigo que agora assentou arraiais em terras algarvias numa luta pelo amor da vida dele.
Como eu o admiro... largou tudo aqui em cima, pegou na roupa e foi para o Algarve e disse à moça
"Estou aqui para estar sempre ao pé de ti!"

Já lá vão uns 8 anos...

Estive a ler as minhas fitas, chorei! Até uma declaração de amor tenho... de um rapaz que não sabia que gostava de mim e só soube no final do curso quando ele me entregou a fita dele.

Mais coisas ainda tenho para trazer...

5 comentários:

Cláudia disse...

Essa do teu amigo... Ate me arrepiei!! UAU!!!!!!!!!!!

É giro, porque aqi não ha tradiçao nenhuma dessas. Acabou o 12º, xau!
lol

beijinho

Zani disse...

Cada novo dia seja para você:
Um convite ,uma oportunidade.
Um convite para começar.
Um apelo para viver.
Uma oportunidade para viver.
Um grande abraço.
ELISIANE.

Cartas a Si disse...

Essas fitas trazem-nos recordações muito boas. O meu secundário foi inesquecível, fiz amigos para toda a vida, daqueles que chegam quando todos partem. Eu no meu baile não tive par, mas diverti-me imenso. E parabéns ao teu amigo, não é todos os dias que alguém tem coragem de partir em busca do seu amor. Estas moças algarvias para roubar corações são terríveis, as marafadas! :-)

Tita disse...

Eu também tive direito a fitas e a colher de pau, no secundário, e baile. tenho- as junro ás da faculdade. é bom recordar os amigos e colegas, com os quais não estamos todos os dias. há alguns que já não os encontro há mais de 7 anos. mas vou sabendo por uns e por outros como estão. Agora só falta memso o jantar de reencontro. jokas

Isália disse...

Eu tive direito a fitas no 9 ano com colher de pau (no mesmo ano que a minha irmã terminou o secundario. As fitas eram amarelas...No secundario foi uma pasta... com as fitas azuis de humanidades...Na altura em que fiz a benção das pastas da universidade em 2006, fui procurar as que tinham ficado para trás... é certo que hoje não sei que é feito de muitas das pessoas que me escreveram nas fitas...Também tivemos direito a baile de gala...Foi tudo muito giro...é bom e sabe bem recordar