sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

Resenha literária... novamente

Arrumei mais um livro na prateleira, bem mais rápido que os que tenho lido nos últimos tempos.

Confesso que após este fiz uma análise por tudo o que tenho vindo a ler e em que sentido tem crescido a minha biblioteca, em resumo: quase toda a minha vida li livros de autores estrangeiros, essencialmente de ficção, recentemente tenho adquirido muitos livros de autores portugueses (Pedro Rosado, Rodrigo Guedes de Carvalho, Luís Costa Pires entre outros) e tenho iniciado uma tendência para romances e histórias mais melodramáticas.

Mandrágora, foi um livro que me impressionou bastante, pela positiva. Antes de ler pesquisei muito sobre o autor, Luís Costa Pires, posso considerar como sendo da terra e impressionantemente novo para o que estou habituada a nível de literatura.



Um romance que apresenta uma luta contra vários fanatismos que conhecemos na nossa sociedade, essencialmente religiosos, sociais e acho que essencialmente é um livro que incentiva a liberdade de pensarmos, fazermos e sentirmos o que quisermos. Seguirmos os nossos caminhos e fazermos as nossas opções sem ligarmos ao que os outros poderão pensar e dizer, é um livro que nos apresenta uma história de amor quase surreal, mas que venceu.

Um choque em o celibatismo e a devacidade...

Mandrágora, uma planta com raiz em forma de mulher. Bela, devassa, envolvente, ligada a feitiçarias e a pactos com o diabo.
Uma planta afrodisíca,alucinógena, analgésica e nárcotica.
Uma planta repleta de lendas e superstições, que grita como gente quando é arrancada da terra, que tem como semente o sêmen de um homem enforcado, entre muitas outras que poderemos encontrar por pesquisa na net.

Tive a tentação de pegar logo no outro livro que possuo deste autor, Depois da noite, mas contive-me. Mentalizei-me que iria ler outra coisa e depois sim retornaria a este escritor.
A opção recaiu sobre um livro já antigo que trouxe de casa dos meus pais nas minhas últimas incursões ( o marido já considera a urgência de comprar estantes para meter os meus livros), Vai onde te leva o coração de Susanna Tamaro.
Há uns anos tentei por diversas vezes ler este livro, mas maçava-me e era sempre posto de parte... principalmente na mesa de cabeceira da minha mãe que o leu vezes sem conta. Ele esperava ali que chegasse esta minha fase, esta minha maturidade para ingressar em livros mais arrematadores ao sentimento. E tem chegado aos poucos...

3 comentários:

tita disse...

O livro parece interessante, e é um tema que me agrada. E temos bons autores portugueses, mesmo os mais novos....

sophia disse...

já li o «vai aonde te leva o coração» 3 vezes, é um dos livros que considero "especiais".

le por tudo. pelo menos, para mim, vale. o que não vale a pena é ir espreitá la antes de lá chegar!

beijokas

Luís Costa Pires disse...

Muito obrigado pelos comentários ao livro.

É bom ver que há pessoas que andam atentas ao que se vai fazendo por cá.

Beijo

Luís Costa Pires