quarta-feira, 21 de novembro de 2007

... não me apetece

"Eu não existo longe de você
A solidão é o meu pior castigo"

Penso muito sobre a solidão...

Em como é possível e já me senti tão sozinha mesmo no meio da multidão. Tenho uma plena consciência destes anos que antecederam estes momentos e agora sei que estive tão sozinha de verdade.
Existem definições de sentimentos e relações que só sabemos realmente o seu significado quando as vivemos. Vivi outros sentimentos e abracei outras relacções que não estas, essa experiência nunca a vou perder de certeza.

Mas parecendo que não, no seguimento do que escrevi, eu gosto de estar sozinha. Preciso do silêncio e de me encontrar com o meu verdadeiro eu várias vezes ao dia, pode parecer algo de tão quase impossível na conjugação quase celestial de tudo o que vou fazendo... mas que me vai fazendo sentir assim tão preenchida e sabendo que afinal faço algo!!
Lá em casa temos implementado cada vez mais estes momentos de solidão para nós os dois, se calhar mais para mim.

Mas entendidos há muito como uma necessiadade primordial para o meu bem estar, uma sanidade abalada todos os dias, dividida por 1001 pensamentos que nem em 1001 noites de sono poderiam ser resolvidos.

Todos os dias...
trabalho, foruns, leilão MDA, passeios, compras, criar ou desenhar algo que quero fazer para o meu hobbie, horas perdidas em experiências de crochet e todas as coisas que vou fazendo, encomendas, clientes, casa, gatos, amigos, familia, net, telefones (demais, admito que agora desligo-me deles ao fim-semana), agora juntando o ginásio e as minhas recentes experiências botânicas que me tem feito estudar e estudar...


depois...
plena e liberta de tudo, sento-me na minha mesa, o rádio emite um som de fundo que me faz trautear pequenas palavras, apenas a luz do pequeno candeeiro e assim fico muitas vezes de queixo apoiado sobre a mesa e fecho os olhos. Outras abro uma revista e vou devorando ideia e fazendo planos... muitas vezes só planos porque o tempo não me tem dado para tudo o que ainda gostaria de fazer.



Apesar de gostar de verde admito viver "in a blue world"! E só a mim o tenho que agradecer.

Existem dias como o de hoje que nada me apetece escrever, fazer, inventar, falar... mas não consigo está-me no sangue!


Tem dias que post inúteis como este me fazem feliz e desanuviada de um dia cheio de tudo o que me preenche!

1 comentário:

Rita Ameixa Maria disse...

Blue não é mau! É uma cor tão bonita. Imagina que vivias num mundo cinza.. aí é que a porca torcia o rabo.

Ok, agora que acabei de ler aquilo que escrevi tenho plena consciência que foi tão útil como se tivesse dito " pois, e por essas e por outras que as nuvens em forma de coelho estão em vias de extinção".

Não estão, fica descansada... ainda ontem vi duas. :)