sábado, 18 de agosto de 2018

Ainda sobre o caminho

Nas conversas banais do dia-a-dia e que nos últimos tempos rodam o assunto FÉRIAS calhou dizer às miúdas que já tinha tratado onde iríamos dormir em Santiago de Compostela.
Instalou-se logo no momento tamanha aflição na mais pequena que não sei como não caiu da cadeira abaixo:
"- Ó mãe, mas eu não vou a Santiago a pé! Não quero ficar com os pés todos lixados como tu!"

Como eu adoro as minhas filhas, não são sangue do meu sangue mas na sinceridade e espontaneidade são a cara chapada da mãe.


Acho que finalmente entendem porque é que há umas semanas atrás tive vontade de arrancar a cabeça à chapada a uma monitora que envergava uma pulseira como a minha mas gabava-se que tinha ido de carro...

sexta-feira, 17 de agosto de 2018

quinta-feira, 16 de agosto de 2018

Mau tempo no mar gaivotas em terra








A nossa primeira vez na Lagoa de Óbidos!

Enquanto os restantes habitantes deste Portugal gozavam o feriado numa praia nublada nós torrámos ao sol, fizemos um piquenique numa manta da bisavó com saladinhas, cachorro e melão.

14/2018


Título: Mais negro
Autor: E.L. James
Pontuação: 4*


"Em Darker, E L James revisita a história narrada em As Cinquenta Sombras Mais Negras, mas do ponto de vista de Christian Grey. Desde o lançamento de Grey, que os fãs têm pedido pela continuação da série através da voz de Christian. 

"O interior da cabeça de Christian Grey é um local fascinante para se estar. Em Grey tivemos um primeiro vislumbre da razão dos traumas de Christan, mas em Darker vamos mais fundo, ficamos a conhecer as suas memórias mais dolorosas e os encontros que o tornaram no homem quebrado e exigente por quem Ana se apaixona. Escrever este livro foi uma jornada de descoberta, e espero que os leitores a vejam assim tão apelativa como eu achei", afirmou E L James." retirado de Wook



Para mim...

Normalmente não costumo seguir modas nem de roupa nem de leituras, mas confesso que mal soube que tinha sido editado mais um livro desta coleção não descansei enquanto não o consegui arranjar a bom preço.
A história tem todo um charme contado por Christian, mais rude, mais sincero, menos romantizado, mais direto... tal como eu gosto das pessoas.
Apesar  de tudo continuei a gostar mais do primeiro livro por Christian, talvez por neste livro ele ter começado a romantizar a coisa.
Sou uma anti-romantismos declarada!

terça-feira, 14 de agosto de 2018

Como arranjar uma alcunha no local de trabalho em 5 passos

Aqui vai mais uma teoria, testada e aprovada, desta vez como ficarmos (finalmente) com uma alcunha no local de trabalho mesmo que já estejamos lá há mais de 6 anos.

1.º passo - Ir às compras aos saldos;

2.º passo - Levar um top novo (comprado nos saldos) para o trabalho e gabar o dito e as suas figuras geométricas;

3.º passo - Entreter-se a olhar para ele enquanto se fica pendurado numa chamada telefónica com um colega de trabalho;

4.º passo - Concluir que as figuras geométricas afinal são desenhos de mirtilhos;

5.º passo - Passar a ouvir: "Mas onde é que se enfiou a Mirtilho?"




Se a minha vida podia correr pior?
Podia, aliás eu esforço-me diariamente para isso...

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

Menu da semana


Tudo no tempo recorde de 3h e meia. Depois foi fazer as mochilas e meter-me à estrada mais as gajas para ir passar o fim semana à aldeia.
Que posso dizer que foi muito proveitoso, entre um assalto e mais um risco no carro, safou-se a noite bem dormida apesar de ter sido agredida pela minha comparsa num sonho agitado qualquer dela em que de certeza espancava a irmã.

Menu vegetariano:
  • Sopa de couve com massinhas
  • Massa à bolonhesa de cogumelos
  • Goulash com arroz vaporizado
  • Caril doce de tofú


Menu macrobiótico:
  • Mingau com passas de uva
  • Creme de beterraba com agrião
  • Estufado de abóbora com feijão azuki e arroz integral

sábado, 11 de agosto de 2018

[[ Depressão ]]

Meio ano volvido e confesso que tem sido um meio ano extremamente difícil para mim.
Toda eu sou um turbilhão de sentimentos, raiva, desânimo, tristeza, impotência, cansaço, vontade sobre-humana de contrariar-me a mim própria e os meus limites, abandono...
Enquanto escrevo estas palavras num papel de rascunho na hora de almoço começa a tocar na minha playlist "Pumped up kicks" dos Foster the People e penso o quão adequada é esta melodia para o meu estado de espírito.
Nos últimos dias constatei que deixe de fazer muitas coisas que gostava e me entreguei à depressão de braços abertos.
Deixei de ouvir tanta música como ouvia, deixei de ler tanto como queria, deixei de fotografar, deixei de fazer crochet ou o quer que seja, deixei de estar tanto com a minha família e se pudesse simplesmente passava os dias a dormir.
Quem me tem seguido clinicamente aconselhou a não contrariar e aproveitar para deixar espaço para lidar com todos estes sentimentos aos quais nunca me dei espaço para sentir, todas estas sensações que sempre reprimi.
Mas esforçar-me de vez em quando para fazer algo de novo e diferente.
Para já gostaria apenas de voltar ao que gosto: ler / fotografar / apanhar sol...

Este ano já levo a minha dose de "coisas" novas e diferentes que um pouco de rotina seria muito bem vinda.

Gabriela Oliveira
(extraído do meu diário de bordo)

quinta-feira, 9 de agosto de 2018

Momento Marilyn Monroe

E em pânico o único pensamento que tenho é que trago as cuecas com gatinhos (aos 38 anos continua a ser a minha roupa interior preferida), tento desesperadamente apanhar a saia para minimizar o desastre e evitar que a minha reputação fique manchada (ainda mais).


quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Vegetariano: Gelatina de pêssego




Ainda numa descoberta de sobremesas totalmente isentas de crueldade este fim-semana aventurei-me numa gelatina de pêssego adaptada do livro "Receitas Vegan" de Bárbara Guevara.
Como faço todas as compras de legumes e frutas numa frutaria perto do trabalho tenho a sorte de ter acesso à fruta madura, que normalmente nos supermercados vai parar ao lixo, por preços muito em conta.
Normalmente todas as semanas faço uns frasquinhos de fruta variada cozida para o meu lanche mas este semana os pêssegos tiveram outro destino e ficou 100% aprovado. Vamos experimentar com todas as frutas dada a facilidade desta receita.

Ingredientes:
  • 500 gr de fruta madura descascada e aos pedaços
  • 2 chávenas de água 
  • açúcar amarelo ou mascavado a gosto
  • 1,5 c. sopa de ágar-ágar em pó
Preparação:
Triturar a fruta com a água, adoçar a gosto, juntar a ágar-ágar e levar a lume médio, quando começar a ferver contar até 10, sempre a mexer.
Desligar e deixar arrefecer.
Passar para as taças e colocar no frigorífico para acelerar a solidificação.
Enfeitar a gosto e degustar esta maravilha.


A próxima que iremos experimentar será de melancia, depois logo daremos a nossa opinião.

terça-feira, 7 de agosto de 2018

Quando os nossos filhos nos começam a conhecer bem demais

"- Mãe andas enervada?
- Porque perguntas?
- Por nada, era só para saber como te sentes...
- Porque perguntas?
- É que andas a ver os filmes do Harry Potter todos os dias à noite!"


Há quem tenha comida de conforto, eu tenho filmes de conforto.

Estranhos do "Caminho"

Foto de Daniela Sousa
Aqueles estranhos com que partilhámos sorrisos, um bom dia, votos de um bom caminho e até com quem chegámos a tirar fotos sem nunca saber o seu nome.
É assim o caminho...